Buenas  galera, mais uma tarde/começo de noite chuvosa de domingo. Geralmente eu odeio os domingos porque as segundas são os dias mais filhos da puta atribulados da semana, não pelas segundas em si, mas porque eu tenho um monte de coisa pra fazer geralmente na segunda. Relatórios mil e é o dia que o atendimento pega pesado, e é o dia que geralmente dá (como diz minha melhor amiga) diarréia mental em meia parte dos atendentes e em todos os atendidos.

Sabe o que é as pessoas chegarem lá e você pergunta, pois não? O que o senhor deseja e a criatura largar um “não sei” pra cima de você??? Pois é… Não sabe e vem aqui fazer o quê??? Eu não tenho bola de cristal!!! E mesmo que eu tivesse acho que ela seria incapaz de ler tanta estupidez… mas… enfim… domingos me deixam deprimida por causa disso. E grande parte deve se dar ao fato de que eu também não estou satisfeita trabalhando onde eu estou no momento… mas… inssatisfação é uma constante do ser humano não???

Mas hoje eu não tô deprimida porque amanhã não tem trampo, a semana que vem será mais curto e basta isso para me deixar mais contente. Sou uma pessoa fácil de deixar feliz né? Não me entendam mal eu gosto de trabalhar… mas meu trabalho vem se tornando cada vez mais frustrante. E eu não vejo a hora de ter condições de mudar isso cara…

Hoje eu estava no you tube e tem um canal de um cara que eu sigo que ele geralmente faz comentários inteligentes sobre diversos assuntos, não concordo com eles todos mas nem por isso vou dizer que não são inteligentes. Mas enfim, hoje eu vi um video dele metendo o pau no funcionalismo público e generalizando legal, falando que a culpa da previdência estar do jeito que está é em grande parte do funcionalismo público. Sinto muito mas o cara falou sem um pingo de conhecimento.  Ele fala muito de coisas políticas e direitos e leis, mas ele mostrou que ele desconhece totalmente certas coisas… por exemplo… a grana do INSS e da aposentadoria dos funcionários públicos vem de lugares diferentes. Vc que trabalha na iniciativa privada é quem custeia os aposentados do INSS enquanto nós que trabalhamos no funcionalismo bancamos quem trabalhou no funcionalismo… são fundos diferentes e não se misturam. Não vou me alongar porque o tema é complexo… mas, quem acha que toda a grana do salário dos funcionários públicos sai dos impostos se surpreenderia se procurasse se informar mais, não é bem assim. Procurem saber o que é Automonia Federativa e Competência Tributária, depois leia os estatutos dos funcionários do seu estado e como foi criado o fundo de pensão… antes de sair falando… Nós pagamos o seu salário…

Se você, por exemplo, está desempregado, mora no municipio de São Paulo numa casa com valor venal inferior a R$ 92.500,00 e não trabalha de autônomo contribuindo com ISS… sinto te informar que vc não paga o meu salário… Ahhh mas eu pago ônibus, eu não trabalho na SPtrans, e mesmo assim o transporte público em SP tá praticamente privatizado… ahhhh mas eu pago metrô… Metrô é Estatal… nada a ver com a prefeitura Sorry… ahhh eu pago esgoto, Sabesp estado… As pessoas pagam impostos e acham que tudo tá num balaio de gatos só… dêem uma pesquisada galera, as leis que criam os impostos dizem onde a grana deve ser aplicada… raramente, grana de imposto vira salário de funcionário público. E se vc foi mal atendido num órgão publico, analise seu comportamento antes de reclamar… ninguém vai atender bem um sujeito que entra no estabelecimento e trata todo mundo como empregado, as pessoas esquecem que são seres humanos do outro lado do balcão. Descontando suas frustrações políticas e economicas e sociais em quem não tem nada a ver com o peixe. Agora se vc foi educado e ainda assim foi mal atendido as ouvidorias existem para isso…

Com relação à reforma da previdência… não adianta reformar a previdência porque todos os estdos e municípios podem, criar seus próprios métodos de aposentadoria, criar seus salarios mínimos e a União não pode meter o bedelho porque eles são entes federativos e possuem autonomia para fazê-lo…

Mas voltarei ao assunto em outra oportunidade… não sou defensora dos direitos dos funcionários públicos, não tenho mais nada de revolucionária em mim, sou da seguinte opinião, os incomodados que se mudem, não dá

Como foi o fim de semana Shao??? Foi… cansativo. Eu fui dormir tarde pra caramba na sexta, e ontem… e sabadão eu tive que preencher fomulários e assinar petições. Preenchi o treco da isenção do Imposto Causa Mortis da minha mãe, assinei a petição pro processo de adoção, meu padrasto vai dar entrada na segunda, serei adotada. E depois fomos almoçar e no cinema no Shopping. Alomçamos, meus brothers, meu pai e as namoradas dos meus irmãos. Depois fomos ver… Atividade Paranormal 2… muito legal… muito muito legal… hahahahaha vou baixa o um pra ver se é legal também.

Hoje eu não fiz nadica de nada… ontem fui dormir eram quatro da madrugada… estudando… ai ai… saco cheio. Mas life goes on…

Essa história toda de insatisfação com as coisas como estão… me fez lembrar do mito (hein??? é mito mesmo???) de Ícaro. Eu sempre que pensava em Ícaro, pensava em um cara totalmente inconformado com a situação que as coisas estavam, alguém desesperado o bastante para tentar algo que nunca ninguém antes havia tentado… não sei se ele considerou que alguma coisa poderia dar errado ou se ele simplesmente acreditava piamente que tudo daria certo…

image     Anyway, existem duas versões do mito de Ícaro, não sei qual das duas é a mais contada ou a mais popular… mas… vamos lá as duas versões:

Imagem: "A Lamentação Por Ícaro", de Herbert James Draper

    A tentativa de deixar Creta

O pai de Ícaro, Dédalo, um talentoso e remarcável artesão ateniense, tentou deixar o seu exílio na ilha de Creta, onde ele e o seu filho estavam presos nas mãos de Minos, o rei para o qual ele havia construído o Labirinto para confinar o minotauro (metade homem, metade touro). Dédalo, o artesão-chefe, estava exilado porque deu à filha de Minos, Ariadne, um novelo de linha de modo a ajudar Teseu, um inimigo de Minos, a sobreviver ao Labirinto e derrotar o minotauro.

Dédalo confeccionou dois pares de asas, usando penas e cera, para ele mesmo e seu filho. Antes de deixarem aquela ilha, Dédalo avisou ao seu filho não voar tão rente ao sol, pois o calor derreteria a cera, nem tão rente ao mar, pois a umidade deixaria as asas mais pesadas levando-o a cair no mar. Graças à enorme liberdade que voar deu a Ícaro, este cruzou curiosamente o céu, mas durante o processo ele veio rente ao sol, que derreteu a cera. Ícaro se manteve batendo as asas mas logo acreditou que já não lhe sobrava qualquer pena daquelas e que ele estava batendo apenas os seus próprios braços. E assim, Ícaro caiu no mar na região que recebeu o nome dele – o mar Icário próximo a Icaria, uma ilha a sudoeste de Samos.

Escritores helenísticos que deram sabedoria filosófica ao mito também preferiram mais realidade, na qual deixar Creta era então por água, provida por Pasífae, para que Dédalo criou os primeiros barcos, para Minos possuir galeras, e que Ícaro caiu a caminho da Sicília e se afogou. Hércules construiu um túmulo a ele.

Outra versão

Icáro era filho de Cronos e de uma escrava de Minoano, Náucrete, por parte de seu pai Dédalo descende do próprio Zeus, uma vez que Dedálo era filho de Alcipe, que era filha de Ares, que por sua vez era filho de Zeus e Hera. Dedálo, exilado por ter matado seu sobrinho Talo, refugiou-se em Tebas, junto ao rei Minos. Após o nascimento do Minotauro, fruto dos amores entre Pasífae e um touro divino (V. Minos), construiu o labirinto, no qual encerrou o monstro. Tempos depois, o minotauro foi morto por Teseu (V. Teseu e V. Minotauro). Após a morte do Minotauro, Dedálo foi preso, juntamente com seu filho, no labirinto. Então construiu asas artificiais a partir da cera do mel de abelhas e asas de gaivota. Dessa forma consegiu fugir. Antes, porém, alertou ao filho que não voasse muito perto do sol, para que esse não pudesse derreter a cera das asas, e nem muito perto do mar, pois esse poderia deixar as asas mais pesadas. No entanto Icáro não ouviu os conselhos do pai e querendo realizar o sonho de voar proximo ao sol, acabou despencando e caindo no mar Egeu, enquanto seu pai, aos prantos, voava para a costa. Ao chegar à Sicília, foi acolhido na casa do Rei Cocálo.

Enfim… às vezes eu me pergunto… será que não precisamos todos nós de um pouco que seja da coragem de Ícaro de enfrentar o resultado incerto? Nenhum sonho se realiza olhando para a estrada, é preciso dar o primeiro passo…

Vou ficando por aqui… amanhã postarei mais se der…
See you guys around the corner
Shao