canalha

Fala terráqueos como vão vcs??? Espero que vcs estejam bem! Antes de mais nada se vc está lendo este texto no Facebook Clica no link aqui embaixo para ler o texto completo. Eu tô legal… Estamos em fevereiro e já faz meses que as eleições acabaram mas, uma palavra que eu ouvi muito durante esses eleições foram a palavra “canalha”. Adversários políticos chamando uns aos outros de canalha para lá e para cá… e então eu pensei. O que exatamente significa a palavra canalha?

Todo mundo sabe mais ou menos o que significa a palavra canalha. Todo mundo sabe que é um xingamento. Mas o que exatamente quer dizer a palavra? Qual a origem? Eu fui pesquisar. Primeiramente qual a origem da palavra? De acordo com as minhas pesquisas a palavra vem do latim “canalia”, que significa “bando de cães”. (Fonte: Dicionário Etimológico). Hoje em dia a palavra não significa mais “bando de cães”. De acordo com o Site Dicio canalha quer dizer: 1. Que se pode referir ao que é vil, sem valor;  2. Ordinário; 3. Próprio da pessoa mau-caráter, desprezível; 4. Que não é honesto, velhaco; 5. Pessoa desprovida de moral; quem não tem bom caráter. O contrário de canalha então é o homem que é honesto, homem que tem caráter.

E eu acho que essa descrição, pessoa desprovida de moral, desonesta, define perfeitamente inúmeros políticos brasileiros. Difícil, na situação atual do nosso país é encontrar um político que represente o oposto do canalha. Nosso congresso e nosso senado parecem (são) lugares tóxicos. Parece que todos que entram para a vida política, por mais que entrem “limpos” (e eu coloco aqui esta palavra entre aspas porque a gente nunca pode colocar a mão no fogo por ninguém) quando entram para a vida pública, eles se infectam e se tornam tão torpes e tóxicos quanto àqueles que estão lá há décadas, apenas mamando nas tetas do governo e procurando sempre levar vantagem.

Esses dias eu estava num uber com o meu irmão. E o motorista do Uber estava conversando sobre isso com meu irmão. Sobre a roubalheira dos políticos e como era uma vergonha e coisa e tal… Mas então, no final da conversa e no final do trajeto o rapaz do Uber disse: “Ahhh mas também, o tanto de dinheiro que estes caras estão expostos, aposto que a tentação deve ser imensa. Fala pra mim que se vc não estivesse nessa situação vc também não ia enfiar a mão na grana?”.

Olha… eu gosto de pensar que eu não faria. Que eu não enfiaria a mão na grana do erário. Eu completei no último ano 16 anos de serviço público sem nunca sequer pegar um lápis, uma caneta do armário do trabalho para levar para casa. Aliás, já diversas vezes ocorreu o contrário. O material comprado pra gente trabalhar era tão lixo que eu levava a caneta de casa pro trabalho. Meu grampeador, meu carimbo que eu uso no trabalho fui em quem comprei, com o meu dinheiro. Várias vezes eu falei assim, nossa, preciso passar na papelaria na volta de casa para comprar uma resma de papel porque acabou o papel de impressão lá de casa. E já ouvi gente dizendo, pega lá no armário… Não… aquele não é meu, é do município. É dinheiro de impostos. Pode ser que tenha gente que não se importe mas eu me importo.

A verdade é que a gente tem a mania de jogar a culpa nos políticos, de todas as desgraças na economia, na saúde, na educação, mas depois de ouvir essa afirmação do motorista de Uber eu ás vezes me pergunto se a culpa de tudo não é porque a gente tem tão profundamente inserido dentro da nossa cultura, da nossa formação esse lado canalha que faz com que toda essa canalhice seja “normal”.

Tem bastante tempo eu escrevi um post aqui no blogue falando de como nós, com nossas pequenas corrupções somos parcialmente responsáveis pelas grandes corrupções que acontecem no nosso país. O post de hoje meio que complementa o post de então (Vc pode clicar aqui para ler o post antigo). Nosso povo tem a canalhice enraizada na cultura, ás vezes parece que tem na alma sabe? E é muito, muito, muito difícil se livrar disso… não é uma coisa que se resolva em dez, vinte anos… Sério, se todo mundo mudasse de postura e eliminasse as pequenas corrupções do dia a dia e ensinasse os filhos a serem corretos, quem sabe… daqui uns 300 anos as coisas estivessem um pouco melhores.

Isso quem me disse foi meu pai. Ele me disse que o ser humano é inerentemente mau. Ele não acredita na teoria do bom selvagem de Rousseau. Ele acredita  que Thomas Hobes tinha razão quando dizia que “O Homem é o Lobo do Homem”. Talvez ele tenha razão… não sei…

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao