negrasraizes

Fala terráqueos como vão vcs??? Espero que vcs estejam bem! Antes de mais nada se vc está lendo este texto no Facebook Clica no link aqui embaixo para ler o texto completo. Eu tô legal… Vaos falar de uma coisa que eu amo e que faz um tempinho que eu não falo porque eu ando bem sem tempo mesmo… Bora falar de livros…

Mas o livro que vamos falar hoje, não faz parte da minha meta de leitura… diferentemente do que eu costumo fazer, que é falar de livros que eu acabei de ler ou que eu estou lendo ou que eu pretendo ler… hoje, vamos falar de um livro que eu li várias e várias vezes na vida… e este é o livro “Negras Raízes” do escritor norte americano Alex Haley…

Houve um tempo na minha vida, quando eu era bem criança, que a gente era bem pobre. A minha mãe ralava pra caramba pra me bancar, mas ainda assim ela precisava da ajuda dos meus avós. E graças a Deus e aos meus avós não faltou nunca nada para mim… mas a gente também não tinha grana para brinquedos caros, nem livros… porque livros também eram caros… sempre foram. Por mais que eu adorasse ler, os únicos livros que eu tinha acesso eram os livros da biblioteca perto de casa e um monte de livros (que eu tenho até hoje) que minha mãe comprava usados para mim num sebo que ficava ao lado do trabalho dela quando sobrava algum dinheirinho.

Fora isso, às vezes algum vizinho ou algum amigo do trabalho da minha mãe tinha um livro que não queria mais e levava e falava, Cris (minha mãe) vc quer? Porque a galera sabia que eu era uma traça de livros. E virava e mexia ela chegava em casa com um livro novo para mim… eu não sentia falta de ter brinquedos caros, e livros como vcs podem ver não me faltavam, mesmo a gente não tendo tanta grana. E um desses livros usados que eu ganhei… foi este… De vez em quando… a gente nem ganhava livros, e nem tinha grana pra livros usados, então o que eu fazia? Eu relia os livros que eu já tinha lido… e este livro foi um que eu perdi a conta de quantas vezes eu o li.

Eu não me lembro exatamente quantos anos eu tinha a primeira vez que eu li este livro… mas eu me lembro que eu era criança demais para entender toda a questão da escravidão que ele abordava.  Neste livro, o autor conta, de forma romantizada, mas ao mesmo tempo bem próximo da realidade, a trajetória de sua família desde o primeiro homem que foi roubado nas selvas africanas, trazido para os Estados Unidos e vendido como escravo… até que depois de muitos anos, depois de adulto o autor Alex Haley, refaz o caminho do seu ancestral e consegue conhecer e visitar a aldeia de onde seu ancestral foi roubado quando jovem. Graças ao hábito de sua família de contar… oralmente para a geração futura a história de Kunta Kinte, o ancestral roubado da África.

Uma memória emotiva que eu tenho desse livro é que toda a vez que meus livros acabavam, que eu já tinha lido todos os livros que minha mãe tinha trazido para mim eu pegava esse livro e lia ele novamente. Daí ela me via com esse livro na mão e me perguntava. Mas vc já acabou de ler os livros que eu te trouxe para ler? Eu dizia que já e ela falava, e vai ler esse livro de novo? Eu, sim… daí no dia seguinte ela trazia mais livros para mim… quando era possível claro.

É um livro muito bom… se vcs nunca leram. Eu recomendo grandemente ele para vcs… Entretanto deixa eu avisar que são gerações de uma família por isso mesmo este livro é bem grande… são mais de 700 páginas se eu bem me lembro… Mas não desanimem porque a história é bem bacana, a linguagem é bem simples e a leitura é bem fluída. Leiam é muito bom, muito bom mesmo.

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao