mercy

Fala terráqueos como vão vcs??? Eu tô legal… Mais uma sexta-feira chegou, mais um final de semana se aproxima e como vcs crianças já sabem, aqui neste blogue todas as sextas-feiras temos dicas de filmes para vcs curtirem no final de semana. Porque balada de sexta-feira é coisa de adolescente, adulto gosta de ficar em casa vendo filme, série na Netflix e outros concorrentes não é mesmo. E é para colaborar com a galera do sofá, e também para comentar sobre filmes interessantes, divertidos, apavorantes, etc que eu vi durante a semana que temos não um, mas três dicas de filmes aqui para vcs!

Deixa eu dizer para vcs que no último mês eu ando debaixo do efeito de não apenas um mas de dois antialérgicos então eu ando dormindo pelo mundo, pela vida… então tá treta de eu ver filmes novos. Porque é eu encostar no sofá eu tô dormindo. Tanto que eu tô atrasada para um caramba para ver a lista de filmes que meus amigos me recomendaram. Fora os filmes que eu quero ver e já saíram em streaming e os que estão para sair nos cinemas… Mas, bora pro filme porque eu já enrolei demais.

Primeiro filme da sexta é um drama/romance que trata de um assunto polêmico que é a pena de morte. E trata esse assunto de um ângulo interessante que muita gente, especialmente quem é a favor da pena de morte e adoraria vê-la ser instaurada no Brasil, não para para pensar. Ele mostra, através dos personagens do filme o sofrimento das famílias dos condenados que estão no corredor da morte esperando pela misericórdia do governador, ou pela execução, ou por um milagre que reverta a sua condenação.

O filme foca bastante na história da família de Lucy (interpretada pela talentosíssima e militante de várias causas políticas importantes atriz Ellen Page) e de seus dois irmãos. A história é mais ou menos assim, a mãe deles foi assassinada, dentro da própria casa e quem é considerado culpado pelo assassinato é o pai deles. Então ele vai preso, julgado e é condenado à pena de morte. Mas ele jura de pés juntos para os três filhos que não foi ele quem matou a esposa, que ele é inocente.

Acontece que a família é muito pobre e apesar do que o cinema Hollywoodiano pinta, que a justiça americana é mais eficiente que a justiça nos demais países e blábláblá, a verdade é que em todo o canto do mundo, quem não tem grana para pagar um advogado muito bom não vai ter uma ampla defesa. Primeira crítica do filme é à pena de morte em si, segunda crítica do filme é ao sistema judiciário e penal norte americano em geral.

Voltando à história do filme, o namorado da irmã mais velha de Lucy é advogado e ele começa a tentar defender o pai dela, mas a percepção que a diretora passa é que ele não tá lá muito interessado nem muito empenhado em conseguir libertar o ‘sogro’. Lucy e os irmãos já perderam a mãe, e estão agora lutando para não perder o pai e tentando manter a família (que são os três irmãos) apesar de todas as diferenças e discordâncias entre eles. E eles convivem também com a eterna dúvida, será que ele não matou mesmo a nossa mãe? Eles querem acreditar mas ao mesmo tempo eles duvidam da inocência do pai.

A única forma que eles encontram de ajudar o pai é indo protestar em frente ao presídio contra a pena de morte. Então vc percebe que eles pertencem a um grupo específico de cidadãos que tem seus parentes presos, aguardando a execução e essas pessoas estão lutando pelo fim da pena de morte, tentando sensibilizar o governo, dizendo que a pena de morte não leva a lugar nenhum, que ela destrói famílias. Que não é apenas o preso que morre executado, que suas famílias também sofrem quando isso ocorre.

Do lado oposto entretanto, temos um outro grupo de pessoas que lutam pela permanência da pena de morte e que pedem que a execução seja efetuada o mais breve possível para que as famílias das vítimas possam ver a justiça sendo feita. A parte que eu achei mais interessante deste filme é que esta família em especial (e que pelas histórias que vemos no mundo não é uma exceção) está bem no meio desses dois grupos. Lucy e seus irmãos querem justiça pela morte de sua mãe, mas ao mesmo tempo eles não querem que seu pai, que é o acusado condenado pela morte da esposa seja executada.

No meio de toda essa confusão da vida deles, vira e mexe eles viajam pelos EUA para protestar contra a execução desde ou daquele condenado. E numa dessas viagens Lucy conhece Mercy. Uma garota que está exatamente do lado oposto ao dela. O melhor amigo do pai de Mercy, um policial é assassinado na frente da família no seu dia de folga e por conta disso a família de Mercy está na luta para ver a pena de morte ser cumprida para eles poderem ter um senso de justiça sendo cumprida. E a realidade da vida dela é completamente diferente da realidade da vida de Lucy. Mercy trabalha num escritório de advocacia, é noiva e a sua família não é rica mas é muito bem de vida e bem estruturada. 

Mas por uma dessas coincidências da vida as duas acabam se conhecendo num acampamento de trailers onde tanto as pessoas que são a favor da pena de morte quanto as pessoas que são contra a pena de morte ficam entre um protesto e outro.  E apesar de aparentemente as duas não terem nada em comum as duas acabam ficando amigas. E como tragédia pouca é bobagem na vida da Lucy, ela acaba se apaixonando pela amiga e as duas começam um relacionamento… mas elas só se encontram nessas ocasiões quando elas vão para os protestos. E conversam pela internet…

E eu não vou contar o que acontece daqui para frente porque como sempre eu não quero dar spoiler. O filme se eu não me engano é de 2017. Não é tão antigo… e como eu disse é um drama, não é um filme feliz, é um filme tenso que discote temas complexos, se vc curte este tipo de filme é um filmão eu recomendo. O filme questiona para caramba a existência da pena de morte ainda nos Estados Unidos, e ele deixa diversos questionamentos no ar para a gente se fazer. Até que ponto a pena de morte é a justiça sendo feita? Em quais casos a aplicação da pena de morte é justa? A partir de quando deixa de ser justiça e passa a ser apenas a vingança dos atingidos pelo crime sendo executada pelas mãos do estado?

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. E eu acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao