a

Fala terráqueos como vão vcs??? Espero que vcs estejam bem! Antes de mais nada se vc está lendo este texto no Facebook Clica no link aqui embaixo para ler o texto completo. Eu tô legal… Hoje é sexta-feira, dia de filme… Mas espere um momento Shao, vc já postou dois filmes hoje. Sim eu sei… E vai ter mais filme hoje? Vai… e sabe por que? Porque eu resolvi duas coisas hoje, a primeira é que tem uns filmes que eu quero rever e a segunda é que eu vou tentar a partir dessa sexta-feira postar em vez de dois… três filmes nas sextas-feiras. E por que isso Shao???

Porque eu já vi tanto filme esse ano que já tô com praticamente todas as sextas-feiras do resto do ano com dois filmes agendados, os filmes que eu assistir daqui para frente eu vou colocar como terceiro filme nas sextas beleza? Beleza então… Pode ser que eventualmente eu não tenha tempo, então pode ser que nem toda sexta tenha três filmes mas com certeza dois terão… talvez o terceiro filme eu reserve para aqueles filmes que eu de vez em quando pego para rever beleza?

O que é o caso do filme de hoje, “A Bruxa” – Eu já vi esse filme e eu já fiz um post sobre ele, mas eu devo confessar que a primeira vez que eu vi esse filme eu não entendi direito todas as referências e simbologias do danado do filme. Então… depois de eu ver videos de resenhas e ler algumas críticas sobre o filme eu resolvi revê-lo e… minha opinião mudou por isso eu resolvi escrever um novo post sobre ele. Se vcs quiserem ler o post antigo clique aqui. E se vcs quiserem ler todos os posts que eu fiz sobre filmes… só clicarem aqui… tem a lista de posts sobre filmes.

Como eu já disse, no post original, quando saiu o trailer desse filme eu combinei com o meu irmão de ir ver o filme, mas no final acabamos não indo ver. Uma coisa eu continuo entretanto achando a mesma coisa… é um filme paradão… o ritmo dele é bem lento. E talvez eu não tenha compreendido o filme justamente por isso porque ele é lento e eu perdi a paciência e pulei umas partes hahahahaha. Ele mostra uma realidade bem terrível e bem assustadora do que era viver numa sociedade cheia de preconceitos e crendices que acreditava que forças do bem e do mal estavam atuantes no dia a adia das pessoas da sociedade e tal.

O filme tem uma proposta diferente de terror, geralmente os filmes de terror dão tudo mastigadinho pra gente, este não… ele apresenta um monte de simbolismos e vc tem que interpretar muita coisa. Se vc não trem costume (e paciência) de analisar esses pequenos detalhes, vc não vai gostar desse filme… vai fazer que nem eu da primeira vez… ai que filme chato, que filme besta, não curti… Mas, agora que eu revi… depois de devidamente procurar um video na internet que explicava as simbologias que eu não tinha entendido… agora eu posso dizer (escrever na verdade) que o filme é bem legal. E ele é legal exatamente porque ele é bem diferente da grande maioria dos filmes de terror… especialmente dos filmes de terror de bruxa. Aliás, se vcs quiserem assistir o filme e entender o filme e não se importarem com spoilers eu recomendo vcs assistirem os dois vídeos que eu vou deixar lincados para vcs entenderem a simbologia e porque o filme é bacana justamente por ser diferente ( vídeo 1 ), ( vídeo 2 ).

Mas enfim… a história do filme é mais ou menos assim: Uma família, por conta de discordâncias religiosas com os membros da comunidade é expulsa do seio de uma pequena cidadezinha. O pai da família pega a mulher e os cinco filhos e vai embora para o meio do nada… na beirada da floresta. O motivo pelo qual eles saíram, foram expulsos da cidade, não fica bem claro… mas tem alguma coisa pecaminosa envolvida… e a família já tem dentro de si aquela sensação de oh, nós estamos amaldiçoados. Ele constrói uma casa, um celeiro, tudo muito simples e uma plantação… mas… infelizmente as coisas começam a dar tudo errado para a família. Em primeiro lugar, a plantação deles estraga toda praticamente, o inverno está para chegar e o pai começa a temer que a sua família irá passar fome.

Então um dia a filha mais velha Tomasin, está tomando conta do bebê da família Samuel e então ele desaparece. Se vc assistir a cena com cuidado vc vê que ela não vê quem pega o bebê ela só vê o mato se mexendo na estradinha e na floresta. Aí corta a cena e vc vê uma figura, num manto vermelho, meio que fugindo pela floresta levando o bebê… e depois o filme te mostra… insinuando, que a bruxa matou o bebê (o filme não mostra literalmente) e fez uma meleca lá com o sangue e a gordura do bebê e ela passa aquela meleca nela… e aí tá instaurada a contenda no meio da família… A mãe e o pai e os irmãos começam a achar que Tomasin foi culpada do sumiço do irmãozinho.

Mas como azar pouco é bobagem não é mesmo. Então outras coisas terríveis vão acontecendo na fazenda. Os pais então começam a se perguntar se não seria bom eles mandarem a adolescente Tomasin trabalhar na casa de uma família qualquer da cidade, seria uma grana extra pra eles e uma boca a menos para alimentar. Tentando ajudar a irmã para que ela não tenha que ir embora como empregada, o menino Caleb e a irmã entram na floresta para tentar caçar alguns coelhos, para a família comer a carne e vender as peles. E eles até conseguem caçar alguma coisa… mas, no meio da caçada… o cachorro some, o cavalo que carregava a menina se assusta joga ela no chão, ela desmaia e o cavalo sai correndo. O moleque sai correndo atrás do cachorro… e se perde. E quem acha o moleque na floresta? A bruxa claro…

Caleb no caso é um moleque criado de forma extremamente rígida e religiosa e ele tá chegando na adolescência e percebendo mudanças no seu corpo e para sua própria vergonha no corpo da irmã. E ele se culpa por isso… na hora que ele é pego pela bruxa na floresta, ela pega o moleque e o beija, e o filme dá a entender que a bruxa abusa sexualmente do menino. Tanto que horas depois, bem tarde da noite, ele reaparece na fazenda, completamente nu e não falando coisa com coisa.

A família fica então, dias tentando melhorar o menino mas ele vai piorando, piorando, ele começa a delirar em febre e se vc prestar bastante atenção no que menino está falando, ele tá praticamente descrevendo o estupro, ele descreve o que a bruxa fez com ele. E no final ele começa a gritar. Pecado! Pecado! E vc pensa, putz o moleque ele tá doente com febre porque ele tá se culpando pelo ato pecaminoso que a bruxa cometeu com ele. Justamente porque de todos os personagens o Caleb é aquele que mais se sente culpado pelos seus pecados. O pai e a mãe, eles fazem pecados também, e eles tentam ensinar os filhos que não devem fazer isto e aqui, e fazem com que eles se sintam culpados mas eles o fazem sem se sentirem culpados, mas… se vc observar bem, eles são bem hipócritas o que fica bem claro numa cena entre Tomasin e o pai mais adiante no filme quando ele a acusa de ser bruxa e ela joga na cara dele todas as suas mentiras e pecados.

Já o Caleb não, ele realmente se sente culpado por olhar para a irmã, por mentir, ele morre de medo de ir para o inferno e ele absorve toda a culpa que os pais jogam sobre os filhos todos e ele verdadeiramente se sente culpado. Por isso a febre e a doença depois de ter sido estuprado pela bruxa quando ele volta para casa, é a forma que a mente dele encontra se se auto punir. E quando num estado de delírio absoluto ele vê Deus e Jesus o perdoando ele entra num estado de êxtase e morre…

Daí em diante, a mãe que já estava surtada vai ficando cada vez mais surtada, os gêmeos começam a berrar que a irmã mais velha é uma bruxa, que o moleque morreu enfeitiçado. A menina mais velha devolve a acusação falando que os menores que ficam conversando com o bode preto da família. O pai fica doido daí ele pega os três filhos e tranca eles no curral com o bode. Daí ele e a mulher vão enterrar o filho. E daí para frente as coisas desabam ladeira abaixo… eu não vou contar o que acontece daqui para frente, porque já é o finalzinho do filme se vcs quiserem saber o que acontece vejam o filme. Caso vcs não entendam vejam os videos do YouTube que eu coloquei o link acima. O filme é bom, é bacana, mas… de primeira eu não entendi e por isso eu achei chato e ruim. Mas o filme é muito bom… e ele acessa as questões de terror de uma forma diferente.

Todas as narrativas de bruxas da história tem histórias horríveis, são muitas vezes mais assustadoras que as de vampiro e lobisomem, porque as bruxas representavam no imaginário cristão da idade média a mulher casada com o diabo. E essa criatura, ora de aparência linda e sedutora ora de aparência decrépita e assustadora fazia coisas horrendas com criancinhas e destruía famílias, e enlouquecia os homens e roubava das ‘mulheres direitas’ seus maridos, seus filhos e então as seduzia para também servirem a satã.

Nesse mesmo imaginário, lembrem-se… qualquer mulher, que fosse inteligente, que falasse o que pensava, que pensasse por si própria e não seguisse o pai e o marido de cabeça baixa, que questionasse qualquer coisa e principalmente o seu papel na sociedade era considerada uma bruxa… Nesse sentido, muitas análises filosóficos consideram a imagem da bruxa como o arquétipo máximo do feminismo… questionador, desafiador que ousava ser livre em todos os sentidos enquanto a sociedade lhe impunha um papel completamente diferente. Mas eu nem vou entrar nesta questão agora porque é muito complexa. Assistam o filme… é bem bacana, eu recomendo ele para vcs!!!

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao