reforma-ortografica

Fala terráqueos, beleza? Eu tô legal, morrendo de sono mas beleza… coisas da vida. Ontem fui dormir uma e meia da manhã, fiquei estudando, para acordar hoje às sete e meia para vir trabalhar. É a vida né? Se eu fosse milionária não teria estes problemas, como eu não sou vamos encarar as agruras cotidianas.

Tô morrendo de tendinite também, ontem atendi sozinha 65 pessoas e hoje estou pagando por isso… meu punho está ferrado. E eu tenho tanta coisa para escrever… aiai… acho que vou tomar um flanax e mandar a dor pra escanteio e mandar ver em pelo menos dois textos aqui e mais dois no outro blogue. Eu tô muito atrasada aqui mas eu tô ainda mais atrasada lá… e atrasada pra caramba nas vídeo aulas da faculdade… Esse final de semana eu vou acordar cedo (talvez) e vou ficar o dia todo com a cara no caderno.

Ontem eu cheguei tão cansada da academia que eu não tive condições de estudar, eu peguei o notebook conectei ele, coloquei para rodar a aula e peguei no sono… Aí eu resolvi guardar tudo mesmo e dormir e descansar e tentar estudar hoje ou amanhã. Muito provável que hoje eu não vou conseguir porque entrei mais tarde no trabalho, chegarei mais tarde na academia e mais tarde ainda em casa… e provavelmente cansada pra caramba… então vai ser só amanhã mesmo e no final de semana.

Mas não é disso que eu quero falar neste post crianças eu queria falar era da reforma ortográfica. Eu peguei um livro de gramática atualizado (sim, eu tenho… três, que eu comprei porque eu amo gramática) e estava estudando. Mano… e eu parei para me perguntar, qual foi a intenção dessa reforma gramatical??? A maioria dos estudiosos, linguistas, gramáticos… dirão que é para Facilitar a língua e blábláblá…

Vamos por partes… se as mudanças das normas formais por um lado facilitam o uso prático da língua. Quer dizer… é muito mais simples vc escrever sem ter que ficar se questionando se esta ou aquela palavra é acentuada ou não. Diversos acentos caíram… (mas nem todos) entretanto eu achei que as novas regras são confusas. Eu vejo problema na hora de estudar para uma prova ou um concurso mais teórico… daqueles que trata da regra gramatical e não da aplicação.

Talvez eu esteja achando que as regras novas são mais confusas porque eu estou velha mesmo, e habituada àquela construção antiga, àquelas regras… em questões de aprendizagem nunca podemos menosprezar a força que os velhos hábitos influem sobre nossa capacidade de adquirir novos conhecimentos, novos hábitos. E a linguagem é algo tão arraigado dentro da gente que é difícil arrancar. Meu bisavô morreu escrevendo farmácia com PH…

Vcs querem ver que interessante? Eu estudei piano, teclado e órgão por muito anos. E minha professora sempre dizia, que a gente tinha que aprender o dedilhado corretamente porque senão depois quando a gente aprendia errado ficava complicado consertar. O certo era não adquirir o mau hábito de tocar aquela determinada nota com o dedo errado… Escrever é um hábito… e eu velha que sou estou habituada a escrever as palavras com uma certa grafia. Vou apanhar para caramba para me adaptar à nova grafia.

Vou apanhar mais ainda quando eu tiver que sentar para estudar essas regras novas para um concurso qualquer. Especialmente se for uma daquelas questões que perguntam sobre a regra gramatical em si e não sobre a aplicação prática da grafia. Eu sinceramente duvido da necessidade de fazer essas alterações. Aliás, toda a vez que se propõe fazer qualquer alteração na língua para simplificar a compreensão da mesma eu fico com o pé atrás. Porque na minha irrelevante opinião isso só serve para emburrecer cada vez mais os estudantes…

Como foi aquela proposta esdrúxula de reescrever clássicos da literatura, clássicos do Machado de Assis numa linguagem simplificada. Ahhh vá… seus camelos! Eu fico nervosa com essas coisas porque… sabem como é que eu aprendi a ler literatura dos séculos passados? Eu pegava o dicionário Aurélio gigante do meu pai e o livro do Machado de Assis, ou do José de Alencar, ou whatever e colocava os dois em cima da mesa da cozinha e ia lendo o livro, toda a vez que eu encontrava uma palavra que eu não conhecia (e olha que eram muitas). E eu aprendi coisa pra caramba… se hoje meu vocabulário é extenso foi graças a essas horas que eu fiquei… abraçada ao dicionário. E eu tinha nove anos e o dicionário era imenso de grande…

Agora os pretensos estudiosos de hoje em dia querem simplificar o português… desculpa, pode ser que eu esteja errada e todos eles certos mas na minha mera mortal opinião isso só colabora com a ignorância, e aqui eu digo ignorância no sentido de desconhecimento. Ahhh Shao, mas que diferença vai fazer na minha vida eu saber o significado de uma palavra usado do século dezessete??? A palavra nem é usada mais… Igual farmácia com PH. Vai fazer diferença sim… quando maior e mais eclético for o seu vocabulário, maior a sua competência para se comunicar, se expressar e adquirir mais e mais conhecimento… Mas… whatever, quem sou eu pra ditar o que quer que seja… sou ninguém não. Enfim, esta é somente a minha opinião.

Bora sofrer pra reaprender a gramática, mas especificamente algumas regras gramaticais, do mesmo jeito que eu sofri para reaprender a matemática quando inventaram as porcarias dos quadradinhos na aritmética. Porque eu tenho certeza que algum elaborador de prova de concurso filho de uma mãe sem alma espertinho vai fazer uma daquelas perguntas… em qual sentença a acentuação se dá de acordo com a mesma regra gramatical da frase acima e para responder tal questão a diaba da regra tem que estar na ponta da língua do seu cérebro né?

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao

Anúncios