filosofando

 

Fala terráqueos como vão vcs??? Hoje eu não tô legal não… especificamente no dia que eu estou escrevendo este texto. Vcs muito provavelmente vão lê-lo meses e meses depois do ocorrido, então é capaz de eu já estar me sentindo melhor no dia que eu estou escrevendo. Mas eu resolvi colocar aqui no texto no dia do ocorrido mesmo até para colocar este sentimento ruim para fora de mim…

Hoje, justo hoje aconteceu uma coisa comigo no trabalho que acabou comigo. Simplesmente acabou com o meu dia. Eu estou escrevendo este post exatamente no dia que completam-se dez anos da morte da minha mãe. Eu nem queria ter ido trabalhar hoje, eu queria ter ficado na cama, com pena de mim mesma… sem ver ninguém… aqueles dias sabe? Mas eu achei que era melhor ocupar a minha cabeça com outras coisas do que ficar triste o dia todo sem fazer nada… então eu me levantei cedo, tomei meu banho e fui trabalhar.

Antes eu tivesse ficado em casa viu, se eu soubesse o que ia acontecer no meu dia eu teria ficado em casa… Porque estava eu lá no trabalho… quando eu tenho que atender a uma senhora… resumo da ópera, como mais de 14 milhões de pessoa neste país ela tá desempregada, e tá há anos cuidando de um marido acamado e tentando conseguir a isenção do IPTU para a casa dela, que é um absurdo de caro porque o uso do imóvel tá como industrial sei lá eu porque. E o problema dela tem solução mas ela tem um longo e complexo caminho pela frente… para conseguir o que ela quer…

Já não é a primeira vez que eu a atendo, e ela não sei porque acha que ficar indo toda a semana na Prefeitura do bairro vai fazer o processo dela andar, não importa quantas vezes eu diga para ela que o processo dela não está com a gente mais que agora é caso da secretaria da fazenda. Mas não foi isso que me irritou… o que me tirou do sério foi que eu  estava atendendo a pessoa e ela me disse não entendia direito as coisas e que ia ligar para a filha dela pra ela poder explicar e então a filha dela começa a gritar e xingar um monte de palavrão pra mãe dela no telefone… mano… e a mulher coloca isso para eu ouvir no viva voz.

A primeira coisa que eu pensei na hora foi… caraca mano, isto tinha que acontecer comigo bem hoje né? Como eu sempre digo… azar pouco é bobagem. Todos os dias da minha vida, quando eu vejo uma pessoa que ainda tem os seus pais (eu coloquei mães e filhos no título do texto mas pode ser pais também galera), e não trata seus progenitores com o mínimo de respeito eu fico muito irada porque… eu não tenho mais a minha mãe para cuidar, para ouvir os conselhos.

Tá certo que nem toda relação pai/mãe e filho é bacana, nem todo pai/mãe é tão bacana como era  a minha relação com a minha mãe e a minha psicanalista vive me lembrando disso. A gente tende a julgar as pessoas por nós mesmo, por conseguinte a gente tende a julgar o relacionamento dos outros tendo os nossos relacionamentos como parâmetro. E eu não sei como é o relacionamento entre esta mãe e esta filha com as quais eu tive o azar de cruzar num dia muito triste para mim.

Mesmo tendo em mente que nem todo relacionamento pais e filhos são um mar de rosas, eu acho que eu deveria dar uma folga para a filha boca suja da senhora que eu estava atendendo, mas parte de mim, essa parte que ainda está de luto pela perda da minha mãe se rebela profundamente com a atitude desta filha. Meu primeiro impulso é encher a cara da sujeita de tapa, a sorte dela que ela estava no telefone, se ela estivesse pessoalmente eu nem sei do que eu seria capaz.

De novo, eu deveria ter ficado em casa… eu tenho que aprender a ouvir a vozinha que fala no fundo da minha consciência que diz “não vai hoje, fica em casa”. Felizmente, ano que vem esta data tão triste cairá no final de semana, então eu… não vou ter que sair de casa, não vou ter que trabalhar e dar de cara com este tipo de gente.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. E eu acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao