chegada-banner

Fala terráqueos como vão vcs??? Espero que vcs estejam bem! Antes de mais nada se vc está lendo este texto no Facebook Clica no link aqui embaixo para ler o texto completo. Como vai indo a sexta-feira de vcs? Tá legal? Espero que esteja, para mim está tudo legal porque eu estou escrevendo este post num sábado, e sábado é aquele dia que a gente acorda mais tarde, toma banho sem pressa, toma o café assistindo TV num canal aleatório e depois vem para o Computador escrever um pouquinho… Mais tarde eu tenho coisas para fazer, entretanto meu dia só começa mesmo ao meio dia aos sábados. Pelo menos nos sábados perfeitos… nem sempre é assim como vcs sabem.

Mas como sempre nem era disso que eu queria falar hoje. Hoje é dia de falar de filme. Como vcs sabem eu estou numa vibe interplanetária e de ver filmes de ficção científica. Não Shao a gente nem tinha reparado… Não? Pois reparem, acho que este é o terceiro filme com essa temática que eu resenho aqui no blogue. Estre filme em especial me foi recomendado por trocentas pessoas. Porque o pessoal sabe do meu amor pela linguística e sabem que a Amy Adams é uma das minhas atrizes favoritas… eu demorei pra caramba pra ver porque eu estava sem tempo mesmo. Então agora que eu tenho que pelo menos uma vez por semana falar de um filme legal aqui para vcs, eu tô meio que tirando o atraso dos filmes que eu queria ter ido ver no cinema quando foram lançados e acabei não indo. Tô vendo todos eles agora.

Claro que de vez em quando escapa um filme, de vez em quando eu não tô na vibe de ver filme inédito, eu quero rever algum filme antigo… vcs também sabem da minha paixão por filmes antigos… Mas, dessa vez eu estava bem animada para ver este filme porque ele trata de uma invasão alienígena, que eu curto como vcs tb sabem e trata de de nós humanos e nossas sociedades retrógradas, tentando estabelecer uma comunicação com esses seres extraterrestres. O filme começa com aquela vibe, eles chegaram, de onde vieram e o que querem aqui? São amigos ou inimigos? Devemos tentar lutar, tentar destruir eles ou tentar uma aproximação pacífica. E… como fazemos isso? Clássico… nos filmes com essa temática.

Mas depois o foco do filme muda totalmente e foi o que me surpreendeu agradavelmente neste filme. Ele então começa a focar na comunicação com os aliens, e em todas as técnicas envolvidas para estabelecer uma efetiva comunicação com essas criaturas. Para tal o governo americano vai atrás de uma das maiores linguistas do país e de um físico. E juntos eles conseguem… depois de bastante tempo e empenho decifrar o alfabeto dos alienígenas, a forma como eles se expressam, sua língua escrita enfim (já que a língua falada deles são um monte de sons e grunhidos que eles não conseguem entender).

378188

Enquanto isso, os Governos do mundo e seus exércitos e a tensão toda que a chegada dos alienígenas está causando nas pessoas, que começam a acreditar que é o fim do mundo e que eles vieram para destruir tudo… funciona como pano de fundo dessa árdua batalha de tentar estabelecer uma comunicação compreensível entre humanos e ETs. Quer dizer… a premissa é interessantíssima. A gente já tem dificuldades extremas em nos entendermos entre nós seres humanos. Vc pega um brasileiro e um japonês por exemplo é treta a comunicação. Imagina se comunicar com outras espécies… Ser humano consegue entender um leão? Um cachorro? Um macaco que é nosso ‘parente’ mais próximo evolutivamente falando? Então como é que a gente quer se comunicar com os ETs mano?

A parte Hollywoodiana do filme é justamente isto, os cientistas conseguirem estabelecer esse contato. Na vida real certeza que não seria assim. Se uns ETs chegassem aqui do jeito que chegaram no filme, iam se passar mil anos e a gente jamais ia aprender a conversar com eles. Enfim… eles conseguem estabelecer esta comunicação e começam a conversar com os alienígenas e eles dizem que vieram para dar um ‘presente’ para a humanidade. Mas em alguns lugares do mundo, por conta desse ruído na comunicação que acontece em qualquer conversa comum de bar… tipo, vc fala alho e a pessoa entende bugalhos, a palavra que é usada é ‘arma’ então os governos humanos começam a temer que esse ‘presente’ ou ‘arma’ seja usado pelos outros exércitos humanos.

Uma coisa que o filme tem que pode incomodar um pouco quem não curte tanto esse lado da linguística quanto eu é o ritmo bem lento. Para piorar o filme, com relação à história da vida da personagem principal… flutua entre passado, presente e futuro e se vc não prestar muita atenção vc fica… sem saber o que é que está sendo narrado, vc fica sem saber se é passado, se é presente se é futuro. Novamente a atuação da Amy Adams é ótima, eu já disse isso várias vezes e repito, essa mulher tinha que ganhar um Oscar.

Eu confesso para vcs que para um estudante de idiomas, de linguagens e de linguística é bem mais interessante do que para o público em geral. E pode ser por isso que eu achei o filme fantástico. Eu realmente recomendo para caramba esse filme. Ele é bem filosófico e introspectivo em alguns momentos… faz a gente refletir bastante sobre algumas coisas.

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao