diabetes

Fala terráqueos como vão vcs??? Eu tô legal… o meu diabetes anda lá com seus altos e baixos, anda meio descontrolado mas… coisas da vida. Este ano em Janeiro se completaram onze anos que eu fui diagnosticada com Diabetes… foi em Janeiro de 2008, eu tinha então 32 anos de idade. E hoje eu vou contar para vcs a história de como eu descobri que eu estava diabética.

Na época, eu não tinha plano de saúde… e desde julho do ano anterior em 2007 que eu vinha me sentindo bem mal… Muita tontura, enjôo. Sem a menor vontade de comer nada. Dores generalizadas pelo corpo, um cansaço sem fim… e eu fiquei bem uns seis meses me sentindo assim… Até que bem no comecinho de 2008 minha mãe me disse, nossa vc emagreceu muito. E eu imagina, emagreci nada. Mas, eu fui me pesar e galera… eu perdi em um mês 10 quilos… e isso não é normal.

Então como eu não tinha plano de saúde. Então a minha mãe pagou uma consulta para mim numa clínica particular que existe ainda aqui perto de casa. E o médico clínico pediu trocentos exames de sangue e ia ficar caro para um caramba fazer os exames então a minha amiga me levou lá onde ela tinha o plano de saúde dela e praticamente me obrigou a fazer um plano para mim hahahaha. O que eu sou grata a ela até hoje.

Eu fiz o plano e já fiz os exames de sangue todos que o médico me pediu e voltei lá com ele… e adivinhem só… diabetes… 350 em jejum. Fora o triglicérides que estava lá na casa do caramba, acima dos 1200. Sério, eu nem tô brincando. O médico na hora olhou pra minha cara e disse… Como é que vc não morreu ainda? Porque assim galera, o triglicérides a 400 já gera um risco de enfarto e de AVC e o meu estava 1200. Eu só não morri mesmo porque Deus não quis.

Na mesma hora o médico já me receitou dois remédios para diabetes e me deu um encaminhamento para o Endocrinologista e eu já comecei a tomar os remédios, fazer dieta e medir a glicose e tudo mais que tem que ser feito na vida de um diabético. Mas meus dois primeiros anos depois do diagnóstico não foram nada fáceis… naquele ano mesmo em Outubro de 2008 meu avô faleceu, devido uma metástase de câncer de próstata que reapareceu no pulmão. E no ano seguinte em Agosto do ano seguinte a minha mãe também faleceu por conta de metástase de um câncer de mama que atacou os ossos, a coluna e por fim o cérebro dela.

Eu perdi duas das pessoas mais importantes da minha vida naqueles dois primeiros anos. Então a minha vida virou uma bagunça de responsabilidades, dívidas e eu demorei outros cinco anos para colocar as coisas mais ou menos em ordem. Eu era chefe no setor que hoje eu trabalho e a responsabilidade era imensa, eu trabalhava dez a doze horas por dia, e eu estava terminando a faculdade de direito. Eu acordava às cinco da manhã e ia trabalhar… eu não tinha carro, eu demorava uma hora e quarenta e pegava três conduções para chegar sete horas no trabalho e ficar trabalhando até as seis da tarde. Seis horas eu ia para a faculdade e ficava até as onze e chegava em casa meia noite… ia dormir uma da manhã para acordar às cinco novamente no dia seguite. Foram cinco anos assim… nessa vida louca.

Fora trabalho e faculdade tinha a casa e meus irmãos pra cuidar… o diabetes acabou ficando em segundo plano. Eu cuidava, eu tomava os remédios, mas eu não dormia direito, não preticava exercícios, não fazia dieta, trabalhava demais e estava engolindo a tristeza e passando por cima do luto que nem um trator. E eu acabei pagando caro por não tratar direito do diabetes… até que chegou um ponto que eu pensei, ou eu começo a me tratar direito ou eu vou acabar morrendo.

Então foi só em 2015 que eu decidi que era hora de deixar de empurrar a doença com a barriga e fazer o tratamento direito. Com orientação médica eu comecei a tomar insulina, comecei a passar com uma nutricionista para adequar a dieta alimentar aos meus horários e saber exatamente o que, quando e quanto comer. Comecei a fazer academia e as coisas melhoraram. Mas não o suficiente, mesmo fazendo tudo direitinho o diabetes ainda estava descontrolado e a minha Endocrinologista me encaminhou para fazer terapia porque ela começou a achar que a minha cabeça não estava legal.

E quando a cabeça não tá legal, nenhum tratamento vai ser efetivo. Porque o diabetes é uma doença que se alimenta das suas emoções. Se vc tá bem emocionalmente vc vai conseguir controlar, fazendo o tratamentos direitinho, caso contrário… ela vai descompensar loucamente mesmo vc tomando os remédios, mesmo vc fazendo dieta, mesmo vc fazendo exercícios. Então em dezembro de 2017 eu admiti para mim mesma que eu precisava de ajuda médica então eu comecei a terapia. E somando a terapia aos outros tratamentos que eu já estava fazendo meu diabetes finalmente estabilizou.

Claro… o diabetes é uma doença cheia de altos e baixos. De vez em quando eu me descuido e ela fica toda atrapalhada. De vez em quando eu fico cansada de tanta rotina e de tanto tratamento e acabo enfiando o pé na jaca aí descompensa tudo. De vez em quando eu fico doente e tenho que tomar algum remédio que deixa tudo atrapalhado novamente. Este ano aliás tem acontecido isso direto… tá bem difícil controlar a glicemia desde Fevereiro por conta dos remédios com corticóide, e os anatialérgicos que eu venho tomando por conta de uma dermatite do capiroto que me atacou e que até o presente momento ainda não largou do meu pé.

Essas coisas aliás me deixam extremamente chateada e isso acaba mexendo com o meu controle glicêmico. Como eu já disse, quando eu fico  muito chateada… a tendencia é descompensar tudo… mas continuamos aqui na labuta. Como eu tambbém já disse aqui diversas vezes para vcs é extremamente necessário para o diabético se consultar com uma série de profissionais, o Endocrinologista (que vai tratar do diabetes mesmo, passar remédios e orientar no controle), o Nutricionista (que vai auxiliar na composição de uma dieta para evitar consumo exagerado de certos alimentos que tem grande teor de açúcar), o Oftalmologista ) para ver se não tá com problema de Glaucoma que é comum em diabéticos), o Psicanalista (porque aceitar que temos diabetes que é uma doença incurável é treta), entre outros que eventualmente a gente tem que passar.

Bom, este foi o texto de hoje, uma história de como eu descobri que era diabética. Vou ficando por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. E eu acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao