fd-vizinhos

Fala galera, beleza??? Como vai a vidinha de vcs??? A minha tá beleza, tirei o dia para não fazer quase nada hahahahahaha. Estou escrevendo, tenho uma roupa pra lavar como todo sábado, mas… não tenho planos para fazer mais nada.

Esses dias aconteceu uma coisa inusitada aqui em casa… não sei se eu já falei aqui mas moramos, meus irmãos e eu, num apartamento. E morar em condomínio vcs sabem, requer de vc que vc siga umas certas regrar para que haja paz e harmonia (dentro do possível) com seus vizinhos. E em geral a gente quase nunca tem embates com a vizinhança.

Sim, eu disse quase nunca… porque infelizmente às vezes as coisas acontecem. Então… uns dias atrás estávamos todos aqui em casa, Carlos estava jogando videogame madrugada adentro, eu e o Cezar estávamos dormindo, sábado para domingo isso. Cezar ia acordar às quatro da manhã para ir trabalhar no domingo então… três da manhã o interfone toca. Interfone e telefone tocando a essas horas da madrugada, todo mundo se assusta pensando que possa ser uma tragédia qualquer. Gente passando mal e o caramba, gente que morreu…

Não… era o vizinho do apartamento debaixo do nosso, que… ele é taxista… tinha chegado do trabalho e o Cezar tinha estacionado o nosso carro na vaga que ele disse ‘era dele’. O que acontece é que a gente tem uma garagem, mas como o Cezar comprou uma moto uns tempos atrás a gente deixa a moto na garagem (porque a moto não tem seguro e é mais fácil de roubar e de alguem entrar no prédio e zoar ela) e estavamos deixano o carro no pateo.

Mas o síndico novo baixou uma lei que num determinado horário não pode mais deixar o carro nesse pateo porque é para as crianças do prédio brincarem. Beleza… tem quatro vagas no fundo do prédio que até então não tinham dono, qualquer pessoa podia parar o carro nelas. Até mesmo visitas.

O síndico cobriu essas vagas e o nosso vizinho disse que uma das vagas era dele… e a gente, sem saber que a vaga era ‘dele’ parou o carro lá. Ele pega e fica tocando loucamente às três da manhã o nosso interfone pra gente descer e tirar o carro de lá porque ele queria parar na vaga dele… mano… imagina se eu não fiquei na hora muito puta da vida… claro que fiquei. Maiormente porque ele acordou o Cezar uma hora antes do que ele deveria acordar para ir trabalhar… não foi nem por mim porque era domingo e eu poderia voltar para a cama para dormir até a hora que eu bem entendesse.

Assim, eu entendo que ele chegou cansado do trabalho, deve ter ficado nervoso e tal. Mas… não precisava todo esse escarcéu de madrugada. Ele podia ter parado o carro dele no pateo e numa outra hora quando ele encontrasse a gente ele pedia pra não parar mais na vaga dele, que havia sido atribuida a ele e coisa e tal, a gente ia entender…  a forma como ele fez foi pra lá de sem noção.

E o que me deixou mais irritada é que acordou o Cezar, ele não conseguiu dormir de novo, foi trabalhar depois doze horas sonado. A ponto de sabe-se lá Deus… colocar sua vida e a vida de outros em risco, porque ele não descansou direito. Por causa de uma coisa boba… sem necessidade nenhuma. Quantas vezes eu cheguei num horário, a moto tava na garagem, não tinha vaga nem no pateo nem no fundo do prédio eu deixei meu carro na rua até vagar um lugar.

Muitas vezes de madrugada. Eu não fui tocar na casa de ninguém dizendo… olha, vcs são visitantes, tira seu carro daí que eu pago condomínio eu quero guardar o meu… eu até poderia… mas não o fiz. Deixei meu carro na rua, esperei encontrar com o síndico e falei com ele e então colocaram uma placa e visitantes não podem mais guardar os carros na área de estacionamento dos moradores.

Eu desci, tirei o carro da malfadada vaga, estacionei numa outra, porque sim… tinha outra… e subi de volta pra casa e não disse um “A”. Eu sou da opinião que quando a gente está nervoso não é a melhor hora para arguir o seu ponto de vista. Melhor coisa é esfriar a cabeça e conversar depois. E eu tava com raiva do Cezar também porque… que é que ele tinha que parar na vaga dos outros???

No dia seguinte… no domingo a tarde, o vizinho bate na porta, meu irmão abre a porta e ele vem pedir desculpas, por ter feito todo aquele salseiro de madrugada. Que ele tinha conversado com a esposa dele, que ela disse para ele que ele estava errado em ter ficado tocando o interfone, a uma hora daquelas que ele podia ter colocado o carro em outra vaga e ele… mais calmo, concordou com ela e tal e então veio pedir desculpas pelo comportamento dele, porque a gente nunca antes tinha se desentendido e tal… beleza… ele pediu desculpas para o Carlos, depois encontrou comigo e fez e a mesma coisa e a mesma coisa com o Cezar.

Resumindo… é uma família tão gente boa (ou mais ainda) que a nossa… não tem porque a gente ficar de picuinha e brigando e virando a cara uns para os outros e caçando confusão… fazendo inimigos. Se é possível encontrar um ponto de acordo comum… façamos isso. Segunda que vem tem reunião do condomínio, para tratar… do aluguel desses vagas lá do fundo, muito me interessa uma… então eu tenho que ir na reunião. Ver quem mais tem interesse, se vai haver sorteio, quanto vai ser… veremos.  Mas, o importante é que… entre mortos e feridos nessa convivência tão complicada entre vizinhos, salvaram-se todos.

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao