tedio

Fala galera, beleza??? Como vai a vidinha de vcs??? Tudo belezinha??? Espero que sim… eu tô morrendo de cansaço e por conseguinte morrendo de sono. Shao vc tá sempre morrendo de sono, vc nasceu no ano do sono, no mês do sono, na semana do sono do ano do sono. Sim… prazer, eu!

Esses dias amiguinhos eu estava lendo uns textos e vendo uns vídeos sobre crianças superdotadas. Que tem o QI acima da média e tal… Achei super interessante. Interessante como é realmente muito complicado para essas crianças se adaptarem, se darem bem nos estudos na escola. Apesar de serem extremamente inteligentes. Porque infelizmente o sistema educacional brasileiro nivela por baixo, vc tem que se abaixar, se diminuir para se encaixar.

E a criança super dotada acaba achando aquilo chato, sem graça porque o que para as demais crianças é complicado para ela é extremamente fácil e então ela pega aquilo de primeira e depois fica mais de duas horas morrendo de tédio esperando os outros aprenderem. E quase que inexiste escolas e profissionais que estejam preparados para lidar com esse tipo de criança de intelecto elevado.

Hoje eu li na revista Superinteressante uma reportagem falando de dois amigos superdotados e de como a vida deles hoje em dia é diferente. Um se tornou pesquisador depois de trabalhar em grandes empresas e ficar rico enquanto que o outro está na cadeia lutando contra o álcool e as drogas. As diferenças… um teve oportunidades, outro não.

Eu não acredito muito naquela história de que o ser humano é uma folha em branco e yadda, yadda, yadda… que a sociedade que nos faz, eu acredito que caráter a gente já nasce com ele… e que podemos ser o que quisermos e o que determina o que vamos ser são as nossas escolhas. Mas eu acredito sim que muitas vezes a falta de oportunidades pode sim atrasar e muito a vida de uma pessoa.

Muitas vezes uma criança inteligente pra caramba, começa a se achar burra, porque ela não se adapta ao ambiente escolar e deixa de se esforçar e começa a tirar notas baixas. Na reportagem esse rapaz que foi uma criança superdotada e cresceu e virou professor e pesquisador na USP disse que em geral as crianças são punidas por serem inteligentes… e é verdade.

Uma coisa engraçada que aconteceu comigo, eu já estava na faculdade. Na segunda faculdade na verdade. Eu tinha um ótimo professor de Direito Civil… Entretanto ele era deficiente visual. Então quem corrigia os trabalhos e as provas da gente não era ele diretamente, era uma assistente. Que era uma senhora de seus quarenta e tantos anos, que era namorada dele e acho que era Bacharel em direito.

Uma vez ele passou um trabalho, eu nem lembro o tema… eu fiz o trabalho. E o esquema do trabalho era assim, vc escrevia, entregava, o trabalho seria corrigido e devolvido para a gente ‘melhorar’ alguma coisa e no final do semestre, depois das ‘melhorias’ vc teria a correção final e a nota definitiva. Então eu entreguei meu trabalho e ela me devolveu dizendo: Vc tem idéias boas… a sua redação entretanto é péssima. Eu… formada em Letras… coisa que ela não era. Tinha a redação péssima. Eu pensei em debater mas pensei, melhor não… peguei o trabalho, reli e vi que eu tinha escrito de uma forma bem técnica. Usando expressões extremamente jurídicas.

Então eu peguei o trabalho e reescrevi ele todo sem mudar nada, eu apenas mudei a linguagem. Eu então escrevi como quem explica conceito de física quântica para analfabeto. Eu mudei totalmente o estilo da escrita. Coloquei termos mais simples, mais povão… Mas o conteúdo era o mesmo… entretanto estava bem menos acadêmico. Era um trabalho. Que eu teria vergonha de entregar pra qualquer professor que me deu aula no Ensino Médio. Mas eu entreguei assim… aí ela vira para mim, depois de ler e corrigir e diz: Eu sabia que vc podia fazer melhor, essa redação está bem melhor…

Então eu entendi que às vezes vc tem que nivelar seu conhecimento por baixo para se fazer entender. Era o que os linguistas chamam de ruído na comunicação. Ela simplesmente não entendeu meu primeiro texto porque ela não tinha vocabulário suficiente para entender. Eu gastei meu português com ela… mas ela não tinha vocabulário para me entender. Então ela achou que eu tinha ‘escrito mau’.

E toda a criança superdotada vai esbarrar em diversos professores deste tipo na vida. Professores que são intelectualmente inferiores a ela. E que não sabem lidar com elas, e que vão se sentir intimidados e até muitas vezes invejosos de tamanha capacidade. E vão punir em vez de incentivar. E vão diminuir em vez de exaltar. E vão tolher em vez de criar oportunidades. Se vc é papai e mamãe e tem um filho superdotado.

Certifique-se de fazer como a mãe desse rapaz professor da USP e a minha mãe fizeram. Procurem escolas onde hajam profissionais capazes de reconhecer este tipo de criança. Procurem incentivar dando livros, abrindo o mundo das ciências para eles e mais ainda… criando oportunidades!!! Para que eles possam crescer e se tornarem do tamanho que eles quiserem!!!

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao