Olá amiguinhos, cês tão bem? Espero que sim… perdoem meu linguajar coloquial. Prometo maneirar nas gírias. Até mesmo porque este texto vou falar justamente sobre umas coisas que estão rolando aí que estão cooperando cada vez mais para matar e enterrar de vez a forma culta da língua portuguesa no Brasil. Daqui a pouco estaremos todos falando o dialeto dos funkeiros.

Aliás… pergunta… qual a forma correta de se escrever Funkeiro??? Fanqueiros??? Quem se importa Shao, deixa isso pros linguistas, pros filólogos (Filólogos são os caras que estudam como são formadas as palavras amiguinhos… Filologia chama essa Ciência e geralmente os filólogos são os caras que escrevem os dicionários). Beleza, palavras novas sempre são discutidas e discutidas até que um grande Dicionário resolva, com as bênçãos de vários linguistas, adotar a palavra e a grafia que eles consideram correta.

Eu geralmente não faço posts sobre os assuntos da semana. Mas dessa vez eu tive que abrir uma exceção… Isso porque eu estava escrevendo outro post e parei um instante pra ler um treco na internet (sim, eu fico parando de escrever o post e lendo outras coisas ne internet) e me deparei com Três assuntos pipocando pra caramba nos sites que eu entrava.

Primeiro uma mulher que se diz ser escritora aí que quer reescrever os livros, os clássicos da literatura brasileira simplificando o texto para os jovens poderem entender a história. Meu!!! Simplificar??? Onde mais vai essa sede dos poderosos de deixar o povo cada vez mais burro??? A culpa dos jovens não entenderem as palavras “difíceis” está justamente na falta de leitura de livros de qualidade. Que tenham vocabulários densos e complexos. Agora a mulher quer pegar esses livros e detonar justamente uma das coisas que faz aquele livro ser um clássico?

Mano!!! Fico indignada com essas coisas. Sei que na maioria dos casos, das famílias brasileiras a educação dos filhos não é prioridade dos pais. E quando eu falo em educação… eu me refiro ao ato de uma pessoa ganhar conhecimentos. Não ir pra escola, ou algum curso e ter um diploma de ensino fundamental e médio. Nada disso… Minha mãe sempre quis que nós adquiríssemos conhecimentos, não apenas terminássemos os estudos e tivesse um diploma como todos os outros filhos da minha avó achavam que deveria ser.

Acho que todos os meus primos foram para a escola pública. Eu também estudei em escola pública. Mas quando minha mãe percebeu que a qualidade do ensino na escola publica ia ladeira abaixo ela tratou de me colocar numa particular. Ela ralava mano… ralava muito pra pagar escola e plano de saúde pra nós três. Ela dizia que era a única coisa que ela podia deixar de verdade pra gente. Estudo e educação pra gente correr atrás de ganhar a nossa vida no futuro e não ser capacho dos outros.

Eu comecei a ler a dita Literatura Clássica eu devia ter uns nove anos de idade. Eu sentava na mesa da cozinha com o livro e eu não entendia coisa nenhuma do que eu estava lendo a grande parte do tempo. Até que a minha mãe chegou e colocou o dicionário Aurélio em cima da mesa do meu lado e disse. "Maioria das pessoas diz que este livro aqui é o pai dos burros, eu te digo que é o pai dos curiosos… sempre que vc não entender uma palavra procure aqui nele… se vc não entender a explicação vc pergunta pra mim… se eu não souber eu vou descobrir pra e daí eu te falo."

Hoje, com tanta tecnologia, internet móvel, smartphone e o caramba trocentos aplicativos de dicionário, tradutor e o caramba… e me vem, essa dona… mancomunada com os inúteis dos políticos brasileiros e quer facilitar a leitura… colaborando com a ignorância do povo.  Capeta!!! Essa mulher estudou onde Cristo??? Qual a formação dela??? O nome da indivídua que se intitula "escritora" é Patrícia Secco… não fala nada nas reportagens que eu li sobre alguma qualificação ou formação acadêmica dela. Anyway… isso não vem ao caso. O que vem ao caso é que a ideia é péssima… Concordo com os professores das grandes universidades quando chamaram a ideia da dona moça aí de mutilação literária.

Os livros que ela quer "simplificar" refletem a sociedade da época em que foram escritos, retrata a sociedade e a forma de falar e escrever daquela época. Minha vontade é de falar pra essa equipe de "facilitadores": "Hei, gente!!!! Vocês estão contribuindo com o já imenso número de analfabetos funcionais que existem neste terra de meu Deus! Eu podia falar, falar e falar sobre esse assunto e não ia ter fim…

Segundo assunto que não para de pipocar no meu Facebook. O linchamento de uma mulher que foi injustamente acusada de sequestrar crianças para rituais de magia negra… no final das contas a mulher não tinha culpa de nada e acabou morrendo depois de apanhar de uma multidão ensandecida. As imagens são horrendas e eu nem quis ver o vídeo.

O país está uma loucura, não tem segurança e a população tá cansada de sofrer nas mãos dos bandidos. Está ocorrendo uma onde de linchamentos pelo país. Gente fazendo justiça com as próprias mãos. É claro, que logo de cara quando vc vê na TV um bandido apanhando da população vc pensa. Bem feito filho da mãe… esse mereceu, já foi tarde, etc, etc. Entretanto pelo mesmo motivo que eu sou contra a pena de morte, eu sou contra esse tipo de atitude. Porque a pessoa, como era exatamente o caso da mulher que morreu espancada pela multidão, pode ser inocente. Pode estar sendo acusada levianamente por pessoas de má índole. Pode ter sido confundida com o verdadeiro criminoso e outros tantos porquês. É muito triste ver o país dessa forma, largado à barbárie… Cada vez tenho mais e mais vontade de ir embora desse país. Me lembro do slogan que o governo lançou nos anos 80… Brasil, ame-o ou deixe-o. Olha Brasil… não tem nada mais triste que amor não correspondido, uma hora a gente cansa de amar sozinho.

Terceiro assunto… a hashtag lançada depois que jogaram uma banana pro Daniel Alves no jogo do Barcelona contra o Villareal. Primeiramente… quem não sabe que a Espanha e grande parte da Europa está infestada de xenofobia e não apenas de racismo? Não é simplesmente o fato de ser descendente de negros ou ser negro. É o fato de ser estrangeiro. Os países europeus estão em crise tanto quanto o Brasil. Desemprego, falta de grana, tá feia a coisa lá fora também. Aqui a feiura é maior e mais extensa… mas tem feiura lá também. E diante desses problemas é claro que os europeus vão reagir desta forma… odiando os estrangeiros. Que saem de seus países zuados de terceiro mundo para roubar os empregos deles lá na Europa.

Idiota foi a hashtag que criaram #somostodosmacacos. Não, capeta, não somos todos macacos. Somos todos humanos (uns mais outros menos vá lá…) mas somos todos seres humanos. Enquanto os próprios seres humanos não entenderem e não absorverem isso vai haver racismo, xenofobia, discriminação, homofobia e tantas outras coisas do gênero que fazem desse mundo um lugar mais mesquinho. Ahhh e teve o oportunismo do Luciano Huck que lançou uma linha de camisetas com a frase pra faturar em cima da polêmica toda.

Bom, esse post ficou maior do que eu esperava. Vou terminando por aqui… eu nem terminei o primeiro post que eu estava escrevendo… Acho que vai ficar para amanhã. Já está me dando sono. Vou dormir.

See you guys around the corner
Shao