solitario

Fala terráqueos como vão vcs??? Espero que vcs estejam bem! Eu tô legal… Cansada para um caramba, mas vamos levando a vida né? Eu também estou atrasada nas postagens aqui do blogue, eu peguei um sábado e um domingo aí e dei um gás, escrevi bastantes textos e deixei todos eles agendados mas… Eu fiquei com preguiça de escrever durante os dias que se seguiram e aí todo o progresso que eu fiz no final de semana foi perdido. Bom, graças às minhas férias forçadas por problemas de saúde eu tenho mais um final de semana livre… então eu vou dar outro gás nas postagens, vamos ver se dessa vez eu consigo deixar pelo menos 90 textos pré agendados. 

Mas como sempre nem era disso que eu queria falar no texto de hoje. Eu avisei a vcs que eu ia engatar uns posts filosóficos, com este são três textos comigo filosofando sobre acontecimentos da vida e eu sei que eu deixei meio zoada a agenda aqui das postagens, eu deixei de lado os temas do dia por conta desse meu humor um tanto quanto reflexivo, mas amanhã já voltamos com a programação normal. Então antes de entrar no tema do texto de hoje, mas muito obrigada pela paciência e pela compreensão de vcs.

Agora sem mais delongas… bora pro tema do texto de hoje. Esses dias eu estava conversando com meu irmão… e estávamos discutindo como as pessoas (incluindo nós mesmos) repetimos, repetimos e repetimos nossos erros, nossas manias, nossos comportamentos, etc. Como se estivéssemos presos num círculo vicioso da nossa própria mente. E então ele me fez uma pergunta… “Vc acha que o futuro imita o passado?”. Ele perguntou meio que querendo dizer assim, vc acha que uma pessoa que comete um erro no passado, mesmo que ela tente melhorar ela ainda assim vai acabar repetindo os mesmos erros? Porque era mais ou menos disso que nós estávamos falando.

Eu disse pra ele que, na minha humilde e insignificante opinião, dependia da pessoa. Mas que geralmente as pessoas tendem a repetir um padrão de comportamento. Até mesmo porque é bem complicado rompermos esses padrões. Se a gente já copia o que a gente aprende com nossos pais, mães, tios, tias… sem nem sequer perceber que estamor repetindo, deve ser mais difícil ainda rompermos manias e costumes que são nossos mesmos.

Eu e meu irmão estávamos conversando sobre um assunto específico. Estávamos falando de traição. E estávamos nos questionando porque as pessoas traem e se as pessoas que traíram seus parceiros. E se a pessoa que traiu uma vez trairia novamente. Minha resposta para ele foi… depende da pessoa, depende muito de vários fatores. Ás vezes a pessoa faz uma merda tamanha com a própria vida, que bate um arrependimento tão grande que ela muda sim, ela se arrepende e muda. Entretanto tem gente que nem jogando a vida no esgoto muda suas atitudes, continuam repentindo comportamentos que não a levam para lugar nenhum e magoam as pessoas que as cercam.

E então… o que vcs acham? Vcs acham que o futuro imita o passado? Apenas algumas pessoas tem a capacidade de mudarem os rumos de suas vidas ou todo mundo tem esta capacidade? Sem necessariamente ter que passar por um trauma gigantesco para resolver mudar de vida.

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao