magczlam3z2kj93qtabj

Fala terráqueos como vão vcs??? Eu tô legal… Antes de mais nada deixa eu dizer para vcs que… pela primeira vez em vários meses, acho que desde o começo desse ano, eu consigo deixar agendados com antecedência 90 textos prontos para serem publicados automaticamente pelo WordPress, parabéns para mim por ter sentado a minha bunda na cadeira e escrito como se não houvesse amanhã… ou pelo menos como se eu não tivesse que trabalhar amanhã (e eu não tenho porque eu ainda estou de férias enquanto eu estou escrevendo este texto, entretanto não estarei mais quando ele for publicado).

Faz um tempinho que eu não conto um ‘causo’ não é mesmo? E esses dias eu estava conversando com meus irmãos, relembrando histórias engraçadas do passado… Esses dias meu irmão Carlos estava me lembrando de um caso engraçado que aconteceu quando eles eram crianças e eu recém saída da adolescência estava cursando a minha primeira Graduação. Eu fazia Letras e eu tinha livros para caramba para ler e eu me lembro uma época que estávamos estudando o Realismo Brasileiro e Machado de Assis e eu tive que ler praticamente toda a obra do autor. 

Eu nem tô reclamando. Machado de Assis é ainda hoje um dos autores brasileiros que eu mais admiro. Enfim, eu lembro que na época era Machado para lá e Machado para cá, e trabalhos sobre ele e sobre as obras dele. E eu me lembro que meu irmão… uma das brincadeiras favoritas dele era ficar brincando com os bonecos dele os Action Figures de lutadores que ele tinha… E ele tinha uma coleção enorme… Ele tinha o homem de ferro, ele tinha bonecos do Batman, de vários super heróis e entre outros bonecos… alguns que não tinham nome, que não eram famosos que ele tinha ganho ou comprado simplesmente porque eles tinham um visual bacana.

E dentre esses bonecos inominados tinha um que era uma espécie de bárbaro… um viking. E ele era bem legal, porque ele tinha vários armamentos, e dava pra montar e desmontar a armadura dele de vários jeitos. E ele tinha tantas armas que eu me lembro que o meu irmão às vezes distribuía as armas deles entre os outros bonecos e fazia uma verdadeira guerra.

Então, um dia, lá estava eu fazendo mais um trabalho sobre o Machado de Assis, se eu não me engano era sobre Dom Casmurro e meu irmão sentado no chão perto de mim brincando com os bonecos dele. Daí minha mãe vira para mim e pergunta: “Nossa, ainda Machado de Assis?” e eu “Sim, a obra dele é extensa.” No meio dessa conversa eu só vejo o moleque pegando o boneco do homem de ferro… daí ele pega uma arma em forma de machado que tinha perto do boneco daí ele pega os dois e dá um grito… “Golpe Machado de Assis!!” e meio que ataca o outro boneco com o machado arrancando a cabeça do boneco…

Daí eu e minha mãe olhamos para a cara uma da outra, a gente não sabia se ria… se falava alguma coisa… e ele nem prestando atenção na gente, tão absorto que ele tava na brincadeira. Eu comecei a rir e virei pra ele e perguntei: “Como é que é o negócio aí? Golpe Machado de Assis?” e comecei a rir… Ele também começou a dar risadas e minha mãe também. E eu “Mano, Machado de Assis tá se rebolando na catacumba nesse momento…”.

E até hoje ele se lembra disso. Ele era pequeno… tinha uns 8 ou 9 anos. Anos depois quando ele entrou no Ensino Médio é que ele realmente foi descobrir quem foi Machado de Assis… e claro, ele não curtiu muito do estilão do Machado. Tanto que até hoje o que mais marcou ele foi esse episódio da brincadeira e não a obra do Machado.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. E eu acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao