talvez-eu-seja

Fala galera, beleza??? Tudo belezinha na vida de vcs??? Espero que sim… Não tem muita novidade na minha vida ultimamente. A única novidade de hoje é que eu fui trabalhar mas não fiquei no trabalho fui num curso. Depois disso não teve novidade… a não ser que eu comi pipoca e fiquei zoada do estômago novamente. Acho que eu vou ter que definitivamente abrir mão do milho de uma vez por todas… nem pipoca. Quando eu for no cinema agora vou levar uma latinha de pringles ou um saco de ruffles. E agradecer a Deus pela minha intolerância não ser a batatas… amo batatas… posso viver sem milho, sem açúcar, sem refrigerante, mas vida perderia o sentido sem batata! 

Mano, eu sou uma criatura de hábitos. O que é curioso porque eu detesto rotina. Mas ao mesmo tempo eu preciso manter certos hábitos. E quando eu quebro minha rotina pra fazer um curso, ir ao médico essas coisas… é um dia que eu fico toda estragada mano. Hoje mesmo… eu não fiz nada além de pegar meu carro, ir para o trabalho, pegar outro carro ir para o curso e ficar lá sentada ouvindo o cara falar sobre o site de mapas da cidade. Ele ensinando a gente a navegar pelo mapa e coisa e tal.

E ficamos lá por quatro horas e viemos embora para casa, eu cheguei em casa morte e esfacelada. Tudo o que eu queria era tomar um banho, comer uma coisa qualquer e dormir até o dia seguinte. Mas eu não podia eu tinha que fazer umas coisas, pagar umas contas, estudar… acabou que eu fui dormir apenas duas horas da manha, então eu estou morrendo de cansada, e morrendo de sono (novidade Shao, quando é que vc não tá com sono… quando eu tô dormindo) e ainda tenho um monte de coisa para fazer mas hoje eu vou dormir cedo porque eu tenho que acordar cedo porque eu tenho médico.

Massss. bora pro assunto do post né? Esses dias eu estava conversando com meus manos como dóis sempre mais tomar uma facada de uma pessoa que a gente ama. Do que de uma pessoa que a gente não tá nem aí, ou uma pessoa que a gente detesta.

Chegamos à conclusão de que isso acontece porque na pessoa que a gente ama a gente confia, então não estamos esperando aquilo vir dela. Aliás é bem isso mesmo né? Não pode ser considerada uma traição uma facada que vem de uma pessoa que vc considera um grande filha da puta… Só é traição quando a pessoa é amiga, é querida. Quando é uma pessoa já detestável… é sacanagem, é filhadaputagem, é falta de caráter… é tudo, mas não é surpresa, nem decepção porque desse tipo de ralé vc está esperando exatamente este tipo de atitude.

A pessoa aprontar com vc ser desrespeitoso com vc apenas confirma aquilo que seu sexto sentido te falava quando vc não foi com a cara da pessoa assim que a conheceu. Agora quando é fogo amigo… é dolorido, é decepcionante… é traição! Dói seis vezes… primeiro dói porque vc não esperava aquilo da pessoa. Segundo dói porque vc percebe que vc não significava tanto para a pessoa quanto ela significava para vc. E por conseguinte em terceiro dói porque vc teve consideração e amor por uma pessoa que não merecia.

Em quarto vc fica se perguntando porque a pessoa fez aquilo com vc sendo que vc tem certeza que vc não merecia receber isso daquela pessoa. Quinto, dói porque a pessoa derrubou muitas vezes o pedestal que vc tinha erguido para ela. E sexto… e este talvez seja o mais dolorido de todos… dói aceitar que estávamos errados sobre ela, dói sermos humanos e admitirmos que erramos na hora de julgar o caráter daquela pessoa.

Eu me lembro primeira vez na minha vida que eu me decepcionei com uma pessoa… foi com um parente (claro né Shao… família é sempre assim…). Eu me lembro que eu estava brincando, e sei lá eu porque cargas d’água eu caí e torci o tornozelo (uma das muitas vezes a propósito) e minha tia… Izabel o nome dela, teve que me levar no hospital, porque eu estava na casa dela quando me machuquei. E eu me lembro de estar com uma dor infeliz… eu não me lembro quantos anos eu tinha… mas mal eu cheguei me deram uma injeção e eu fiquei sentada esperando para imobilizar o tornozelo, que estava imenso e roxo…

Nisso, meu primo que não tinha nada a ver com isso… com a minha dor, com o fato de estarmos no hospital e de a mãe dele ter tido que largar a casa pra me socorrer. Ficou de palhaçada, e eu não lembro o que ele fez… que me fez rir. Minha tia vira e me tasca o maior beliscão que eu já tomei na minha vida. Eu na hora fiquei tão estupefata… porque mano, eu não estava fazendo nada. Eu estava quieta, sentada, esperando… e o meu primo fazendo macaquices.

Mas… eu até entendo, porque… na cabeça neandertal dela, eu era a razão pela qual ela tivera que ir ao hospital. Então eu estava proibida de ser feliz. Eu tinha que ser miserável e sofrer enquanto ela estava lá… E olha que o SUS nem era o inferno que é hoje em dia. Se eu tivesse que usar o SUS hoje em dia eu mesma enfaixava meu pé, tomava cataflan e colocava bolsa de gelo e torcia pro pé não cair… se recuperar sozinho que nem o pé do Wolverine.

Depois disso, eu já tinha uma certa idade… eu me lembro que virava e mexia ela dizia, vem aqui em casa brincar com seus primos, eles estão com saudades de vc, ou então… Nossa, vc não veio mais aqui. Decepcionei sabe? E pouco a pouco a gente foi se afastando… quer dizer, na verdade eu fui… conscientemente me afastando deles. Não foi, infelizmente a última… a última é quando a pessoa mata a pauladas aquele restinho de esperança que vc tinha que ela fosse um ser humano decente. Isso aconteceu anos depois… quando a minha mãe faleceu.

Nos quarenta dias que minha mãe esteve internada, nenhuma vez essa minha tia foi visitá-la… até aí, como eu disse anteriormente. Eu já esperava que não fosse mesmo… No dia do enterro… ela chegou no velório e ficou lá até a hora do enterro. Quando estávamos todos indo embora do cemitério, ela virou para mim e disse… Amanhã ou na semana que vem a tia vai na sua casa ajudar vc a separar as coisas da sua mãe se vc quiser. Eu falei… Tudo bem…

Eu fui falar com essa minha tia novamente… quatro anos depois, pelo telefone. Com ela me ligando, pedindo pra eu ver se eu conseguia ajudar ela com a inscrição na Cohab, se eu passava o nome dela na frente já que eu trabalhava na Prefeitura, se eu podia fazer isso pra ela… Primeiro, que eu não tenho esse poder… segundo, mesmo que eu tivesse, seria anti ético da minha parte. Seria corrupção. Seria crime. Segundo… é aquela velha máxima… quando as pessoas precisam de vc elas sabem onde te encontrar. Nunca mais vi essa minha tia… e não tenho saudades. E lá se vão seis anos que minha mãe se foi e seu lá eu quantos anos desde que a sementinha da decepção foi plantada.

E infelizmente este é o tipo de coisa que não dá para evitar na vida… vai acontecer mais de uma vez. Vai acontecer até que um dia vc vai se tornar menos ingênuo e mais cauteloso. O que é uma pena, porque se vc não tomar cuidado vc pode se fechar demais e não abrir a porta para novas pessoas, novas amizades que podem se provar bem melhores, mais verdadeiras do que as anteriores. E ninguém quer isso não é mesmo???

Eu sei que eu não quero… como diria Cora Coralina: ” Fechei os olhos e pedi um favor ao vento: Leve tudo que for desnecessário. Ando cansada de bagagens pesadas… Daqui para frente levo apenas o que couber no bolso e no coração.” Que o vento então leve embora os ‘amigos’ desnecessários, as pessoas de alma pesada e nos deixe leve para encontrar aquelas que hão de flutuar aí pelo resto da vida com a gente… no mesmo bem querer.

Vou terminando este post por aqui porque ele já está muito grande… Mas… antes de terminar eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Eu tenho me esforçado pra caramba pra escrever aqui e lá e ter sempre post então… dá uma força aí pra Tia Shao e visitem, cliquem na estrelinha de curtir… Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem… eu vou ficar bem agradecida.

See you guys around the corner
Shao