frase-o-poeta-e-um-fingidor-finge-tao-completamente-que-chega-a-fingir-que-e-dor-a-dor-que-fernando-pessoa-152038

Fala galera, beleza??? Como vão vcs? Espero que estejam melhor do que eu… cólica, dor de cabeça, sono… tá fácil pra mim hoje não. Tá fácil no trampo também não. Tá agitado pra caramba e tá prometendo ficar ainda mais.

Então eu me matriculei na pós-graduação e devo começar as aulas online em… dois ou três dias… (não tenho certeza ainda) e tenho poucos dias de liberdade para escrever aqui no blogue e no outro blogue também… fiquei, uns cinco dias sem escrever porque estava com preguiça, irritada e com TPM. Mas agora retomemos os trabalhos… Não sei como vão ser as coisas nessa pós em EAD, não sei como vai ser meu tempo, mas… eu sempre fui boa disso de estudar sozinha, vamos ver quanto do meu tempo esta nova empreitada vai tomar.

Bacana, agora vamos voltar ao assunto do post, eu tenho escrito bastante e aconteceu uma coisa bem interessante estes dias. Eu escrevi uma história e postei no blogue novo (vc pode clicar aqui para ler a história em questão) e eu recebi diversos comentários, alguns nos comentários do blogue e alguns em pessoa… e uma das minhas amigas fez um comentário que me deixou deveras satisfeita.

Toda vez que alguém comenta o que quer que seja eu fico feliz… (por isso COMENTEM). Mas neste caso específico eu fiquei contente não com o comentário em si, fiquei contente porque o comentário refletiu um resultado que eu consegui atingir com o texto… Como assim Shao? Calma, eu explico…

Quando a gente escreve um texto qualquer (mesmo este) a gente nunca sabe como ele vai ser interpretado, compreendido pela pessoa que está lendo. Na faculdade eu tive uma aula acho que era, linguística… semiótica e semiologia… que dizia que qualquer comunicação, seja através de uma conversa, seja através da leitura de um texto vai ter um ruído… ou seja, nem sempre aquilo que vc diz reflete claramente o que vc quer dizer, ou então nem sempre a pessoa entendeu o que vc quis dizer… essa falha existe em qualquer tipo de comunicação, seja ela escrita ou falada (momento nerd literário… tive que me conter para não ficar horas e horas escrevendo sobre linguagem… linguística era minha opção número um na Fuvest quando eu prestei lá em 1998 – eu amo o assunto de paixão e queria fazer especialização em filologia e escrever dicionários… hahahahahahaha).

E quem como eu gosta de escrever e se mete de vez em quando tenta ser escritor como eu… (não, eu não me considero uma escritora ainda, apesar de a descrição do meu blogue dizer que sou…) se depara com essas falhas na comunicação. Vc escreve uma coisa, querendo dizer X e quem lê, entende Y porque cada pessoa tem o seu universo interior e vai dar a sua interpretação para aquilo que vc escreveu. Então… geralmente é impossível vc prever, qual será a reação do leitor…

 Como eu já disse anteriormente, vc escreve um texto achando que tá ótimo, que o mundo vai amar esse texto e ele não suscita um comentário sequer enquanto outro texto que vc nem deu muita bola, nem gastou tanto tempo nem cérebro nele escrevendo explode e vira um sucesso eterno… que tem diversos cliques e comentários por anos e anos a fio.

Entretanto… de vez em quando, especialmente quando vc tem a chance de alcançar um número grande de pessoas com seu trabalho, vc consegue alcançar o objetivo de toca uma pessoa emocionalmente ou intelectualmente de alguma forma, de fazer aquela pessoa pensar. O que é muito legal, eu acho que é esta uma das razões por que eu escrevo… uma forma de conectar pensamentos com outras pessoas. Contudo, é legal pra caramba quando vc sem querer, consegue uma reação inesperada.

Quando uma pessoa que vc conhece na vida real (com esse negócio de internet tem um monte de gente que vc conhece sem realmente conhecer) confunde o texto que vc escreveu com a vida real. Achando que aquilo que vc está contando realmente aconteceu. Como eu dizia lá no começo do texto… minha amiga Lilian leu o meu texto e fez um comentário que refletiu exatamente isso… ela acreditou piamente que a história era verídica. Não era… minha mãe não teria me dado esses conselhos, apesar dela ter me dado muitos conselhos na vida hahahahaha…

Então minha amiga achou que a história era um relato de algo que realmente tinha acontecido… não foi… Mas eu fiquei muito contente… eu me senti meio que Fernando pessoa quando ele escreveu o poema que eu coloquei na imagem no começo deste post… Eu li em algum lugar que a gente deve escrever sobre aquilo que conhece para poder escrever melhor. Essa conversa do texto nunca aconteceu na vida real, poderia ter acontecido, mas não aconteceu. Entretanto a inspiração para este conto é bem real… eu já conheci e tive que conviver com diversas ‘pessoas amargas’ e eu tenho muita pena dessas pessoas, porque no fundo elas são pessoas muito tristes…

E eu luto todos os dias para não me tornar uma pessoa assim. E aposto que todos vcs lutam também… contra a vida. A vida não é moleza e ela sempre nos dá pancadas e é complicado vc não desanimar, se reerguer cada vez que toma um tombo e continuar e ainda por cima mantendo o coração livre de amarguras.

Vou terminando este post por aqui… Mas… antes de terminar este post eu vou fazer um pouco de propaganda do meu novo blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

See you guys around the corner
Shao