magczlam3z2kj93qtabj

Fala terráqueos como vão vcs??? Espero que vcs estejam bem! Antes de mais nada se vc está lendo este texto no Facebook Clica no link aqui embaixo para ler o texto completo. Eu tô legal… Hoje é dia de contarmos mais um daqueles causos de família que o pessoal que me conhece sempre diz: Mentira que aconteceu assim… e eu digo… não é mentira não, é verdade. Toda a família tem suas histórias engraçadas, e a minha não é diferente das outras… como diz o velho ditado: “Toda a Família é igual, mas a da gente é mais legal.” Então bora pra história de hoje…

Desde que eu me entendo por gente a gente mora aqui nesse apartamento e desde que eu me lembro, tem feira na rua de casa. E desde que a gente (eu e meus irmãos) tem uma certa idade como a feira-livre é em frente da nossa casa, algumas coisas em algumas barracas a nossa mãe mandava a gente comprar as coisas na feira. Uma das coisas que a gente mais comprava para ela era… banana… porque banana, vamos e convenhamos, é fácil de comprar. É diferente vc comprar banana e vc comprar tomate. Vc precisa ter uma certa expertise para comprar tomates, que para comprar bananas não é assim tão necessária.

E eu me lembro que a minha mãe gostava que a gente comprasse banana nanica. E eu me lembro que o Carlos o meu irmão, ele detestava ir na feira. Aliás ele detesta até hoje, ele detesta diversos trabalhos domésticos. Eu acho que um dia quando ele tiver a casa dele e morar sozinho, nunca mais ele vai na feira na vida dele… ele só vai na feira toda a semana porque eu obrigo ele hahahaha… mas voltando pro tema… ele odiava ir à feira comprar bananas.

E como a gente mora no mesmo lugar há muitos anos,  acaba que os feirantes que trabalham nas bancas em frente ao seu prédio já conhecem vc, conhecem a sua família… e sempre que a minha mãe mandava o Carlos comprar banana na feira, ela falava pro Carlos assim: Carlos é pra trazer banana nanica… e ele achava que banana nanica era aquela menorzinha de todas, que é a banana maçã… Então toda a vez que ela mandava ele na feira ela tinha que lembrar ele que a banana nanica era a maior que tinha na banca (porque na feira aqui de casa pelo menos não é muito comum ter banana da terra que é aquela grandona…) então ela sempre falava pra ele… Que era pra ele trazer banana grande e gorda… e sério o Carlos era tão desligado que se ela não falasse para ele toda a vez, ele trazia a banana errada.

E virava e mexia ela esquecia de falar para ele, ela dava a grana para ele, ele descia as escadas e ela lembrava, ai caramba, eu esqueci de falar pra ele qual era a banana nanica. Então ela corria na janela e gritava pra ele: Carlos! Grande e gorda! E ele lá de baixo gritava de volta: Tá bom mãe! E ele ia na banca de banana e comprava a banana. O rapaz da banca já sabia, qual banana a minha mãe queria e quanto ela queria e já separava quando ele via o Carlos chegando…

Então um dia acontece como sempre essa cena, e quando a minha mãe coloca a cabeça pra fora da janela. Ela grita: Carlos!!! Ele olha para cima… e os feirantes da banca de banana gritam de volta… Grande e Gorda Carlos!!! E todo mundo cai na risada… Depois desse dia não me lembro de minha mãe ter gritado pra ele pela janela.

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao