carmilla

Fala terráqueos como vão vcs??? Espero que vcs estejam bem! Antes de mais nada se vc está lendo este texto no Facebook Clica no link aqui embaixo para ler o texto completo. Eu tô legal… Semana passada eu fiz uma resenha sobre o livro Drácula que eu li enquanto eu estava presa na UBS esperando ser atendida para pegar os insumos da diabetes, acontece que deu problema lá e eu tive que voltar lá essa semana e eu fiquei de novo esperando para ser atendida… e um amigo meu que leu meu texto sobre o Drácula me recomendou ler vários outros livros que falam de vampiro, e alguns deles são anteriores ao Drácula de Bram Stoker.

Não sei se terei tempo de ler todos eles ainda este ano hahahahahha mas eu anotei a lista de recomendações e baixei alguns e deixei salvos aqui no meu celular para qualquer eventualidade eu ter eles sempre à mão. A maioria dos livros são bem curtinhos, dá para ler rapidinho e como essa semana eu fiquei novamente presa cerca de uma hora na UBS de novo eu consegui terminar de ler mais esse.

Primeiramente deixa eu dizer que este livro nem tava na minha Meta de Leitura pro ano… Mas como eu já disse anteriormente, de vez em quando alguns livros aparecem ou porque eu tropecei neles na internet, ou porque eu ganhei eles de alguém ou porque me recomendaram e eles meio que pulam na frente da fila. É o caso do livro de hoje que se chama “Carmilla” do autor irlandês Sheridan Le Farnnu que era um cara que escrevia contos góticos de terror e basicamente é isso que eu sei sobre este sujeito hahahahaha. Esse livro foi escrito em 1872… mais de dez anos antes de Drácula (que é de 1897) e pelo que eu andei lendo nas internets da vida além de inspirar-se na vida de Vlad o impalador, Bram Stoker também se inspirou na obra de Le Farnnu para criar o seu Conde Drácula.

A história de Carmilla é bem mais curta que a de Drácula, é na verdade  uma novela de ficção gótica, nem chega a ser um romance. E ela conta a história de Laura,  que vive num local isolado, sem muita diversão nem companhia até que um dia o tédio de seu cotidiano é interrompido com a chegada de uma moça misteriosa chamada Carmilla (que mais adiante vamos descobrir que é uma vampira). Onde quer que Carmilla vá eventos estranhos acontecem e mortes inexplicáveis começam a acontecer nos vilarejos próximos da casa de Laura.

Existem diversas semelhanças entre as duas obras… entretanto Carmilla é uma história bem mais simples, os personagens não são tão trabalhados quanto os personagens de Bram Stoker. Carmilla entretanto tem algumas características importantes, primeiramente ele apresenta a primeira vampira mulher da literatura mundial, marcou a literatura gótica da época e assim como Drácula, obra posterior, foi adaptada diversas vezes para o cinema e outras produções.

Eu achei a história interessante, mas… como eu disse, os personagens e a história em si não são tão trabalhadas quanto as da obra de Bram Stoker. Eu acho que se a história fosse mais longa e mais detalhada talvez fosse um pouquinho mais interessante… Como a obra de Bram Stoker ela é narrada pela personagem de Laura, então a gente acaba por refletir as dúvidas da personagem. Laura passa as suas impressões das pessoas e dos fatos ocorridos. A gente não tem a versão de nenhum outro personagem, o conflito interno de nenhum outro personagem, então a narrativa fica unidimensional… o que não é um defeito por si só… mas acaba por deixar a história meio rasa… pelo menos para mim. Então, no final das contas, podemos dizer que o maior feito dessa obra, foi inspirar Bram Stoker a criar o seu Conde Drácula…

 

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao