iammother

Fala terráqueos como vão vcs??? Eu tô legal… Mais uma sexta-feira chegou e lá vamos nós aqui do blogue Diário de Bordo da Shao indicar para vcs amiguinhos leitores três filmes bem bacanas para vcs se divertirem no final de semana. O que vcs acham disso? Legal né? Eu sei que vcs curtem porque geralmente às sextas são os dias que tem mais acessos aqui no blogue.

Vamos ter hoje aqui para o deleite de vcs um filme de ficção científica, um filme de mistério e uma comédia beleza? Beleza… primeiro filme do dia é o filme de suspense/ficção científica original da Netflix I Am Mother (ou Eu Sou Mãe numa tradução livre). Que traz a atriz vencedora do Oscar Hilary Swank e a cantora e atriz dinamarquesa Clara Rugaard nos papéis principais. E a atriz Rose Byrn como a voz do robô chamado de “mãe”.

A história do filme é mais ou menos assim… O mundo foi para as cucuias… houve uma destruição em massa e aparentemente toda a humanidade foi destruída. Assim que isto acontece entra em atividade uma espécie de fortaleza, que a princípio a gente não tem certeza do que se trata e onde ela está localizada, se é uma espaçonave, se é em outro planeta se é na própria terra e dentro deste lugar de aparência futurista um robô tira de uma geladeirinha um embrião… que tem o número 003 nele e coloca numa máquina que a gente logo descobre que é uma barriga artificial. Nove meses depois nasce uma menina… e o robô começa a criar a criança como se ele fosse a mãe. Inclusive, quando a menininha cresce é assim que ela chama o robô de mãe.

E as duas vivem uma rotina só as duas por anos e anos. A mãe vai ensinando vários conceitos éticos e morais para a filha e realizando testes. Até que a filha se torna uma adolescente e começa a fazer mais questionamentos e a pensar por si própria. Até que um dia um rato entra na instalação e com pena de matar a criatura, a filha o esconde da mãe e conserta os danos que o animal causou, entretanto a mãe descobre o animal e o incinera. Explicando para a filha que ele pode trazer para o ambiente em que ela vive contaminações que poderiam colocar a vida dela em risco e que a função da mãe era a de protegê-la e aos demais embriões.

A filha então questiona porque a mãe não gerou outros embriões que ela chama de irmãos, ela diz que precisa de tempo para aprender a ser uma boa mãe. Entretanto o incidente do rato deixa a garota ainda mais curiosa com o mundo exterior. Nessa hora a gente descobre que estamos na terra… e a gente começa a se perguntar também que diabos aconteceu lá fora… cadê todo mundo? Morreram todos mesmo? Então um dia a curiosidade vence o medo da contaminação e a garota vai fuçar lá fora… todo mundo que é adolescente sabe como é né? Não vai lá fulano que vc vai se lascar… o que o fulano faz? Vai lá pra ver se vai se lascar mesmo.

E bem nesse dia, porque como eu sempre digo azar pouco é bobagem, uma mulher aparece na porta do laboratório, toda danada, ferida e sangrando muito e pedindo ajuda. Do mesmo jeito que ela ficou com pena do rato a garota fica com pena da mulher e mesmo contra todas as orientações da mãe robô ela coloca a mulher para dentro das instalações. Como a porta se abriu os alarmes tocam… a filha então esconde a mulher, a mãe robô chega, exige que a filha passe por uma descontaminação porque o mundo lá fora está inabitável e depois retorna para o modo cotidiano, avisando a filha que ela tem um teste para fazer.

E então que o filme começa a ficar interessante porque é a primeira vez que a garota tem contato com outro ser humano. E eu não vou contar o que acontece daqui para frente porque eu não quero estragar a experiência de vcs. Não é um filme fácil de se entender, vc tem que quebrar a cabeça para entender algumas coisas. Especialmente depois do final, vc tem que encaixar as peças para que elas façam sentido. Mas é justamente isso que faz o filme ser bacana, ele faz a gente pensar. Uma dica para vcs… Uma coisa interessante do filme é que os personagens não tem nome… e os nomes, filha, mãe… mulher… não são usados aleatoriamente eles tem uma razão e só se vc prestar bastante atenção vc vai entender no final.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. E eu acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao