sabrina

Fala terráqueos como vão vcs??? Espero que vcs estejam bem! Antes de mais nada se vc está lendo este texto no Facebook Clica no link aqui embaixo para ler o texto completo. Eu tô legal… Bora falar de série hoje? Bora lá então… e a bola da vez do post de hoje é o Reboot da série clássica da bruxinha adolescente Sabrina. Tem um tempo já que eu falei que tava faltando série e filme de bruxas na TV e parece que isto está mundao. O Reboot vem com uma vibe nova, atores novos, história nova e nome novo, agora a série se chama “O Mundo Sombrio de Sabrina”.

E eu me lembro que eu assistia a série anterior que tinha uma vibe cômica que me lembrava muito as séries “A Feiticeira” e “Jeannie é um Gênio” da década de 60 que contava a história de uma adolescente orfã normal, criada por duas tias depois da morte dos pais até que um dia, não mais que de repente em seu aniversário de 16 anos ela descobria que era uma bruxa. Mas eu vou falar da série antiga mais para frente num outro post… semana que vem talvez… hoje vamos falar da releitura desta série feita pela Netflix para a geração atual.

Já faz meses que eu assisti (como vcs sabem eu escrevo os textos aqui para o blogue com bastante antecedência), eu assisti assim que lançaram… em outubro se eu não me engano. E as minhas primeiras impressões foram que a série realmente é bem mais sinistra que a outra. Aliás, de sinistra a série antiga não tinha nada. Caso vcs não saibam a imagem que a Idade Média pintava das bruxas era algo bem horrendo, bem escatológico mesmo, No geral a bruxa era uma mulher que renegava a Deus e tinha pacto com o Capiroto, ou seja elas eram as amantes de Satanás, em troca deste pacto elas tinham poderes, riquezas, juventude… etc.

Essas mulheres também faziam feitiços usando ingredientes nojentos e absurdos, comiam ou matavam criancinhas sacrificando-as ao demônio, algumas delas matavam seus próprios filhos, se banhavam no sangue de donzelas para manterem-se jovens ou imortais (dependendo da lenda isso varia), escravizavam os homens e amaldiçoavam outras mulheres, suas famílias, a terra onde moravam e por aí vai… e é mais ou menos sob esta base bem sombria que eles vão contar a história de Sabrina, sua família e seus amigos. É uma série bem mais voltada para o terror, se vc está esperando a mesma vibe da série anterior fofinha e engraçada, pode esquecer, nem assista que esta série não é para vc. Se vc é uma pessoa que se impressiona fácil com imagens fortes, esta série também não é para vc. Se vc não curte terror, esta série também não é para vc. Se vc não gosta de tomar sustos, esta série não é para vc. Se vc tem estômago fraco, esta série também não é para vc.

Esta série tem muito mais violência, profanidades, misticismo, satanismo e drama que sua precedente. Se vc curte toda essa mitologia envolta nesses temas que eu acabei de citar, vai fundo, vc vai curtir a série. Entretanto, não se esqueça que a personagem principal é uma adolescente, então vários ‘dramas’ pelos quais ela passa vão ser ‘dramas’ bem adolescentes… e este é ao meu ver o ponto fraco da série. Outros são bem mais sérios e mais humanos e talvez seja por conta destes que a série valha a pena ser assistida.

O drama humano dos personagens aliás parece ser o foco da série. Diferentemente da outra Sabrina, esta cresce sabendo de sua origem, que sua família é toda de bruxas, com exceção de sua mãe que é mortal (sim, nesta série as bruxa graças ao seu pacto com o cafúrcio são praticamente imortais… quer dizer, elas não são imortais, mas… elas vivem por muitos e muitos séculos, e elas envelhecem muito, mas muito lentamente). Seu pai  Edward Spellman (Spellman = homem dos feitiços) aliás, era o sumo sacerdote da ingreja da noite, que é a igreja que adora o capeta. Depois da morte de seus pais num suspeito acidente de avião Sabrina é criada pelas duas tias, bruxas Hilda e Zelda, irmãs de seu pai na casa da família Spellman (que pasmem, é uma casa funerária… sim este é o negócio da família, eles lidam com defuntos), juntamente com seu primo Ambrose.

Sabrina vive mais ou menos uma vida dupla, porque ela vai à escola, e tem amigos mortais, tem até mesmo um namorado, masss… em casa ela é “preparada” para quando completar seus 16 anos de idade ela passar pelo seu “batismo sombrio” onde ela entrega sua alma para o pata rachada, abraçando definitivamente o lado bruxo e abrindo mão completamente da mortalidade e tudo que está atrelado à ela, inclusive seus amigos e seu namorado. E Sabrina meio que fica entre a cruz e a espada (literalmente) porque ela gosta de ser bruxa, ela gosta de ter poderes, mas ela também gosta de levar a vida como uma pessoa normal e ela não quer abrir mão de uma coisa para ficar com a outra e vice versa. O que ela quer de verdade é ter o melhor dos dois mundos, massss… conforma série vai se desenrolado ela vai vendo que é bem mais difícil do que ela pensava e que talvez ela perca alguma coisa nesse seu anseio de ter tudo.

Eu não quero falar mais da história para não dar spoiler, estejam avisados da parte mais escatológica, satânica e da vibe de terror da série. Entretanto deixa eu dizer que alguns atores mandam muito bem, entre eles a atriz Kiernan Shipka que interpreta a Sabrina e as atrizes Lucy Davis e Miranda Otto como as tias da Sabrina. O ator Chance Perdomo que faz o Ambrose também manda bem e as atrizes que fazem as melhores amigas de Sabrina Lachlan Watson (como Suzy) e Jaz Sinclair (como Roz) são fantásticas. Outro destaque é a líder das irmãs estranhas a atriz Tatu Gabrielle (que interpreta a bruxa Prudence Night).

Outra coisa bem bacana da série são as referências… Ela tem muitas referências e homenagens a filmes clássicos de terror, especialmente dos anos 70 e 80 só quem curte o gênero vai reconhecer. Se vc curte o gênero e vai assistir a série eu vou deixar aqui um link do site Minha Série com 20 referências para vcs curtirem, é bem bacana, umas são mais sutis, outras são bem mais nítidas, todas se encaixaram muito bem na trama.

Mais pontos positivos vão para a direção de arte, o figurino e a fotografia da série fazem um trabalho assombroso. Outro ponto para a trilha sonora que é muito boa, eu curti para um caramba. Tem tudo a ver com a vibe da série. Mas a série não é perfeita, nada é perfeito neste mundo… mas é boa… ela tem bem menos comicidade do que eu gostaria, seria bacana ter um pouco mais de humor, nem que fosse humor negro. Não que não tenha, tem, mas poderia ter bem mais.  Poderiam term mais episódios também para trabalhar melhor alguns temas que foram apenas introduzidos na série… mas, talvez eles tenham sido ganchos para a segunda temporada não sei… temos que aguardar pela segunda temporada que se eu não me engano… estréia Amanhã!!! Ahhh e eu vou deixar o link para a trilha sonora da Série que eu achei no Spotify essas semanas atrás, ouçam é bem legal.

https://open.spotify.com/embed/user/f_carloto/playlist/5YQguSPwYztGN1wUHEJOyZ

Então, se vc quiserem já faz aí uma maratona da primeira e da segunda temporada (que estréia nesta sexta-feira). Em geral é uma série muito boa, não é para todo mundo, para o público em geral, é mais voltada pra galera do terror mesmo. Vai ter gente que vai detestar, vai ter gente que vai amar… eu gostei bastante. Vou deixar o trailer da primeira temporada aqui embaixo para vcs.

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao