fear

Fala galera como vão vcs… eu tô legal, morrendo de tendinite, mas… tô legal. Quer dizer, eu tive que colocar gelo na mão e no braço pra desinchar a danada pra eu conseguir continuar escrevendo hoje. Eu tenho matéria da pós pra copiar, dois posts de blogue pra terminar… tá corrido! E essa tendinite não me ajuda mano.

Eu fiz uma pausa aqui nos meus trabalhos para comer uma coisa e fazer geloterapia na tendinite e enquanto isso eu fui assistir uns videos no You Tube, e tem um YouTuber que eu sigo, que ele mora no Canadá… ele faz uns videos muito legais. E o último vídeo dele foi interessante porque eu já estava escrevendo um video mais ou menos sobre o mesmo assunto…

E foi interessante ouvir o ponto de vista dele sobre o assunto. Maiormente foi interessante ouvir um ponto de vista de uma pessoa que… Foi cristão e hoje não é mais sobre um assunto que geralmente só quem é cristão discute ou se interessa por isso. Mas calma… eu estou colocando o carro na frente dos bois… O nome do YouTuber é Izzy Nobre, cliquem no nome dele para conhecer o canal… é bem bacana, nem sempre eu concordo com o que ele diz porque eu sou cristã, mas é a opinião dele e todo mundo tem direito à sua e eu entendo como ele chegou a certos conceitos que hoje ele tem. 

Meu Post não é exatamente sobre o mesmo assunto… mas uma parte dele também é sobre o assunto. Post é sobre medos que temos quando somos crianças. Eu não era uma criança com muitos medos. Eu não tinha por exemplo, medo es escuro, nem medo, de assombração, coisas do além nem nada… Meus medos eram bem mais racionais… quase todos… eu acho. Eu quando era criança… morria de medo de barata, rato, de ladrão… essas coisas…

Não sei como é em outros cantos do Brasil, mas crescendo em São Paulo os pais e mães da gente colocam um medo miserável na gente de ladrão, bandido, tarado, estuprador… essas coisas… É sempre, não fica na rua até tarde, não fale com estranhos, se um adulto vier te oferecer doce essas coisas vc corre!!!

Fora isso sempre tem as lendas urbanas né? Uma pessoa que bebeu sei lá o quê e acordou sem os rins numa banheira de gelo, crianças que foram levadas pelos ciganos e vendidas como escravas… pior, crianças que eram sequestradas e depois encontradas aos pedacinhos ‘nos esquisitos’. Até hoje eu me pergunto, onde fica esse lugar ‘os esquisitos’. Engraçado que ninguém sabe onde fica masss… se vc se perde em Sampa (o que é fácil pra caramba, esses dias mesmo eu fiz uma curva errada indo pra casa de uma amiga e me perdi na Vila Ema… dez minutos daqui de casa e eu fiquei tipo vinte minutos procurando a Avenida São Miguel…) e vai parar numa área onde só tem mato e terreno baldio… sempre tem um que fala… tá vendo, eu te falei pra fazer a curva não sei na onde, agora a gente tá perdido e veio parar ‘nos esquisitos’. 

Talvez eu não tivesse tanto medo porque a minha família toda quando eu era criança era católica. E os cristãos católicos tratam toda a questão da espiritualidade de uma forma diferente dos evangélicos. Pelo menos os católicos que eu conheço e os evangélicos que eu conheço… lembrem-se crianças, há várias vertentes do cristianismo. E eu tô falando apenas da minha experiência… se a de vcs forem diferentes, me perdoem.

Na minha família quando a gente era católico a gente não falava muito de espiritos, e capeta… nada disso. Então, não fazia parte da nossa realidade. Se eu for totalmente sincera com vcs eu acho que a única criatura sobrenatural que eu tinha medo nessa época era do Conde Drácula, gente… eu morria de medo de vampiro. Mas era isso… mais nada. E eu tinha medo daquelas criaturas nojentas de filmes de ficção científica. Mas eu nem sei se era mais medo ou mais nojo, tanto que até hoje eu não gosto de ver filme de terror, de ficção científica que tenha coisas muito nojentas e escatológicas.

A questão da espiritualidade entrou bem mais tarde na minha vida. Eu tinha doze anos quando a minha família se tornou, quase toda evangélica. Foi aí que surgiu na nossa realidade cotidiana espíritos, capeta… mas maiormente Deus. A grande maioria das igrejas evangélicas (e eu posso falar porque, antes da minha mãe decidir qual igreja ela se sentia mais confortável ela frequentou todas) onde se fala mais do diabo que de Deus.

Na igreja que a gente frequenta não é assim. Fala-se muito de Deus, da bondade dele e do exemplo de Jesus e que devemos seguir. A questão do arrebatamento… é falado, mas não é tão enfatizada. Somos ensinados a temer a Deus, temer desagradar a Deus e não fazer a sua vontade e não a ter medo de outras coisas, outras entidades malignas. E somos ensinados a ler a bíblia e compreender a bíblia. Mas é claro… nem todo mundo entende isso… nem sempre as pessoas entendem. E quanto mais criança vc é menos vc entende… isso é normal. Depois que vc cresce que vc vai desenvolver seu pensamento e compreender melhor as coisas (nem sempre isso acontece, tem gente que carrega pra sempre as crendices com ela e não consegue se livrar).

Tem gente na minha família mesmo que tem mais medo do diabo, e de ir para o inferno do que amor a Deus. Shao… volta… arrebatamento…Ah, sim… foca no post. Para quem não sabe, o Arrebatamento é algo descrito na bíblia mais ou menos assim… (há divergências tá gente, cada igreja, cada dogma entende de forma diferente). Vai chegar uma época, dizem alguns trechos da bíblia, que o povo de Deus vai ser arrebatado. Ou seja, aquele que é cristão, que é fiel… os verdadeiros crentes… vão ser levados por Deus com corpo e tudo. E esse dia pode chegar a qualquer momento… ninguém, nem mesmo os profetas sabem quando esse dia vai chegar, mas quando esse dia chegar é sinal de que o apocalipse, ou seja, o fim do mundo tá próximo.Então é mais ou menos assim… Vc tá andando com a sua mãe no mercado e VUPT ela some e vc fica aqui na terra porque ela era uma boa crente e vc não! 

Eu não tinha medo do arrebatamento em si… meus irmãos tinham pânico!!! Acho que eles tem até hoje hahahahahaha. Eu tinha medo claro de perder minha mãe, meus avós, que eram minha família, meus provedores. Mas eu não tinha medo de perder eles pra Deus num arrebatamento. Porque na minha cabeça de criança… eu era criança… eu não tinha vivido o suficiente para ter cometido pecados suficientes que me impedissem de ir embora com a minha mãe na hora do arrebatamento hahahahahahaha.

Pode soar estranho e extremamente egocêntrico. Mas eu tinha certeza que eu ia pro céu no arrebatamento porque eu era uma pessoa boa e temente a Deus. É engraçado, porque a gente só tem essas certezas na vida quando a gente é criança. Meus medos de infância como vcs podem ver eram bem comuns… acho que conforme eu fui crescendo eu adquiri outros medos, maiores e mais complicados. As coisas eram mais fáceis quando eu era pirralha. Eu deixo vcs com o vídeo que eu citei… assistam é bacana.

Se vcs entretanto tiverem medo do capeta, de fantasmas e essas coisas lembrem o que os Winchester ensinaram, sal, ferro e um bom ritual de exorcismo… decorem esse aqui: “Exorcizamus te, omnis immundus spiritus, omnis satanica potestas, omnis incursio infernalis adversarii, omnis legio, omnis congregatio et secta diabolica. Ergo, omnis legio diabolica, adiuramus te…cessa decipere humanas creaturas, eisque æternæ perditionìs venenum propinare…Vade, satana, inventor et magister omnis fallaciæ, hostis humanæ salutis…Humiliare sub potenti manu Dei; contremisce et effuge, invocato a nobis sancto et terribili nomine…quem inferi tremunt…Ab insidiis diaboli, libera nos, Domine. Ut Ecclesiam tuam secura tibi facias libertate servire, te rogamus, audi nos.” E pronto… vcs estão protegidos. E eu… vou terminando este post por aqui.

See you guys around the corner
Shao