magczlam3z2kj93qtabj

Fala terráqueos como vão vcs??? Espero que vcs estejam bem! Antes de mais nada se vc está lendo este texto no Facebook Clica no link aqui embaixo para ler o texto completo. Eu tô legal… Tirando o dia para descansar, porque eu tava cansada para caramba… pela primeira vez em muito tempo eu tirei o dia para não fazer nada. De vez em quando é isso que a gente precisa fazer na vida… simplesmente nada. A gente se deixa levar pela correria do dia a dia e se perde nas coisas que temos que fazer e esquecemos que também temos que descansar.

Mas como sempre nem era disso que eu queria falar… eu queria descansar e me divertir hoje, e escrever para mim é sempre divertido. Então, aqui estou eu… escrevendo alguns textos para o blogue e assistindo alguns filmes que eu estava querendo ver tem um tempo… e eu me lembrei de uma história engraçada que aconteceu comigo e com o meu irmão e eu resolvi contar ela aqui para vcs no post de hoje. O Carlos, meu irmão… é uma das pessoas mais engraçadas e bem humoradas que eu conheço no mundo. Tá certo que eu não conheço tanta gente assim, mas isso não vem ao caso…

Ele é aquele cara amigo de todo mundo, toda e qualquer pessoa que vem falar com ele, ele para, conversa, dá atenção… E ele tem o dom de atrair diversos tipos de pessoas para ele… E várias vezes a gente tá na rua andando, e moradores de rua, ou pessoas com problemas mentais vem falar com ele… e ele para e responde. Então um dia a gente estava voltando da faculdade… uma tarde, eu nem lembro o que é que a gente tinha ido fazer na faculdade. Se eu não me engano a gente tinha ido estudar na biblioteca num sábado… então a gente estava voltando pra casa.

A gente resolveu ir andando até a estação de metrô mais próxima e no meio do caminho a gente parou para comprar um refrigerante e um salgado num trailer de cachorro quente e a gente veio comendo pelo caminho. E no finalzinho do caminho… quando a gente estava chegando na estação já… só tomando o refrigerante de latinha porque o cachorro quente já era… a gente cruza com um morador de rua que ou era meio louco ou tava meio bêbado, ou fora de si não sei…

E o meu irmão passou olhando pro cara, e o cara vira e fica olhando pra ele de volta. Mas não simplesmente olhando… eles ficaram meio que se encarando. E eu não lembro o que foi que o cara falou com meu irmão, mas eu sei que ele respondeu alguma coisa (que eu também não lembro) e o cara meio que falou pro meu irmão… Eu, me dá esse refrigerante aí mano.. e o meu irmão falou… não mano…  e o cara ficou doido, ficou bravo, ficou furioso mesmo e começou falar um monte de impropérios… Daí a gente meio que aumento a velocidade dos passos e eu disse pro Carlos… Aff Carlos vc e sua mania de ficar encarando gente doida olha o que vc fez.

E o cara pistola todo da vida, falando um monte, que nem dava pra entender o que ele tava fando. Começou a andar atrás da gente a literalmente perseguir a gente. Eu olho para trás e o cara tá na nossa cola… E eu olha o que vc fez Carlos agora o cara tá segundo a gente. E ele falava… Volta aqui meu, me dá essa coca!!! Eu comecei ficar com medo daquela situação… e o Carlos começa a dar risada que nem um doido e diz… Aff o mendigo quer pegar a gente, corre!!! Sério… ele simplesmente me mandou correr… e saiu correndo e rindo. E eu né… corri também. E o mendigo gritando e correndo atrás da gente… Eu só sei que a gente chegou na estação correndo, subimos as escadas rolantes da estação do metrô Carrão correndo com o cara em nosso encalço…

Para quem conhece a estação em questão. Tem assim a Avenida Radial Leste… e tem uma passarela enorme que atravessa a Radial e vai lá pro outro lado… e a gente atravessou correndo toda essa passarela enorme com o cara no nosso encalço. Quando chegamos na escada que descia para dar acesso à Radial sentido bairro… eu peguei, meu irmão doido pelo braço e falei… por aqui, por aqui… descemos a escada à pé correndo e eu consegui, arrastando o cabeçudo que tava rindo ainda… me misturar com a galera que tava no terminal e o mendigo doido perdeu a gente de vista… eu entrei atrás de uma lotação, depois de outra e a gente foi assim abaixados, escondidos para ele não ver onde a gente estava… e atravessamos todo o terminal e fomos para a avenida…

Ele desceu… procurou a gente, ele tava pistola mano… mas ele não encontrava mais a gente… então ele subiu de volta para a passarela e lá de cima ele ficou um tempão procurando a gente. E eu… putz Carlos, olha o que vc fez… e ele rindo ainda. Pára de rir abestado o cara tá caçando a gente… Nisso, a gente conseguiu chegar até o ponto de ônibus e um ônibus que vinha aqui para casa passou e a gente pegou ele… e finalmente conseguimos escapar da perseguição…

Hoje, contando… eu acho graça… mas, na hora não foi nada engraçado galera… cada uma que meus irmãos me aprontam, viu que se eu contar… parece mentira. Bom, esse foi o ‘causo’ de hoje… qualquer outro dia desses eu conto mais uma dessas histórias malucas para vcs. 

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao