frase-os-parentes-distantes-sao-os-melhores-e-quanto-mais-distantes-melhores-kin-hubbard-148501Fala terráqueos, beleza??? Eu tô beleza… entretanto tô morrendo de sono porque ontem eu fui no cinema, estréia de “Invocação do Mal 2” e meus manos não tinham aula e a gente queria ver o filme… então falamos, ahhhh vamos vai e fomos… Filmão, massss… eu vou fazer um post só sobre ele, que provavelmente será publicado antes deste post aqui, na verdade farei três posts um sobre “Invocação do Mal 1”, outro sobre “Anabelle” e o terceiro sobre “Invocação do Mal 2”.

E já que estamos falando de fantasmas e coisas do além, vamos falar de causos de família e de pessoas que já partiram desta para a melhor. Na minha família tem muita gente estranha… sério… é uma concentração absurda de gente estranha. Ahhh Shao, todo mundo acha isso da própria família… vc está exagerando. Pode até ser… hahahahahahaha… mas deixa eu contar a história para vcs e vcs julgam o quão estranho é o povo da minha família.

Eu acho que eu já cheguei a comentar aqui com vcs que minha família ‘era’ muito grande. Sim, ‘era’, já não é mais porque as pessoas vão morrendo e as novas gerações vão de afastando e os laços vão se afrouxando… Infelizmente essas coisas acontecem a gente vai perdendo as pessoas pela vida. E além de minha família ser grande… minha família sempre foi muito palhaça. Casamentos e velórios, ocasiões em que geralmente a família toda se reúne… sempre acontece uma (ou várias) palhaçada.

E sempre tem aquele ser galhofeiro que é o que cria as piadas e faz vc rir que nem uma besta numa ocasião que vc não deveria estar rindo (especialmente velórios). Na minha família eram vários seres galhofeiros… Tio Roberto, Tio Décio, minha mãe, Tio Irineu e obviamente… eu! Dessa gangue… o que eu mais me lembro é da minha mãe e do Tio Irineu. Tio Irineu não era meu tio na verdade… ele era tio da minha avó… porque ele era irmão da mãe da minha vó… ou seja, minha bisavó… então ele era meu tio bisavô. Eu me lembro bem dele, eu lembro que ele tinha cabelos bem branquinhos e umas sobrancelhas grossas grisalhas que pareciam as asas de um corvo velho bem no meio da testa dele. E ele usava óculos fundo de garrafa porque ele era bem míope e ele tinha os dentes bem grandes e brancos e ele vivia fazendo piada e rindo.

De todos os sobrinhos que ele tinha minha mãe era com quem ele mais falava, ele morava até que não muito longe, mas como eu já disse, às vezes a correria do dia a dia nos afasta das pessoas. Mas pelo menos uma vez por semana ele ligava lá para casa e ficava conversando com a minha mãe no telefone. Eu me lembro que ele gostava de relembrar a juventude e especialmente as coisas que ela aprontava quando era moleca. E ela ria…

E toda a vez que alguém morria na família era ele quem avisava a minha mãe. E toda a vez que a gente se encontrava nalgum velório ele me fazia rir e eu me lascava porque ou a minha vó ou a minha bisavó me batiam. Mas eu não me arrependo de nenhuma das gargalhadas que dei nos velórios hahahahahahaha. Pode parecer maldade minha gente, mas até mesmo no velório da minha mãe, que era a pessoa que eu mais amava no mundo, eu tive crise de riso… imagina se eu não ia ter no velório de outras pessoas…

Assim sendo, eu me habituei a pelo menos uma vez por semana o telefone tocar e ser o Tio Irineu querendo falar com a minha mãe. Entretanto… um dia… tristemente foi a vez de a Dona Morte levar nosso querido Tio Irineu. Eu me lembro que não pudemos ir no velório nem no enterro dele, acho que nos avisaram quando já tinha sido o enterro. E eu não sei para vocês, mas para mim, quando eu não vejo a pessoa no caixão fica aquela sensação que a pessoa vai aparecer ali na sua casa a qualquer momento, vai te ligar… como se ela estivesse viva ainda em algum lugar em alguma outra dimensão, uma outra realidade menos triste. 

E eu fiquei com essa sensação no caso do Tio Irineu. O tempo passou… eu não sei exatamente quanto tempo e um dia eu cheguei para a minha mãe e falei assim: Nossa, o tio Irineu não ligou mais né? Por quê? Aí ela respondeu: Menina, onde vc anda com a cabeça, vc esqueceu que o Tio Irineu morreu? E eu: Ahhhh é verdade. Eu tinha me esquecido.

Passou mais um tempo eu chego na minha mãe e falo: Nossa, o tio Irineu não ligou mais né? E ela: Tio Irineu morreu Ceres. Eu: Putz, verdade, tinha esquecido… Passa mais uns meses eu pego e: Nossa, o tio Irineu não ligou mais né? Estranho… Minha mãe vira pra mim e fica olhando pra mim com uma cara de incredulidade e diz: É que onde ele está agora fica difícil ele ligar. E eu: É??? Por que??? Onde ele tá??? Ela: No além menina, Tio Irineu morreu cabeça oca!!! (minha mãe e sua delicadeza equina) Eu: Caramba… é verdade…

Não pudemos ir no velório, não tivemos oportunidade de fazer as palhaçadas que eram de praxe… mas… Tio Irineu ainda me trolou mesmo quando foi a vez dele partir pro além… (juro pra vcs que depois dessa última vez eu não esqueci mais…

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao