benhur2016movie-wide

Fala galera… como vão vcs? Espero que vcs estejam bacaninhas… Gente, eu estou cansada, mas tão cansada, sabe aquela sensação de que vc sozinha empurrou o todas as pedras pra construir as três maiores pirâmides do Egito? Pois é… não tive coragem (na verdade não tive condições físicas mesmo) de ir nem um dia pra academia essa semana… Semana que vem com ajuda de Deus eu vou estar menos cansada e eu vou para a academia…

Mas, como sempre nem era disso que eu queria falar… Faz pouco tempo eu fiz aqui um post sobre um dos meus filmes favoritos… que é “Ben-Hur” (clique aqui para ler o post – ou procure no blogue pelo post, não faz muito tempo que eu publiquei esse texto). Lembram que eu disse há um tempo atrás, que os roteiristas de Hollywood andam sem imaginação??? Pois é… eles estão reciclando filmes para caramba… e eles resolveram o quê? Reciclar “Ben-Hur” eles refilmaram ano passado o clássico.

Quando eu fiquei sabendo que um dos meus filmes favoritos seria feito um Remake… Eu fiquei animada. Como vcs sabem eu não sou contra refilmarem os clássicos, sou até muito a favor, novas tecnologias surgem e uma cena de ação por exemplo pode ficar muito mais impressionante com elas. Mas, eu sou contra estragarem a história. E infelizmente fizeram isso com “Ben-Hur”. Primeiro… escolheram atores que (pelo menos neste filme) não demonstraram ter o mesmo talento do elenco original. Atores relativamente desconhecidos do grande público, mas até aí nenhum problema, desde que os atores segurem bem o filme o que neste caso não aconteceu. Atores mais famosos claro, levariam mais pessoas para o cinema…

Mas, enfim… eles mudaram para caramba a história. Jesus aparece para um caramba no filme e é interpretado pelo Rodrigo Santoro. Que fez um ótimo trabalho por sinal, o cara mais famoso do filme é o monstro Morgan Freeman, que fez um trabalho maravilhoso também… e eles dois são os dois destaques positivos do filme…

Mas voltando ao filme… a história base é a mesma. A amizade entre um jovem hebreu rico e um jovem romano pobre. O Romano vai para Roma e volta ganancioso e trai a confiança do amigo. Destrói a família dele e manda ele como escravo para sofrer anos e anos. O outro volta querendo vingança… e blábláblá… mas como eu disse eles mudaram coisa para caramba no filme.

Como eu disse Jesus aparece pra caramba no segundo filme. Aparece o rosto, ele tem fala… ele é bonitão, ele tem destaque. No primeiro filme Jesus aparece se eu não me engano quatro vezes, e em nenhuma vez aparece o rosto de Jesus… Na primeira vez aparece ele de costas dando água pro Ben-Hur, na segunda ele aparece de costas de novo pregando no Monte das Oliveiras e na terceira aparece ele carregando a cruz quando o Judá tenta dar água pra ele e na quarta aparece o vulto dele morrendo na cruz. Neste ele aparece pregando, falando no monte das oliveiras, ele fala… então… já tem essa diferença.

Outra diferença é que dessa vez Judá foge depois de ser escravizado e volta pra Judeia e ele fica solto de bola pela cidade e ninguém manda prender ele… o que não faz muito sentido. Ele não volta rico poderoso e intocável como da primeira vez (da primeira vez faz muito mais sentido, porque só assim ele pode enfrentar seu inimigo de igual para igual certo?).

A cena mais clássica do filme que é a cena da corrida de carruagens onde eles se enfrentam e que era justamente a cena que eu mais tinha expectativas para ver porque eu pensei, mano, com tanta computação gráfica eles devem deixar essa cena bem bacana. E foi bem decepcionante… eles não investiram tanto em tecnologia e a pessoa responsável pelas edição, pelos cortes não fez um bom trabalho… a cena no filme original deixa vc muito mais agoniado, preso do que a cena no filme novo.

E para completar a cagada… eles mudaram o final do filme. Sim… a parte final que era o que remetia à história ser contemporânea à vida de Jesus, eles mudaram… no filme original Messala morre e morre um cara mau. Antes de morrer ele diz ao Judá para procurar a mãe e a irmã no Vale dos Leprosos… como uma maneira de dar um último golpe no seu inimigo. Tipo, eu tô morrendo mas vc vai se ferrar porque sua família tá toda leprosa lá seu trouxa.

Na nova versão… o Messala não morre. Ele fica todo esfacelado… e ele perde uma perna e o Judá vê Jesus ser crucificado antes de ir ver o ex amigo esfacelado. Então… quando ele finalmente vai ver Messala, ele está cheio do amor de Deus, então eles se reconciliam e perdoam um ao outro e dá a entender no final que Messala perneta se casa com a irmã do Judá e eles todos vivem felizes para sempre. É um final mais de boas… é um final mais feliz, sim… mas faltou uma razão, uma motivação mais forte para haver esse perdão todo.

A pessoa não perdoa todo o mal que lhe foi feito simplesmente depois de ser esmigalhada pela utra numa corrida, não existe isso… Um cara ruim feito o Messala ia ficar ainda mais rancoroso… mas, essa é só a minha opinião. Eu recomendo que vcs vejam os dois filmes (é filme pra caramba, um tem três horas e o outro duas e pouco de filme) e vcs mesmo comparem qual é o mais bacana.

Uma coisa que me chamou bastante atenção também e eu não posso deixar de comentar foi a trilha sonora. A trilha do filme original… cem por cento melhor, mais adequada à emoção de cara momento. Como deve ser uma trilha sonora de um filme grandioso… Mas, como eu disse… vcs tem que julgar por vcs mesmo não acreditem apenas nas minhas palavras…

Vou terminando este post por aqui, porque hoje eu tirei o dia para editar textos do novo livro. Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao

Anúncios