brasilrachado

Fala galera beleza? Este post vai começar de um modo diferente e vai ser postado num horário nada usual também porque eu queria falar umas coisas. Primeiramente, deixa eu contar uma história aqui para vcs. É uma história um tanto quanto longa… mas acho que ela merece ser contada. Vai ser um post bem longo, se vcs quiserem pular e nem ler eu entendo… ainda mais porque eu vou falar de política e eu acredito que como eu, a maioria de vcs estão de saco cheio deste tema. Depois desses meses todos de tensão de loucura na internet e nas ruas… acho que precisamos de um descanso. Este post vai ser publicado por volta das 21h00, muito provavelmente ainda não saberemos quem venceu no segundo turno… mas quem venceu não vem ao caso.

Em 1989 tivemos a nossa primeira eleição direta para presidente da república.  Eu tinha 13 anos na época, não podia votar e me lembro do alvoroço que foi… os adultos sempre discutindo política e o Collor versus o Lula. Eu não entendia nada.

Depois veio a eleição de 1994 e eu então com 18 anos pude votar pela primeira vez. Uma coisa que o brasileiro geralmente não faz… ele não se lembra em quem ele votou na última eleição… para todos os cargos. Eu me lembro, especialmente para cargos de presidente, governador, prefeito… eu sempre lembro… Vereadores, Deputados e Senadores eu não me lembro porque eu geralmente voto na legenda do candidato que eu votei pro cargo Executivo… então, se para Prefeito por exemplo, eu votei no fulano do partido X, para vereador eu vou votar no mesmo partido por questões de governabilidade. E desde a primeira vez que eu votei, eu procurei votar de acordo com a minha consciência. Eu me lembro dos candidatos da eleição de 94 que me chamaram a atenção o Enéas claro (pela figura excêntrica que ele era – mas eu me lembro de achar as ideias dele bem interessantes), eu achava que ele tinha conteúdo. Mas aos 18 anos eu ainda não manjava muito de política ainda.

Eu me lembro de o Lula, o Brizola, o Fernando Henrique (que acabou ganhando) e o Quércia… tinhas uns outros mas eu não vou me lembrar agora. Eu votei no Enéas… eu lembro que minha família me xingou de doida, eu não me lembo em quem a galera de casa votou. Mas enfim o Fernando Henrique ganhou. Depois quando ele se candidatou para a re-eleição, eu, aos 22 anos como a maioria dos brasileiros estava bem contente com o governo dele… Então, apesar de continuar achando o Enéas um cara extremamente inteligente eu votei dessa vez no Fernando Henrique, eu queria que ele continuasse o bom trabalho.

Depois disso, nas eleições de 2002 tínhamos o candidato do Fernando Henrique, o Serra, e o Lula… tinham outros candidatos mas no final das contas ficou entre esses dois a disputa mesmo. E eu, pela primeira vez na minha vida, votei no PT. Eu realmente achei que o PT fosse trazer mudança e uma vida melhor, especialmente para os pobres e para a população do nordeste e dos extremos do Brasil, que geralmente são esquecidas pelos governantes que ficam sentados nas suas torres de marfim sem se preocupar com as pessoas. E eu votei novamente no Lula em 2006.

Eu não me considero Petista, mas eu acho que o governo tem que diminuir esse abismo de classes e na época eu acreditava que o partido dos trabalhadores realmente tinha interesse de fazer isso. E os programas sociais implantados me davam esperança de que as coisas estivessem indo no caminho certo. Mas não estavam… Politicamente falando eu me considero de centro esquerda… às vezes eu pendo pra centro direita… eu estou sempre flutuando entre ambas. Mas eu não acredito em extremismos, não acredito na extrema direita nem na extrema esquerda. Nada que é extremo pode nos levar pra um bom lugar.

Então depois do Lula veio a Dilma. E eu não votei nela porque sinceramente… eu achava a mulher muito burra, burra pra caralho caramba. Eu estavas bem desapontada com os governos do PT e resolvi não votar mais no partido para cargo nenhum… Eu estava bem desapontada com os governos do PSDB também… eu resolvi nunca mais votar em nenhum dos dois partidos…

Naquela eleição de 2010 eu votei no Plínio de Arruda Sampaio… que já tava tão velhinho que faleceu em 2014. Mesmo que ele tivesse ganho ele não teria governado os 4 anos. Votei nele no primeiro turno e Nulo no segundo. E em 2014 eu votei no Eduardo Jorge do Partido Verde no primeiro turno e Nulo no segundo… Porque eu sou totalmente contra aquele voto… vou votar no fulano só para o beltrano ganhar… Eu venho votando nulo tem bastante tempo. Especialmente no segundo turno… quando os dois candidatos mais votados representam, cada vez mais, polos tão opostos de opinião que é impensável para mim votar neles.

Essa última eleição foi a pior de todas. Desde o primeiro turno, eu não me identifiquei com nenhum dos candidatos. Mesmo o candidato do Partido Novo, o João Amoedo, que todo mundo dizia que era uma vertente nova, que era realmente um cara que merecia uma chance. Eu até achei as propostas dele bem bacanas, mas… ele pessoalmente… o cara é um banqueiro ricaço, que investiu sei lá quantos milhões na própria campanha. E que não tinha experiência nenhuma em Administração Pública. Eu tinha lá as minhas dúvidas, ele pode ter sido um banqueiro excelente, mas isso não é garantia nenhuma de que ele seria um  bom presidente. E por que um cara desses investiria milhões em campanha para se eleger se ele não tivesse interesses particulares? Hum? Fiquei desconfiada… como diz o velho ditado, gato escaldado…

Eu tive aula de Educação Moral e Cívica e OSPB na escola, coisa que muitos alunos não tem hoje em dia e o que os torna incapazes de compreender como funciona a política e os políticos. As aulas de história também são tendenciosas… quem conta a história é sempre o lado vencedor não é mesmo. A história sempre tem dois lados e a verdadeira história é uma mistura desses dois lados. Essas últimas eleições foram as piores para mim, desde o primeiro turno, eu não encontrei nenhum candidato no qual eu pudesse votar e que estivesse em consonância. 

Eu tenho lido tanta asneira nas internets da vida esses últimos dias… Eu vi pessoas dizendo que quem votava Bolsonaro era a galera rica, e que quem votava no Haddad era gente pobre. Incitando a luta de classes (que existe, que é real, mas que nesse caso a afirmação é tão inverídica). Andando de busão por São Paulo esses dias todos, esses meses antes da eleição só o que eu ouvia, da população pobre, que pega condução, que vai todos os dias trabalhar pendurado, espremido pra ganhar salário mínimo, dizendo… tem que votar no Bolsonaro mesmo porque quem sabe ele coloca um fim nesses bandidos. Galera reclamando do pancadão no final de semana, da venda de drogas que não deixam eles dormirem em paz, nem transitarem em paz na própria rua.

Enquanto que muitos amigos meus que são classe média alta, vão votar no Hadddad e defendem os governos petistas com unhas e dentes. Essa galera que tem carro, que viaja para passar as férias na Disney. Então… bobagem qualquer pessoa acreditar mesmo que existe essa diferença de perfil nos eleitores dos dois candidatos mais votados em primeiro turno… Diversas pesquisas apontaram, que o eleitorado de um tem mais escolaridade que o eleitorado de outro… mas isso não significa necessariamente que o eleitorado deste tenha mais poder aquisitivo que o daquele. Enfim, tá tudo uma bosta. E o nosso voto é uma carta dizendo, eu confio nesse cara aqui para fazer o melhor governo possível.

Galera de ambas as vertentes, esquerda e direita estão atacando que quer votar nulo ou branco. Chamando todo mundo de “Isentão”… e que se a gente ‘ficar em cima do muro’ seremos culpados pois os outros vão escolher por nós… Mas eu acredito que votar nulo, ou votar em branco também é uma demonstração de cidadania, também é democrático, e diz: Eu não concordo com nenhum dos candidatos, nenhuma das propostas, nenhuma das ideologias que estão sendo apresentadas. Eu não sou isento, eu estou descontente com a opção de candidatos que se apresenta. Se para muitos isto significa ser “Isentão” que seja, cada qual com a sua opinião. Eu sempre votei de acordo com as minhas crenças, de acordo com o que eu achava ético e correto e não vou mudar minha postura agora. Quem quer que ganhe essas eleições eu sinceramente espero que fala um bom governo para o nosso país, para o nosso povo, mas ninguém dessa galera aí me inspira confiança, nenhum dos dois candidatos merece o meu voto.

Eu sou obrigada por lei a votar. Entretanto, se as únicas duas opções de candidato que eu tenho são: Ou o candidato da esquerda, que representa a corrupção e a roubalheira (porque sim, o Haddad está sendo investigado por caixa 2 na campanha para eleição para prefeito de São Paulo e tem 32 processos contra ele no TJ-SP). Ou o candidato que representa discriminação e truculência, e que também não é nada novo pois também está há mais de 30 anos na política e também está sendo acusado de caixa 2 na campanha… Eu preferi, não dar meu voto para nenhum deles. Eu sei que só o meu votinho, sozinho, não faz a menor diferença no panorama geral das coisas.

Mas, eu já me arrependi amargamente de votar no PSDB, já me arrependi também de ter votado no PT. Errar é humano, persistir no erro… vcs conhecem o ditado certo? E por isso eu não vou votar no PT novamente. Nem no PSDB. E no PSL, partido do Bolsonaro… eu nunca votei, mas não quero me arrepender de ter votado nele daqui uns anos, se os temores dos meus amigos de esquerda, de Ditadura, de golpe de Estado e tudo mais se confirmarem… Eu estou escrevendo este post uma semana antes das eleições… Então este é meu posicionamento agora. Pode ser que eu mude de ideia até o momento do voto (eu duvido que eu vá mudar em cima da hora, lá na cara da urna… mas tudo pode acontecer não é mesmo?). Mas como eu disse, eu espero que quem ganhar, seja quem for… que o cara faça um bom trabalho.

Atualização: Bolsonaro ganhou… eu espero sinceramente que ele faça um bom governo. Quem votou e quem não votou nele tem o dever e o direito de fiscalizar o governo dele (assim como teria que fiscalizar o do Haddadd se ele tivesse ganho) e de substituí-lo se ele for um mal governo. Eu aqui permaneço, torcendo pelo melhor. Espero que meus amigos que votaram na esquerda estejam enganados e este país não se torne uma ditadura. Ele não é o salvador da pátria, ele não me parece ter respostas para os nossos problemas, mas eu espero que ele faça alguma coisa para melhorar a situação na qual nos encontramos. 

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao