Oi amiguinhos, segundo dia do ano, segundo post do ano, bacana né? Não esperem que eu escreva um post por dia, eu até queria, apesar de que acho que os posts ficariam chatos, porque minha vida é rotina, rotina, rotina… mas ia ser bacana. Enfim, só estou postando aqui novamente hoje porque tive um arroubo nerd hoje por conta do Notebook da Dell que eu dei pro Carlos, mandei arrumar e fui buscar ele hoje na Assistência Técnica. Aí tive que testar ele, atualizar os programas e arrumar uma conta para o Carlos, então… fiquei metado do dia brincando e enquanto eu estava brincando e arrumando o Notebook o Cezar me perguntou como fazia para conectar o Notebook usando a internet do celular…

Eu sabia que era possível usar o celular como roteador e a internet do celular pra conectar o notebook (dá pra fazer até com um Desktop desde que tenha placa wireless ou bluetooth) mas eu não sabia como fazer. Cezar e eu fomos pesquisar na net e é bem simples pelo Android. Uma das razões porque eu prefiro o Android ao Iphone… as coisas são feitas de forma que um usuário não expert consiga usar a tecnologia. A Apple adora dificultar as coisas.

Enfim… é só vc habilitar a função Roteador na opção conexões Wifi e automaticamente a placa Wifi do Notebook vai reconhecer ele como se fosse um modem. No celular do meu irmão que é um Galaxy S ele conectou direto, sem senha nem nada. No meu Galaxy SIII o procedimento é o mesmo, mas ele criou automaticamente uma senha, mas essa senha é configurável vc pode alterar ela como vc bem entender e também vc pode renomear a Conexão também. É bem bacana e a conexão ficou bem forte aqui em casa.

Cezar levou o notebook da Dell e o celular dele e vai testar a conexão lá do trampo dele (porque hoje ele vai ficar a noite toda de castigo num lugar só), mas acredito que vai funcionar direitinho porque funcionou aqui em casa. Quer dizer, vai depender bastante da conexão na região lá do trabalho dele.

De qualquer forma Carlor vai ficar feliz, Notebook tá funcionando zero bala. Agora só falta eu mandar arrumar o outro Notebook da HP que está encostado aqui em casa, aí cada um vai ficar com o seu Notebook, pra levar pra onde quiser, fazer o que quiser, sem ter que ficar pentelhando o outro. Espero que eles não quebrem os notebooks, meus irmãos tem talento pra quebrar as coisas, principalmente o Cezar ahahahahahaha, graças a ele que eu troco de celular todo o ano. Porque todo o ano ele está precisando de um celular novo.

Fora ir buscar o notebook e ficar na sessão nerdeza conectando ele de trocentos jeitos na 3G o que mais vc fez tia Shao. Bom, eu terminei de lavar a roupa e na verdade não fiz mais nada, tem um monte de louça para lavar mas eu tô com preguiça e acho que não vou lavar hoje, eu tenho médico amanhã, mas não sei se eu vou na consulta… preguiça eterna isso sem falar que eu perdi meus exames e não anotei a porcaria das medidas da glicemia que eu tinha que levar para a médica… entonces… nem adianta eu ir na consulta. Pensando seriamente em remarcar. Fora isso eu não fiz mais nada o dia todo.

Mudando de assunto mas permanecendo na nerdice. Ontem eu navegando pela net li uma notícia que a Netflix (que eu instalei esses dias para ver se era bacana) ia disponibilizar todas as temporadas de Arquivo X em janeiro… li ontem mesmo, primeiro de janeiro e quando eu fui lá ver… já estava disponíível. Que alegria… pessoa nerd em mim ficou feliz, conectei o bagulho imediatamente e comecei a assistir. Assisti ontem os seis primeiros episódios, vamos ver quantos mais episódios eu consigo assistir hoje.

Assistir Arquivo X me lembra muito da minha mãe. Dos anos noventa, antes dela ficar doente pela primeira vez. Eu sei que o ser humano tem mania de particionar as memórias e só lembrar das coisas boas e esquecer das coisas ruins e por causa disso temos a sensação de que as coisas no passado eram muito melhores, mas… saudades daqueles anos, quando a mãe chegava do trabalho, aí íamos jantar todos juntos e então o Carlos gritava da sala: ‘Começou Arquivo X’ e minha mãe que não gostava da série no começo, começou a assistir com a gente e depois não perdia um episódio… depois ela ficou doente e tudo mudou. Tristeza pensar que as coisas jamais serão daquele jeito novamente. Família toda reunida assistindo tv e rindo junto, mãe fazendo tricô, Carlos sentado no chão segurando o novelo pra ela, Cezar gorducho sentado no meu colo… Kate, minha prima que morava com a gente, morrendo de medo dos ET’s fazendo eu e o Carlos rachar de rir.

Entretanto felicidade de ter vivido esses momentos, alegura de ter podido desfrutá-los e de tê-los guardado aqui na memória, sabendo que onde quer que eu vá o que quer que aconteça eles vão estar sempre comigo.

Acho que Arquivo X foi a primeira série que eu realmente acompanhei… e acho que foi a primeira série que eu vi diversas vezes o mesmo episódio… (tirando Chaves e Chapolin claro hahahahaah). Eu acho Arquivo X uma série muito boa, ótima… alguns podem achar besta, ruim, bobagem… cada um com a sua opinião. Eu acho muito boa. Mas, mesmo que ela não fosse boa, para mim ela seria ótima só por ter feito parte dos melhores anos da minha adolescência e por conseguinte uma das melhores épocas da minha vida.

Quando dizem, não se fazem mais séries como antigamente acho que o sentimento de que as séries de hoje não são tão boas quanto as de antigamente está relacionado à sua ligação afetiva à série, mais do que a série em si. É claro que uma série atual, até mesmo por causa do desenvolvimento tecnológico, vai ter melhores efeitos especiais, câmeras melhores… mas não vai ter aquele vínculo afetivo com vc… que já é adulto.

Enfim… esse post ficou nostálgico. Vou terminando meu post por aqui.

See you guys around the corner
Shao