12985601_991535414249012_4112426794141964166_n

Fala terráqueos, beleza? Eu tô com virose… Trabalhei de boas, segunda, terça e estava no trabalho na quarta-feira quando mais ou menos na hora do almoço eu comecei a passar mal pra caramba… voltei para casa bem zoada. E fiquei mal na quinta e na sexta… mas tão mal que nem fui trabalhar… pra piorar a situação mais outras três pessoas do setor estavam do mesmo jeito que eu… virose das brabas mesmo…

Felizmente tô melhor agora… amanhã tenho médico e segunda-feira já vou ter me restabelecido por completo e vou poder voltar para o trabalho e para a academia (óh vida, óh céus, óh azar…). Pois é… quando eu tinha meus vinte e tantos anos eu jamais poderia imaginar que minha vida aos quase quarenta estaria da forma que está agora… Não tô reclamando. Muito pelo contrário, mas eu imaginava algo bem diferente. A gente é idiota quando é jovem. Mas isso é assunto para outro post.

O post de hoje é sobre outra coisa… Eu estava pensando esses dias… em como a vida tem dessas de vc esbarrar com uma pessoa, e essa pessoa entra na sua vida e vira uma amigo e começa a fazer parte da sua vida e então acontece alguma coisa e essa pessoa e vc seja lá porque cargas d’água… se distanciam e a pessoa some…

E também como pessoas da sua família mesmo, com quem vc era muito unido de repente… por algum motivo (e às vezes sem motivo nenhum também) deixam de fazer parte do seu dia a dia. E como, em ambos os casos, de amizades e familiares… essas pessoas, que vc considerava extremamente importantes, quando se vão, se afastam… não fazem a menor falta na sua vida. Vira e mexe vc encontra com elas e tal e a pessoa fala:”Nossa, precisamos voltar a nos ver e com mais frequência como quando a gente fazia, eu sinto tanta falta daqueles tempos…” e vc pensa… putz mano, eu não…

Claro… vc lembra com carinho do passado e gosta de lembrar de tudo que fez e das risadas que deu, mas… vc não é mais aquela pessoa. Vc mudou e na sua vida, muitas vezes não tem mais espaço para certas coisas que antes vc fazia e que achava legal. E por conseguinte, não tem mais espaço para aquela pessoa. Não porque vc brigou com a pessoa, ou ela é mala (chata), nada disso… só houve um distanciamento e vcs meio que se tornaram estranhos.

Nesse momento vc percebe que vc cresceu, que vc mudou e a pessoa não… E daí vc da aquela resposta educada: “Beleza, vamos marcar sim…” mas não faz o menor esforço para que isso aconteça. Porque já não tem nada a ver com vc aquele lance… e fica pra pessoa aquela imagem que vc tá (uma expressão que meu avô usava muito ) ‘dando o desprezo’ para a pessoa.

E não é bem assim… Por mais incoerente que possa parecer… a gente dá o desprezo para pessoas com quem ainda nos importamos… Não, pera… não entendi nada Shao… explica! Ok… vamos por partes. Primeiro: O que é ‘dar o desprezo’??? É ignorar de propósito a pessoa. Pessoa pisou na bola com vc e fica ainda se achando na razão e te dando indireta nas redes sociais, quando te encontra, fica falando mal de vc nas suas costas para outras pessoas e tal… para chamar sua atenção, de repente se engajar num tipo de discussão com vc e blábláblá. Daí quando a pessoa está agindo assim, vc faz de conta, para vc mesmo que aquela pessoa não existe. Vc passa a ignorar a existência da criatura.

Vc passa por ela todos os dias e não dá bom dia, se a pessoa vem falar com vc… seja online ou seja pessoalmente… vc não responde, ou responde secamente. Se vc está num grupo de amigos conversando e rindo e a pessoa chega vc fecha a cara e sai de perto, vc desfaz amizades nas redes sociais porque vc nem quer se importar mais com o que quer que ela diga a seu respeito ou não, se alguém vem te falar: “Ai… fulano disse uma coisa de vc…” vc já diz para a pessoa que vc não quer saber… vc ignora TUDO o que a pessoa faz. É uma tática de guerrilha. Vc sabe que a pessoa existe, vc está ciente que ela esta fazendo as coisas para querer puxar briga e chamar sua atenção. Mas vc toma essa postura e deixa claro sem expressamente dizer as palavras… EU NÃO QUERO MAIS CONTATO COM VC!

É a maneira mais cruel que existe de banir uma pessoa da sua vida. É deixando ela para lá… E eu digo que é cruel porque a pessoa ainda quer ter algum tipo de amizade com vc e vc assume essa postura de “NÃO, EU NÃO QUERO A SUA AMIZADE”. Então é mais do que um simples afastamento… é O DESPREZO. É o contrário da amizade, quando a pessoa se sente querida. Nesse caso a pessoa vai se sentir PRETERIDA, não quista… PERSONA NON GRATA.

E… eu não sei se vcs já passaram por isso… (eu nunca passei) mas, deve ser um sentimento muito ruim vc ser desprezado por uma pessoa que vc gosta e queria ser amigo. Eu li até textos de psicologia por aí… que dizem que enfrentar esse tipo de Rejeição (essa é a palavra que eu tava procurando aqui na minha cachola) chega a ser uma dor emocional comparada à dor física. Tem muitos estudos sobre o assunto. Vc dar o desprezo para uma pessoa… por exemplo… no ambiente de trabalho, se compara ao Bullying na escola (eu li textos de psicologia sobre isso – clique aqui e aqui para ler textos sobre o tema).

Assim sendo ‘dar o desprezo’ condenar a pessoa ao Ostracismo social propositadamente é diferente de vc simplesmente não ter mais interesse em conviver com certas pessoas. E isso (ambos tá… tanto o desprezo qto o desinteresse) infelizmente acontecem muito. E é difícil evitar um (o Desinteresse) e praticar o outro (o Desprezo).

No primeiro caso, às vezes é necessário para o seu próprio bem psicológico e físico mesmo evitar certas pessoas, porque são pessoa tóxicas, nocivas… eu já passei por isso no trabalho de ter que dar o desprezo para uma pessoa com que eu era (por motivos profissionais) a conviver todos os dias. Mas foi uma to defensivo, não tinha outra forma de eu me defender da toxicidade dessa pessoa. Mas Shao vc então tá defendendo uma prática condenada por psicólogos que… blábláblá… Não, não tô defendendo essa prática. Como eu disse anteriormente é cruel.

Mas tudo na vida tem limite. Eu tenho consciência que fazer algo assim não vai fazer com que a pessoa melhore, que deixe de ser uma pessoa nociva, muito pelo contrário… a pessoa vai ficar pior e pode começar a querer fazer coisas de propósito para te prejudicar. Mas quando na balança está a sua saúde mental… muitas vezes é o único caminho. No meu caso era ou isso, ignorar completamente a existência da pessoa ou sair do setor, e eu não queria sair do meu setor porque eu gosto das outras pessoas e do trabalho… Mas, não é legal… fica sempre aquele climão.

No segundo caso é ainda mais complicado porque… como vc vai evitar de deixar de se importar com a pessoa? Um vínculo afetivo que existia e se desfez… Esses tempos atrás alguém me ligou e disse, vamos viajar para a casa de fulano. Fulano convidou a gente para passar uns dias lá… vamos, vai ser legal. Faz X anos que vc não vê fulano, este fulano me disse que morre de saudades de vc. E daí lá dentro do seu coraçãozinho vc pensa… Nhé! Não tô afim… Não vou não, tenho coisa melhor pra fazer do que me abalar quilômetros pra ver fulano. Ou seja, vc não sente saudades da pessoa, não faz questão de ver a pessoa… e nem é por nada.  A pessoa é legal, vc gosta dela, e quer que ela tenha sucesso e tudo de bom mas… vc não tem mais aquele sentimento todo pela pessoa… Foi só o vínculo emocional que nalgum momento imperceptível se rompeu.

Cara… e desde que a minha mãe faleceu, isso acontece muito comigo… com meus irmãos mais ainda. Especialmente com familiares. Até mesmo porque eles conviveram com alguns membros da nossa família estendida, bem menos que eu… Um tempo atrás um primo, que a gente era muito amigo. Me add no Facebook e me mandou uma mensagem falando: Vamos marcar um dia, todos os primos na casa da vó, queria rever vcs todos. E eu falei… vamos sim… mas não mexi uma palha pra isso. Primeiro… cada um tem sua vida seus problemas, alguns primos eu tenho contato, tenho amizade sei que eles iriam, outros… eu nem faço questão de ver. Já não me importa sabe? É triste… mas é a verdade… Nalgum momento entre a infância e a adolescência, ou entre a adolescência e a vida adulta o vinculo que tínhamos se rompeu e não existe, nem de um lado nem de outro (na grande maioria das vezes) interesse em religar isso.

Nossa, escrevi demais… Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao