Fala galera, beleza??? Como vão vcs seus lindos??? Como está este comecinho de ano de vcs??? Espero que esteja legal… O meu está bastante ocupado. No bom e no mal sentido. No bom sentido porque eu estou escrevendo pra caramba. No mal sentido porque eu estou trabalhando pra caramba lá no trampo, pessoas se aposentaram diminuiu pra caramba a quantidade de funcionários e por conseguinte aumentou o volume de trabalho. E também porque eu estou doente, Carlos está doente e eu marquei consultas para caramba para mim e para ele, e exames para caramba…

E como se isso tudo não bastasse esses dias saiu um terçol no meu olho direito… Eu acordei na segunda-feira com a pálpebra doendo e olhei no espelho e não vi nada… Na terça estava doendo ainda, mas doendo mais… Eu achei que eu tinha dormido com a cara socada no travesseiro e devia ter machucado alguma coisinha e na quarta quando eu acordei eu vi que tinha uma pontinha saindo bem na parte inferior do olho… Se eu não me engano, terçol também é um sinal de baixa imunidade.

Tenho consulta marcada com o dermatologista semana que vem, se até lá não tiver melhorado eu aproveito e peço para ele dar uma olhada, enquanto isso eu vou pingando colírio no trambolho e torçamos para que ele sare logo. Vamos aguardar até dia 26 minha consulta com o clínico para ver o resultado dos meus exames.

Masss… Vamos ao assunto do Post… Não sei se eu cheguei a comentar aqui com vcs, mas eu fui uma criança diferente. Eu aprendi a ler e a escrever sozinha. E quando eu era criança, minha mãe descobriu que eu tinha um QI acima da média hahahahaha. E ela resolveu investigar porque eu me comportava diferente dos meus primos e das demais crianças da família. Minha mãe tomou vários sustos comigo. Eu aprendi a ler sozinha, eu questionava coisas que uma criança de três anos nem reparava… Por exemplo… Mãe, porque o sol bate em lugares diferentes da parede da cozinha dependendo do tempo que estamos? Minha mãe… Nossa, eu nem tinha reparado nisso menina hahahahaaha.

Minha mãe só percebeu que precisava de uma atenção diferente com relação aos estudos. Quando eu estava na escola, pra eu me entreter eu copiava a lição da lousa e depois eu copiava numa folha à parte a explicação… De trás para frente ou de ponta cabeça para deixar as matérias da escola mais interessantes.

Pra mim essas coisas sempre foram normais. Eu não me relacionava direito com outras pessoas. Eu simplesmente achava que eu era tímida. Então depois de assistir um documentário sobre crianças super dotadas que eu percebi que certas coisas não eram normais. Que simplesmente o sistema educacional não está preparado (de vários países, não apenas do Brasil) para lidar com pessoas acima da média. Essas pessoas como eu sempre se sentem deslocados, tentando se enquadrar.

Um dos maiores gênios de todos os tempos Ainstein tinha dificuldades na escola, não se expressava direito até os nove anos de idade. Os pais dele até achavam que ele era retardado. Sociedade em geral não sabe lidar com pessoas acima da média. Eu queria poder  postar aqui para vcs o link deste documentário para vcs assistirem aqui, mas… Eu não encontrei um link no YouTube nem nenhum outro canto da internet para colocar aqui. Eu vi o programa na TV a Cabo.

Hoje, depois de adulta e depois de assistir esse documentário eu vi que tem muita gente inteligente pra caramba no mundo e que muitas vezes essas pessoas não alcançam um sucesso bacana na vida, não desenvolvem todo o seu potencial porque a sociedade trata como o esquisitão, o diferente, o que não se enquadra… Um bom exemplo, a gente vê isso bacana naquele filme “Um gênio Indomável”… Onde o Matt Damon interpreta um cara que é inteligente pra caramba que é faxineiro numa Universidade até que um professor o “descobre”. 

Infelizmente, na vida real, nem sempre essas pessoas encontram uma “fada madrinha” que descobre a pessoa e ajuda a pessoa a desenvolver o seu máximo potencial. Não tem o link do documentário mas… Vcs podem assistir esse filme que eu citei… É bem bacana!!! E se vcs galera, tiverem um filho que vc acha que é inteligente demais pra idade deles, faça como a minha mãe. Que incentivou e foi atrás, e me deu livros acreditou em mim e me fez acreditar nos meus sonhos.

Vou terminando este post por aqui… Vejam o filme… E se vcs quiserem conhecer um pouquinho do resultado dos incentivos da minha mãe… Da sementinha que ela plantou com cada livro que ela me deu, cada texto meu que ela parou de fazer alguma coisa para ler… Cada vez que ela elogiou um texto que nem era tão bom assim… Clique lá no blogue o “Estante da Shao”. Cliquem no link conheçam meu trabalho, meus textos, meus contos, meus poemas. Toda a sexta-feira teremos texto novo e inédito para vcs… Ou um conto ou um poema, ou de repente um trecho de uma história que eu esteja escrevendo. Participe e divulgue esse meu novo projeto se vcs curtirem…

Ow… achei um video aqui… assistam.

See you guys around the corner
Shao