Olá crianças… a pedidos (mais especificamente um pedido né Marcelo??? HAhahahahaha) vamos falar hoje da história criada pelo Irlandês Bram Stoker. A maioria deve conhecer a história do filme de Francis Ford Coppola, filmado em 1992, com Gary Oldman, Keanu Reeves, Winona Rider e Anthony Hopkins… anyway… muita gente nem sequer viu o filme, porque tem paúra de filme de terror. Eu fui assistir na semana da estréia num cinema daqueles à moda antiga, com galeria, cadeiras dde madeira e tapete de veludo vermelho, um verdadeiro mausoléu que só serviu pra aumentar o clima de terror do filme. Pra ajudar mais ainda o cinema estava vazio… só tinha eu, minha tia (que foi me levar hahahaha) e dois tiozinhos. Minha tia gritando nas cenas horríveis e sanguinárias foi impagável.

Por que vc quis assistir Drácula tia Shao, well, porque eu nunca tive medo de filme de terror, nem de monstro nem de ET (o sobrinho de um amigo meu tem pavor de ET e de vômito… se for um ET vomitando então… urgh… corre pras colinas)… mas de vampiros eu sempre tive meda, pânico, trevas… Então, como eu detesto ter medo das coisas eu fui no cinema na semana da estréia pra exorcizar isso de mim…

O que a maioria das pessoas não sabe é que… o filme na verdade nem foi tão baseado na obra de Bram Stoker, essa é uma das raras vezes que o filme é melhor que o livro (geralmente é o contrário). Em primeiro lugar porque… O livro foi inspirado numa pessoa real… o príncipe Vlad III Draculea (ou Vlad Dracul ou ainda Vlad Tepes) da Valáquia (um país pequeno que ficava onde hoje fica a Romênia, mais especificamente alí, na Transilvânia…

A Valáquia é uma província histórica da Romênia, situada ao norte do rio Danúbio e ao sul dos Cárpatos. A Valáquia é subdividida em outras duas regiões: a Muntênia e a Oltênia. A Valáquia lutava constantemente com o Império Otomano, sendo que diversas vezes impediu o avanço turco sobre a Europa. O Império Otomano foi um Estado que existiu entre 1299 e 1922 e que no seu auge compreendia a Anatólia, o Médio Oriente, parte do norte de África e do sudeste europeu. Foi estabelecido por uma tribo de turcos oguzes no oeste da Anatólia e era governado pela dinastia Osmanlı.

Muito conhecido também como Vlad o Empalador…foi o príncipe da Valáquia em 1448, depois de 1456 a 1462 e novamente em 1476.

Vlad III se tornou famoso por seu sadismo, mas apesar disso era respeitado pelos seus cidadãos por sua ferocidade contra os turcos. Era respeitado como guerreiro e governante que não tolerava o crime entre sua gente, e, durante seu reinado, ergueu grandes mosteiros.

Como príncipe, Vlad III liderou uma política independente em relação ao Império Otomano e, na Romênia, é lembrado como um cavaleiro cristão que lutou contra o expansionismo islâmico na Europa. Em turco, Vlad III é conhecido como Kazıklı Bey, ou o Príncipe Empalador, sendo um herói popular na Romênia e na República da Moldávia ainda hoje.

Fora da Romênia, ele é conhecido por contos que exageram suas atrocidades contra seus inimigos, sendo que muitos dos atos que lhe são atribuído são de veracidade duvidosa. E seria essas lendas que teriam inspirado o escritor Bram Stoker a criar seu famoso personagem, o Conde do romance Drácula (que se tivesse sido melhor escrito seria um drama e não um romance).

Segundo essas lendas, ele tinha o hábito de empalar seus inimigos, atravessando-os com uma estaca de madeira. Os números de mortos chegariam a dezenas de milhares. Por causa disso, Vlad III ganhou ainda outro nome: Vlad Tepes (Tsepesh), "O Empalador".

Outra lenda a seu respeito teria surgido depois da invasão de Valáquia pela Hungria, em 1447. Nessa ocasião, Vlad II e seu filho mais velho, Mircea, foram assassinados. Em 1456, Vlad Tepes retornou à região e retomou controle das terras, assumindo novamente o trono de Valáquia. Esse retorno tardio de Vlad III teria confundido os moradores da região, que pensaram ser Vlad II retornando anos depois de sua morte. Isso teria ajudado a criar a lenda de sua imortalidade.

Em 1462, Vlad Tepes perdeu o trono para seu irmão Radu, que havia se aliado aos turcos. Preso na Hungria até 1474, Vlad III morreu dois anos depois, ainda tentando recuperar o trono de Valáquia. (Aqui cabe uma observação, essa passagem da perda do controle do reino para o irmão deu base a um filme trash da década de 90 chamado “Subspécies – Geração Vamp” e sua continuação “Subspécies – Bloodstone” – onde o príncipe era gatão chamado Stephan Draculea filho do Drácula com uma mortal enquanto seu irmão Radu era filho do Drácula com uma feiticeira e era uma criatura asqueirosa e do mal. O Filme é muito trash mas eu me diverti muito assistindo hahahahaha. Inclusive estou baixando ele pelo bit comet).

Vlad III foi exilado de suas terras por um breve período em 1448, de 1456 a 1462 e por duas semanas no ano de sua morte (1476).

O livro em si… Drácula, de Bram Stoker é bem chatinho… eu li achando que seria… Uau… até porque eu vi o filme primeiro e fui ler o original em inglês na esperança que fosse melhor, que o filme, entretando o livro decepcionou.

Bom, talvez isso se deva ao fato de que o filme tem o que falta ao livro, um enredo que esplora mais o caráter do Conde Drácula e dos outros personagens também. O filme é uma misturinha básica do real Vlad Draculea e do Conde Da obra do irlandês. No livro Drácula vai para a Inglaterra mas o autor não se dá trabalho de explicar porque, logo a gente deduz que ou é por tédio, ou ele já tinha sugado toda a Transilvânia que é um lugar remoto no interior da Romênia, ou sei lá… pra fazer maldade na cidade grande mesmo e ter mais chance de escapar porque todo mundo sabe que polícia nas megalópoles não conseguem resolver todos os casos de cadáveres decepados que aparecem por aí.

Já no filme eles pegam um pouco da história do verdadeiro Vlad Draculea, da mulher que morreu enquanto ele estava fora lutando pela igreja católica nas cruzadas, contra os pagãos. Enquanto isso a mulher suicida-se porque recebe uma carta falsa e ele amaldiçoa a igreja e sua própria alma transformando-se na criatura nefasta que vem a ser o conde Drácula… dramas à parte… é aquela velha história do amor eterno e da comunhão de almas e yada, yada, yada… toda a tragédia tem a história das dita cujas almas gêmeas por trás das desgraças, ele podia simplesmente ter se casado com outra e não esperar séculos pela alma da amada se reencarnar com a mesma cara hahahahaha… Whatever…

O Drácula original é bem besta, mas… Bram Stoker merece méritos por ter criado um personagem que inspirou tantos filmes, tantas séries de tv e tantos outros livros. O personagem excedeu seu criador. A criatura superou mesmo o desenho psicológico que Bram Stoker desenvolveu para ele. Não que ele seja um autor extraordinário… como arremedo de escritora que sou… queria eu poder criar um personagem assim tão influente, tão poderoso que seja capaz de influenciar, aterrorizar, encantar gerações.

Bom, eu poderia escrever aqui por horas mas, o post ficaria deveras longo e não é essa minha intenção neste blog, assim sendo, espero que tenham gostado. Para curtir melhor a experiência de “conhecer” Drácula, leia o livro, depois veja o filme e dê uma lidinha sobre, a Valáquia, a Moldávia e a família Draculea, OK. Vejo vcs no próximo post.

Video de hoje, o trailer do filme Drácula de Bram Stoker… divirtam-se no fim de semana galera.

“I’m living in a box but I’m out when opportunity nox…
I’m dying in a box but I’m out when opportunity Rox on!!”

(Per Gessle)


Ceres"Shao" Xisto


Websites


http://www.traducifra.rg3.net
http://www.shao.rg3.net
http://shaolinda2.blogspot.com
http://shaolinda2.spaces.live.com

http://xenaresenhas.blogspot.com
http://bliguedja.blogspot.com