Olá amiguinhos, como diria o velho ditado Agosto, mês de desgosto… Primeiro post desse mês, que contrariando as leis do universo está fazendo calor apesar de ser inverno.

Primeiro post do mês… como o ano está passando depressa não? Não que eu esteja achando ruim… muito pelo contrário. Por mim podia ser dezembro já.

Primeiro fim de semana do mês, foi péssimo… duas noites seguidas, dois pesadelos. Na verdade, não foram pesadelos. Simplesmente dois dos meus sonhos recorrentes que resolveram me assombrar em duas noites consecutivas.

Na noite de ontem eu sonhei que a minha mãe tinha saído para trabalhar na sexta e já era segunda-feira e ninguém sabia dela, e ninguém conseguia encontrá-la e ninguém se importava. E eu fiquei tendo esse sonho a noite toda, aquela agonia danada. Isso dela sair para trabalhar e acontecer alguma coisa com ela e ela não voltar para casa era uma das coisas que me assimbravam quando eu era criança. Eu lembro que eu ficava na janela da casa da minha vó esperando ela chegar e eu só respirava aliviada quando via ela descendo do ônibus, ou então caminhando pela calçada.

Eu lembro de ficar vendo o sol se por e a primeira estrela, a Estrela D’alva aparecer no céu e ficar brilhando naquele céu meio azul anil, azul marinho…

E hoje eu tive outro sonho ruim. Eu sonhei que minha mãe tinha brigado comigo e eu estava muito zangada com ela porque eu não tinha feito nada errado, assim sendo ela estava sem razão de brigar comigo então eu fiquei muito ferrada e joguei o celular no chão fiz as minhas malas e fui embora.

Eram raras as ocasiões que essas coisas aconteciam, eu me desentender com a minha mãe e ficar zangada com ela. Geralmente, ela estando certa ou errada eu abaixava a cabeça e não falava nada. Porque mãe é mãe… eu raramente ficava com raiva, na verdade eu ficava muito triste quando ela era injusta comigo. Eu lembro uma vez que eu fiquei em casa cuidando dos meus irmãos como sempre e aquele dia eu arrumei a casa toda, deixei tudo limpinho, fiz meu trabalho da escola que eu tinha que entregar no dia seguinte e fui pra igreja, e meu padrasto encheu a cara e bagunçou toda a casa toda e ainda deu meu trabalho pro Cezar que era pequeno, e estava nascendo os dentinhos dele… ele mastigou todo meu trabalho…

E não era trabalho digitado no computador, era aqueles manuscristos em filha de papel almaço. Eu cheguei em casa minha mãe me deu a maior bronca… Eu lembro que eu fiquei lá escutando a bronca de cabeça baixa e pensando como eram as coisas… como o mundo era injusto. E eu olhei pra ela, e pensei… coitada da minha mãe, trabalha tanto, tá tão cansada e chega em casa e tá tudo bagunçado. Quando minha mãe terminou de falar, eu olhei pra ela e só falei: Desculpa mãe, amanhã eu arrumo tudo pode deixar…

Aí ela saiu do meu quarto, eu peguei o que tinha sobrado do meu trabalho e fui refazer, porque eu teria que entregar no dia seguinte, e já que eu estava sem sono eu resolvi fazer o trabalho. Eu lembro que eu fiquei até umas duas ou três da manhã fazendo o trabalho. Era de biologia se eu não me engano. Quando eu finalmente estava terminando o trabalho eu estava tão aliviada que não ia ficar sem nota que eu até tinha esquecido da tristeza que eu tinha ficado de ter tomado bronca sem merecer da minha mãe.

Eu arrumei meus livros e estava me arrumando para ir dormir, quando eu escutei, alguém bater bem de leve na minha porta, eu abri e era minha mãe… Eu não me lembro exatamente o que ela disse, mas em resumo ela me pediu desculpas pelas coisas que ela tinha falado. Eu não sei até hoje como, mas ela acabou descobrindo que eu tinha arrumado todas as coisas e que quem tinha bagunçado tudo havia sido meu padrasto. Ela descobriu tanbém que o Cezar tinha comido meu trabalho e que eu estava acordada até aquela hora refazendo o trabalho que ele tinha dado na mão do meu irmão. Eu não esqueço nunca ela falando: Perdoa a mãe… Minha mãe era assim, ela não tinha vergonha de voltar atrás e pedir perdão. É um exemplo a ser seguido para mim.

Mas enfim, esses sonhos me incomodam. Porque eles são tão vívidos que eu acordo meio desorientada, sem saber exatamente onde eu estou, o que é real, o que é sonho… E eu sempre acordo cansada. Tão cansada… como se eu tivesse carregado pedras a noite toda.

Talvez esses sonhos estejam me assaltando agora porque está chegando perto o dia do aniversário da morte da mãe e ultimamente eu tenho sentido muita saudades dela. Esses dias eu estava conversando com a minha amiga Eliana e eu comentei com ela que eu não havia tocado o corpo dela no caixão. Ela me disse que talvez seja por isso que eu tenho essa sensação de que não é real. Talvez ela tenha razão.

Talvez ela não saiba do que ela esteja falando, ouço muitas pessoas falando sobre perda, mas a grande maioria dessas pessoas nunca perderam ninguém muito próximo à ela. A pessoa que criou a frase ‘melhor ter amado e perdido que nunca ter amado’ certamente jamais perdeu ninguém. Porque tem dias que dói tanto a dor da perda que vc deseja mesmo nunca ter sequer conhecido a pessoa. Ser humano é estranho…

Mas eu prefiro não ficar pensando nisso… tô ocupada demais para ter problemas emocionais… Tantas coisas para fazer nesse mês… Tenho que levar o carro para fazer a revisão, depois tem que levar pra fazer a vistoria no controlar porque mês que vem tem que licenciar o carro. Ou seja, vou ter que tirar uns três ou quatro dias pra fazer tudo isso…

Provavelmente dois dias para a revisão, pode ser que eu fique sem carro dois dias porque na segunda tenho que levar o carro lá na consecionária e como ele está com um probleminha elétrico, talvez ele fique de segunda para terça lá e eu só vou poder pegá-lo terça de tarde.

Depois vou ter tirar mais um dia para levar o carro para a inspeção da controlar. Felizmente esta posso fazer no final de semana. E depois que eu pagar e fazer a vistoria da controlar eu vou ter que agendar um dia para fazer o licenciamento do carro. Mas esse ultimo eu tenho até final de setembro para fazer.

Dia 15 tá marcada a exumação da mãe… e dia 16 é aniversário do Cezar. E o Cezar quer ir pular de para-quedas em boituva no dia 17. Cezar é doido… chamou o meu primo Cassinho pra ir com ele hahahahaa. Eu até vou com eles até Boituva, afinal é um passeio diferente, mas pular de para-quedas acho que por enquanto não. Não é nem pelo salto em si. Não tenho medo de altura. É que é uma graninha. Ele tá guardando pra isso faz tempo… então deixa ele hahaahahahaha.

Fora isso tudo, estou em contagem regressiva para o término do meu mandato de chefia… Vai sair a incorporação. Depois que sair tem que sair a nomeação da pessoa que a minha chefe indicar para ficar no meu lugar, aí eu não sei quanto tempo demora para sair essa publicação, a nomeação do novo chefe. E enquanto o novo chefe não for nomeado a responsabilidade ainda é minha. Espero que não demore muito. Tenho planos de tirar umas longas férias assim que sair a nomeação do novo chefe. Enquanto a nomeação não sair eu vou ter que ensinar o serviço para a pessoa que minha chefe indicar como meu substituto.

Tô morrendo de cólica hoje, desde ontem aliás, tanto que não consegui lavar toda a roupa que eu tinha pra lavar ontem, vou ver se consigo terminar hoje e aproveitar o restinho do domingo para descansar. Porque amanhã começa tudo novamente e amanhã vai ser chato pra caramba porque se o carro ficar de um dia para o outro na consecionária eu vou ter que encarar aquele busão lotado de volta pra casa. Vou esvaziar bem a minha mochila hoje quando estiver arrumando ela, para ter que carregar apenas o necessário pro trabalho amanhã.

Bom e falando em roupa pra lavar… vou terminar este post por aqui e cair de cara na máquina de lavar. Fazia um bom tempo que eu não postava de manhã… Agora é meio dia, mas eu estou aqui escrevendo desde as nove da manhã já que os meus sonhos recorrentes e a minah cólica não me deixaram dormir até pelo menos umas onze horas. Então vcs devem imaginar que meu humor não está lá essas coisas hoje né?

See you guys around the corner
Shao