1) Amanhã tem churrasco… de novo…
Só que dessa vez pra comemorar o aniversário do Cezar… meu irmão… ele fez 16 anos… e cada ano que passa ele fica mais e mais… deixa pra lá… nem vale a pena… Pior que tá chovendo… churrasco com chuva e um porre… e meu padrasto tá contando comigo pra fazer o frango… aiaiaia… nem sei se vou. Foi-se o tempo que eu fazia questão de fazer alguma coisa pelo Cezar. E isso porque ele só tem 16 anos… imagina quando ele tiver uns quareta? Se eu ainda estiver viva, tenho a nítida sensação (e eu raramente me engano quanto a isso) que não vamos nem estar nos falando mais…
 
2) Quando a distância aumenta por si só…
Não é nem por maldade minha nem por maldade dele… não é por nada mesmo… só que a gente não se bate… não tem nada a ver eu e ele. Se ele não fosse meu irmão, não teria nem amizade com ele. Não porque ele seja ruim, ou coisa do tipo, ele é legal e engraçado… é uma pessoa boa quando quer e quando tem interesse… mas, ele não é o tipo de pessoa com quem eu teria amizade. Não é o tipo de pessoa que eu gostaria de ter como amigo, apesar dele ser muito leal aos amigos dele… os meus valores e os valores dele são… diferentes. Somos como o dia e a noite meu irmão calçula e eu. Mas quanto mais o tempo passa, mais distantes nós ficamos um do outro e… eu me surpreendi essa semana em descobrir que não me importo com isso. Sei lá… é estranho, ainda mais se tratando de irmão. Que é um laço tão forte… mas realmente não me importo mais… parece que o laço que nós tínhamos rompeu em algum momento, que nenhum de nós dois percebeu e agora, já era… Não sei se ele tem noção disso, não sei se ele notou… não sei nem se ele se importa… acho que não se importa nem percebe… ele é adolescente, nada de pensamentos profundos nessa idade… hahahahahahahahaha
 
3) Não deixa de ser triste…
Mas infelizmente é a vida… as pessoas passam pela sua vida… umas ficam, a maioria vai embora sem deixar marca, outras você conhece e mesmo estando longe elas vão sempre ser parte de você e isso independe de laços de sangue. Não escolhemos nossa família, literalmente despencamos no meio dela… eu amo meu irmão… mas sei que um dia vou acordar numa casa em que ele não mora, sei que um dia não vou ver o rosto dele todos os dias, ou falar com ele todos os dias como falo hoje e que talvez… os anos passem e nos tornemos praticamente estranhos… mas é a vida…
 
4) Amadurecendo a idéia…
Com o Carlos é um pouco diferente. O que não garante nada também… Ele pode se casar e ir morar longe. Sei lá… eu nunca imaginava que minha vida estaria como está agora quando eu tinha meus 17 anos… Vai lá saber como vai ser a vida dele quando ele tiver a minha idade.
 
Aliás eu tenho pensado muito em morar sozinha… Não tenho como atualmente… mas, quem sabe mais adiante. O que me impede atualmente, mais que a falta de grana (porque grana arranja-se – eu posso trancar a faculdade, arrumar outro emprego e pronto!) é a minha mãe… não vou sair de casa enquanto eu tiver a minha mãe… A não ser se eu casasse, mas esse risco eu não corro… hahahahahahahaha… Assim sendo vou morar na casa da mamãe até quando Deus quiser…
 
Mas quando eu terminar a faculdade, ou antes até se eu passar num concurso que pague melhor… eu vou comprar um apartamento pra mim. Assim quando não tiver mais a minha mãe e os meus avós eu tenho onde cair morta. Sei lá… um ap, um carrinho véio que ande, um cachorro ou um papagaio hahahahahaha tá bom pra mim…
 
5) Bom…
Li a letra dessa música que eu amo no blog do Marcelo meu amigo…
Eu amooooooooo essa música… me sinto tão assim de vez em quando!
 
HÓSPEDE DO TEMPO
(Fred Martins – Zélia Duncan)
Sou hóspede do tempo
Da minha casa
Das minhas palavras
Das coisas que declaro minhas
Inquilina da vida que me foi dada
Portanto, nada
Ficou na minha bagagem
Do velho brinquedo
Que já não ilude, não me ilude
O que eu tenho é minha atitude
O que eu levo é minha atitude
O que pesa é minha atitude
Minha porção maior
 
Tá tarde vou dormir…
Fui…