Eu definitivamente preciso dar um rumo na minha vida…
 
Novamente estou sentindo aquele sentimentos estúpido de que tudo na minha vida está em compasso de espera e eu já estou cansada de esperar… preciso precisar só de mim mesma… Se é que me entendem… difícil… nem eu mesma me entendo…!!!
 
Cara, eu amo minha família…. mas de vez em quando… como hoje por exemplo… eu queria ter uma bomba e explodir todos eles… ou me explodir pra ver se eu me livrava deles… eu não to podendo mais não… sério…
 
O pior de tudo é que… não são coisas graves tipo uma ofensa mortal ou um pecado capital… são aquelas coisinhas bobas do dia a dia sabe… seu irmão rouba sua meia do varal, sua mãe briga com você do nada, aí vc releva porque vc tem outras meias, e sua mãe tá doente, tá cansada, tá nervosa, tem um monte de resposabilidades… mas caramba… de repente… essas coisinhas hoje, amanhã, depois… enche! Chega uma hora que seu copo transborda! Eu tô no meu limite… sério…
 
Eu sempre tenho que relevar tudo porque os problemas dos outros são mais graves que os meus… seu avô tá com câncer… engole os desaforos… Sua mãe também tá doente e cheia de preocupações… releva os desaforos que ela solta na sua orelha mesmo não sendo sua a culpa… a culpa é dos seus irmãos… ahhhh releva… eles são homens, são adolescentes… Seu padrasto também tá doente viu…
 
Ah, vc tá trabalhando muito – muita responsabilidade??? Estudando muito – muito estresse??? E ainda tem que se preocupar com a doença do avô, da mãe, do padrasto… segurar a barra de irmão adolescente… aguentar pancada de tudo que é lado e ainda manter a imagem, de estudante exemplar, cidadã exemplar, funcionária exemplar, cristã exemplar… putz… tá complicado viu…
 
Se é verdade que a gente tem câncer, e outras doenças de tanto aguentar as coisas, os problemas emocionais e o diacho a quatro eu vou morrer antes dos quarenta anos com um tumor no cérebro… Minha cabeça parece que vai explodir de tanto pensar no problema das outras pessoas… as minhas coisas mesmo, minhas vontades e até mesmo meus problemas eu venho… deixando de lado há tanto tempo que nem sei mais… não sei mais qual foi a ultima vez que eu parei pra fazer o que eu queria na minha vida, anos e anos seguidos eu venho fazendo o que eu tenho que fazer, ou então o que precisa ser feito… tô cansada…
 
Sábado passado eu falei dane-se e fui jogar boliche… tomei sermão ainda porque eu fui gastar dinheiro… Uns tempos atrás aí eu tava super cansada, faltei na faculdade e fui no cinema… porque ficar em casa é pra escutar minha mãe brigando com os imprestáveis dos meus irmãos que por Deus, só sabem deixar ela nervosa, mas no final das contas quem aguenta o falatório, sou eu que não tenho nada a ver com o peixe e que por azar meu, tenho a infeliz característica de ser uma pessoa caseira… se eu não fosse, ficava o dia todo na rua e não tinha que ouvir o sermão alheio! Pois é, fui no cinema… pra ver um filme, descansar… ficar lá de bobeira sabe??? Adivinha o que sobrou pra mim??? Sermão…
 
Não quero me fazer de vítima… detesto isso… eu acho que a vida da gente é a gente que faz… e por isso não admito fazer papel de vítima… Mas tô cansada… não tenho pena de mim mesma, muito pelo contrário… é meu dever cuidar da minha mãe e ajudar ela a cuidar dos meus avós e até mesmo dos meus irmãos… Mas de vez em quando… eu queria ser… só um pouquinho egoísta, já tentei até, mas não consigo… é maior que eu… Se eu fosse um pouquinho só mais egoísta… pensasse um pouco em mim e não naquilo que eu tenho que fazer… sei lá… tô só cansada de segurar a barra sabe…
 
Nunca fui a criança, a adolescente ou a adulta irresponsável… eu queria poder, daqui muitos anos, ou poucos sei lá, antes de eu morrer, poder olhar para trás para a minha vida e falar… puxa, eu fiz isso por mim… eu quis fazer… fui lá e fiz! Porque até hoje… se eu hoje olhar pra trás… eu não encontro… nada… que eu tenha feito… pelo simples prazer de fazer… sempre que eu tentei… tinha algo ou alguém mais importante… e eu tive que deixar aquilo que eu queria de lado…
 
Bom, foi só um desabafo… não faz sequer com que eu me sinta melhor… Não vou me sentir melhor enquanto eu não sentir que as rédeas da minha vida estão nas minhas mãos, que a decisão é minha… que não depende de nenhuma outra pessoa…
 
Não sou uma pessoa triste por natureza… meus amigos que o digam. Eu costuma animar as pessoas até quando estou me sentindo no fuindo do poço. é um dom isso… me faz bem, e talvez faça bem aos outros também… Uma amiga minha dizia… há muitos anos, que eu era praticamente o divã dela. É quase certo que amanhã de manhã vou estar me sentindo de bem com a vida novamente, é assim que eu sou… e daí nem vou me lembrar porque eu estava chateada hoje…
 
Mas ainda assim vou estar carregando o peso do mundo nas minhas costas… de uns cinco anos pra cá… tenho me sentido muito assim… carregando sozinha um peso enorme, numa estrada que não chega nunca ao final… Estou casada… tão cansada….
 
 
 
Anúncios