Fazer o bem sem olhar a quem…

filosofando

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal…

Deixa eu dizer uma coisa para vcs, cada vez que eu ligo a TV, o rádio, ou abro um site de notícias eu fico desanimada. Nunca a frase “faça o bem sem olhar a quem” foi aplicada tão ao contrário pela humanidade. Estamos vivendo num mundo que está mais para “fazer o mal sem olhar a quem”. Mandaram na minha timeline esses dias dois casos que me fez querer deletar a humanidade viu… Uma mãe e uma madrasta que torturaram uma criança, trancavam a criança num armário o dia todo, fazia ele escrever frases que falavam que ele era um péssimo filho… e para coroar a crueldade elas doparam o menino e jogaram ele no rio. A polícia não encontrou o corpo, mas as duas foram indiciadas.

Outro caso, um rapaz espancado numa escola por ser gay, do nada, o menino estava sentado na cafeteria da escola chega um outro, dez vezes maior que ele e rouba o casaco do menino, na maior violência, derruba ele no chão, depois agride ele ainda, o menino tenta se defender mas o cara é imenso. E ninguém faz nada… e ele estava lá quieto no canto dele, sem fazer mal a ninguém. O outro foi lá atacar ele, do nada!

O que me deixou mais pasma nos dois casos foi que, nos dois casos, ninguém fez nada para defender essas duas crianças. A avó do menino morto, tentou tirar a guarda da mãe e ficar com a criança mas a justiça brasileira demorou para atender aos pedidos dela. E o outro garoto, ninguém na cafeteria se levantou para defender ele. Para criticar a atitude do outro, teve gente que riu, teve os espertinhos que ficaram gravando ainda… Que mundo é esse de tanta violência gratuita contra os mais fracos, contra crianças inocentes mano? Eu não tive filhos… e olha, eu nem quero ter… eu não ia dormir direito nenhuma noite se eu tivesse colocado um filho nesse mundo.

Acho que é por conta dessas coisas que tem tanto vírus, tanta tragédia ambiental acontecendo na terra. Porque tá tudo em desequilíbrio por conta do ser humano. A gente tá fazendo mal para o planeta e uns para os outros. Então o Universo se revolta contra a gente e acontece Pandemia, Furacões e tantas outras coisas, para ver se mata um tanto de gente ruim e equilibra um pouco as coisas. Uma pena que no meio dessa confusão toda morre também gente boa… Tô triste hoje.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Causos de Família: O Presente do dia dos Pais

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal… semana tá legal, eu nem tô morta de cansada, eu nem chego em casa querendo tomar um banho e dormir a tarde toda.

Também nem vou dizer para vcs que o ralo do banheiro tá vazando no apartamento do vizinho de baixo e que hoje logo cedo o pedreiro vai em casa para quebrar lá e arrumar o vazamento. Também nem vou dizer que eu tenho um curso online para fazer, obrigatório, do trabalho… e que o atendimento não para um minuto, portanto eu vou ter que fazer o danado do curso no final de semana ou então à tarde quando eu chegar em casa. Mas, como sempre, nem era disso que eu ia falar no texto de hoje. Eu queria comentar um caso curioso que aconteceu com a gente aqui em casa no último dia dos pais.

Antes de contar deixa eu dizer que todo ano, dia dos pais e aniversário do meu pai, sempre sou eu quem tem que decidir o que a gente vai fazer, qual o presente, meus irmãos ficam sem ideia nenhuma aqueles cabeças ocas. E toda a vez que eu escolho alguma coisa eles ficam colocando defeito… pai não vai gostar disso, pai não usa isso… mimimi… E eu falo, ahhh mas vai ser isso mesmo porque eu sei que ele vai gostar e vai usar. E eu geralmente acerto. Eu sou a ninja dos presentes para o dia dos pais e para o aniversário do pai também.

E este ano não foi diferente. Eu saí de casa na intenção de comprar um casaco para ele, porque estava fazendo um frio do caramba, e uma pantufa, de repente um par de meias para aquecer os pés dele… naquele frio (saudades frio). Acontece que chegando lá no Shopping eu não achei nada disso… resolvi então comprar um roupão, não daqueles de sair do banho, daqueles que a gente veste por cima do pijama mesmo… comprei o roupão e lá fomos nós, no dia dos pais fazer uma macarronada e entregar o presente para ele.

E como sempre meus irmãos achando que ele não ia gostar do presente e novamente ele amou. E aí ele nos contou uma história surpreendente, que nenhum de nós sabia. Ele disse que quando ele era jovem e trabalhava como office-boy num escritório de contabilidade ele muitas vezes tinha que ir para a casa de algum figurão cheio da grana, levar documentação para os caras assinarem, e de vez em quando era bem cedo, ou à noite, ou no final de semana. E ele disse que às vezes os caras recebiam ele de pijama e roupão, e ele ficava pensando, caraca esses caras já ganharam a vida. Será que um dia eu vou ter isso na minha vida?

E ele falou rindo… agora olha só, eu sou aposentado, e no meu aniversário vcs me deram um pijama e agora um roupão, agora eu posso acordar de manhã para tomar meu café e ler meu jornal que nem aqueles caras para quem eu ia levar os documentos para ele assinar. Eu achei tão bonitinho. O que me faz refletir. Às vezes sonhamos tão alto (não que isso seja ruim, se é pra sonhar não precisa limitar seus sonhos), mas a felicidade na maior parte do tempo está nas coisas simples. Em tomar um café da manhã de pijama e roupão!

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Estamos de volta carai!

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal.

Fico dois dias (no caso um final de semana) sem escrever para o blogue as coisas desandam, menos de 15 textos novamente. Mas durante a semana a gente resolve. Então é isso amigos! Depois de 78 semanas e 539 dias de isolamento social, trancada em casa em teletrabalho eu estou de volta à Prefeiturolândia. Mas vcs já sabem né? Porque eu já comentei aqui no blogue com vcs… o intuito do texto de hoje é contar para vcs como foi esse meu retorno. Foi legal? Foi traumático? Muitas mudanças? Poucas? Muita gente? Enfim… tudo isso e muito mais quando voltarmos dos nossos comerciais… Brincadeira… hahahaha!

Antes do efetivo retorno eu estava apreensiva, devo confessar. Em pegar o vírus, nova cepa e o caramba. Estava preocupada também com ter que lidar novamente com pessoas. Eu ando tão sem paciência. Ter que atender ao público é estressante, depois de um ano e meio, ter que lidar com os problemas das pessoas… vai ser complicado, minha paciência tá enferrujada.

Muitas coisas mudaram, muitas coisas permanecem as mesmas… nessas primeira semanas eu estou mais cansada do que o normal. Acho que é meu corpo se adaptando à nova rotina. Tive umas hipoglicemias no meio do caminho… umas durante o dia outras durante a madrugada, o que atrapalhou também os meus estudos. Cheguei em casa tão esgotada, com a cabeça tão pesada que acabou que eu usei a minha tarde para dar uma ajeitada nas coisas da casa e fui dormir mais cedo para tentar descansar. Mas, dentro de algumas semanas eu devo pegar o ritmo (de festa) de novo. Eu sinceramente espero que não tenha nenhuma outra onda de infecções. Que não feche tudo de novo.

No final das contas, eu tô feliz por estar de volta ao meu trampo. Interagindo com meus amigos. Eu descobri nessa pandemia, que eu curto ficar em casa sozinha. Que isso não me incomoda. Mas que eu também gosto de interagir com pessoas. Desde que sejam pessoas legais claro… gente chata, quem precisa? Tive problemas com quase todas as minhas senhas de acesso aos sistemas. Os setores de informática da Secretaria de Tecnologia demoraram mais de duas semanas para arrumar tudo. E eu tive que ficar implorando, pelamordedeus arrume minha senha!!!

Isso sem falar no problema que eu tive em lembrar como eram feitos alguns procedimentos. Porque para, por exemplo, protocolar um processo eletrônico, são vários procedimentos, vários detalhes que eu tenho que preencher no sistema, e eu não lembrava um monte de coisa. Pelo menos, em menos de dois dias eu já tinha lembrado, com ajuda dos meus colegas de trabalho que permaneceram no presencial durante esse um ano e meio. E em dois dias mais ou menos eu já tinha pego o ritmo de novo.

Tudo isso não foi nem um pouco inesperado… Eu sabia que ia acontecer. Outra coisa que eu tive que ralar que nem uma filha da mãe foi que… Muitos sistemas estatísticos que precisavam ser alimentados durante essa pandemia, não foram. Porque precisava ser feito através de computadores conectados à rede interna da Prefeitura. Então em alguns dias eu tive que colocar em dia dados referentes à um ano e meio de estatística. Felizmente enquanto eu estava em casa, eu fiz todas as estatísticas, as somas, os relatórios, os gráficos… a porra toda… então era só inserir esses dados no sistema. Então, em resumo crianças… foram duas semanas agitadas!

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Comodismo!

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal…

Domingão de Primavera para vcs, segunda de final de inverno para mim… Começou mais uma semana… as coisas estão calmas no trabalho, pelo menos no que tange ao número de pessoas que estão procurando a repartição pública para serem atendidos, o que eu devo confessar, me deixa bem mais tranquila com relação a transmissão do vírus e o caramba. Aqui em São Paulo (e aparentemente no Brasil) os números de infecção, internações e mortes estão em queda Graças a Deus. Mas como sempre nem era disso que eu queria falar no primeiro texto de hoje.

Eu lembro que há umas semanas eu tinha expressado uma certa preocupação em retornar ao trabalho presencial porque a minha paciência com as pessoas estava curtíssima, talvez por conta desse isolamento social todo que rolou na sociedade… talvez porque eu esteja ficando velha mesmo… não sei hahahahaha. Uma coisa que sempre me incomodou nas pessoas foi o nível de comodismo das pessoas. Não que eu não tenha, todos temos acredito, uns mais, outros menos…

Mas, tem gente que olha… tá de parabéns… Os munícipes então, pela misericórdia. Esse tempo que ficou a prefeitura de portas fechadas, um monte de gente aprendeu na marra a fazer seus serviços online. Resolver os problemas pelo site da prefeitura e tal… mas foi só a porta reabrir, um monte de gente correu para cá para a gente resolver os problemas deles… nem interessa que não é com a gente.

Em menos de dez dias de retorno ao presencial eu já perdi a conta de quantas pessoas vieram aqui me perguntar de coisas da eletricidade… conta de luz, consumo… na Prefeitura! Já mandei sei lá quantas pessoas pra ENEL. E não são pessoas que vc poderia dizer, ahhh Ceres, são pessoas simples, sem estudos, elas não sabem das coisas, estão perdidos na vida. Não, já atendi advogados, arquitetos, engenheiros…

A questão toda é o comodismo, já tô aqui mesmo, quero resolver aqui todos meus problemas… Eu me lembro, quando eu estudava ainda, meus professores de história dizendo que o brasileiro estava mal acostumado, que a gente estava sempre buscando um governo paternalista que fazia tudo para que o povo não tivesse que fazer nada e recebesse tudo de mão beijada. Quero todos os benefícios mas não quero nenhuma responsabilidade.

E é um reflexo da nossa sociedade isso. Brasileiro é assim em todos os ramos da vida! Talvez seja por isso que o vírus se alastrou tanto por aqui. Porque todo mundo quer vacina, todo mundo quer ser atendido nos hospitais, mas ninguém quer fazer distanciamento social, usar o álcool gel direito, ninguém quer usar a máscara… E eu nem tô falando de lockdown, tô falando de coisas simples como usar uma máscara no rosto em locais com muita gente. Coisa que os japoneses já fazem há anos para evitar as gripes sazonais.

No serviço público, no meio aos funcionários a gente vê muito isso também, pessoa passa num concurso, e se acomoda… não procura melhorar, pegar um emprego melhor, e no próprio cargo público em que ela está empossada, ela faz as coisas com uma má vontade. Uma preguiça. Não se interessa em aprender nada novo quando tem a oportunidade. Dá para entender porque a galera fica puta da cara com funcionário público, quando a gente vê essa galera do esforço mínimo fazendo o mínimo necessário e querendo o máximo de direitos possíveis.

Comodismo é um vírus social, e é um estado de espírito ideal para quem curte ficar ali na sua zona de conforto. Eu me policio para caramba, porque eu não quero cair nessa cilada… por isso que eu estou sempre estudando, sempre procurando aprender coisas novas e me motivar a evoluir, como pessoa, como profissional. Claro… nem tudo são flores e o caminho é cheio de tropeços e derrotas. Mas é importante a gente não se deixar ficar na caixinha do comodismo, do conformismo… de sermos menos do que temos capacidade de ser.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Descobrindo músicas novas no Spotify…

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal…

Eu tenho ouvido muita música no Spotify ultimamente, ainda mais nos finais de semana, pra esvaziar a cabeça. Eu me lembro de um tempo que eu não passava um dia sem ouvir música. E me lembro também de um tempo que eu ouvia tudo no último volume, coisas de adolescente… De uns tempos para cá eu tinha largado de ouvir música. Eu ficava em casa sozinha, no teletrabalho, naquele silencio. Foi aí que eu comprovei que eu estava velha mesmo hahahahaha. Minha mãe dizia que gente velha gosta de ficar no silêncio.

Mas, nos últimos tempos do meu distanciamento social eu resolvi fazer bom uso da grana que eu pago todo mês para o Spotify, e resolvi conhecer artistas novos. Chega de ficar repetindo os mesmos albuns dos mesmos artistas todos os dias… as mesmas playlists. E para descobrir coisas novas que vc vai curtir, o algorítmico funciona direitinho… Se vcs tiverem assinatura do Spotify, tem duas playlists que eles disponibilizam uma chamada “Descobertas da Semana” e outra chamada “Radar de Novidades”. Eu vou deixar uma imagem aqui embaixo para vcs verem do que é que eu estou falando.

A playlist “Radar de Novidades” vai trazer para vcs os últimos lançamentos dos artistas que vc curte, que vc segue na plataforma e de artistas que tocam o mesmo estilo de música, para ver se vc curte esses lançamentos e novidades. Já a playlist “Descobertas da Semana” o algoritmo do Spotify vai analisar o que vc ouve e vai te recomendar canções de artistas que vc já curte, já ouviu, mas canções que vc ainda não tenha escutado.

É bacana pra caramba, eu descobri bastantes músicas nessas playlists. E toda a semana essas duas playlists são atualizadas, são 30 músicas de 30 artistas diferentes toda a semana para vc conhecer. Se vc está, como eu, cansada de ouvir as mesmas coisas… fica aí a dica para vcs caso vcs queiram explorar as novidades que chegam na plataforma.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Tecnologia: Balança Inteligente – Mi Body Composition Scale 2

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal…

Faz um tempo que eu não falo de tecnologias aqui no blogue, é que p dólar tá caro e faz tempo que eu não compro nenhum gadget pra gastar a minha grana, eu tenho é tentado guardar meu dinheirinho. Nunca sobra muito, mas o pouquinho que sobra a gente guarda. Mas no meu último aniversário, eu comprei para mim uma coisa que eu estava querendo tinha um tempo já, que é a balança inteligente da Xiaomi a Mi Body Composition Scale 2.

E eu já estou usando ela tem uns meses e já deu para analisar bem o funcionamento dela. Antes disso eu queria comentar que eu já tinha uma balança que tinha diversos sensores de bioimpedância que mediam algumas características corporais, mas eram bem poucas (umas quatro), não eram bem precisas e não enviavam para nenhum app para vc ter um controle maior das informações.

A balança smart da Xiaomi mede cerca de 13 características corporais e ela manda todos os dados que ela coleta para o app da Xiaomi, que é um app que controla a maioria dos gadgets da empresa, smart bands, lâmpadas, relógios e por aí vai. E ela conecta via bluetooth no seu celular e vc pode pode acompanhar a sua evolução ou não pelo app da Xiaomi o Mi Fit. Lembrando que apesar de ser um gadget smart, os valores que ela apresenta são apenas uma referência, ela não vai ser tão precisa quanto um exame de bioimpedância com o médico, por exemplo.

Primeiro deixa eu dizer que ela é bem bonita, toda branquinha e com piso de vidro temperado. E ela tem quatro sensores que ficam posicionados bem na direção dos pés e são esses sensores que vão medir a composição corporal. A escala de peso que ela consegue medir é entre 100g e 150kg. Na parte de baixo da balança os pés dela, que são de borracha antiderrapante, também tem setores que medem o equilíbrio. O visor digital é invisível, ele liga apenas quando vc sobe na balança, o que é legal porque ele economiza pilha. Aliás ela funciona com quatro pilhas AAA… eu não sei quanto tempo essa pilha dura, porque tenho ela a menos de três meses. Vamos ver quanto tempo dura, a outra que eu tinha durava bem pouco.

Como eu disse anteriormente, ela mede 13 características corporais… são elas… Peso, IMC, Gordura Corporal, Massa Muscular, Hidratação, Proteína, Gordura Visceral, Metabolismo Basal, Massa Óssea, Idade Corporal, Peso Ideal, Tipo de Corpo e Pontos de Saúde. O app Mi Fit centraliza todas essas informações, mas ele tem integração com o app saúde da Apple (caso vc use IOS) e com o Google Fit (caso vc use o Android). A família inteira pode usar a balança caso vc queira porque vc pode cadastrar até 15 perfis no app. Ela também tem a função bebê que vc pode usar para pesar crianças e animais. Eu tô gostando pra caramba… como eu tô sem ir para a academia, fazendo exercício em casa mesmo para não ficar parada as medidas desse app estão me ajudando a pelo menos manter meu peso estável.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Filmes: Rusty Creek

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal…

Tirei um tempinho para ver uns filmes que estavam empilhados na minha lista de filmes… e é desses que vamos Terceiro e último filme dessa sexta-feira galera… bora com “Águas de Corroem” (ou “Rusty Creek” no original em inglês – eu não sei de onde essa galera tira as ideias para a tradução de nome dos filmes… certeza que não são os tradutores que escolhem).

É um filme de 2018, que estreou agora em julho na Netflix (caso vcs queiram ver tá lá disponível) de suspense/policial… Eu estava reticente quanto a assistir a este filme porque a premissa dele dizia que tinha tudo para dar num filme terrível, entretanto… não foi o que eu pensava. E mesmo antes de contar resumidamente a história do filme, eu já vou dizendo que eu curti o filme mais do que eu esperava.

Maioria dos críticos disse que era um filme mediano e bem intencionado, mas que era também mais do mesmo hahahahaha. Bom, ser mais do mesmo não é necessariamente uma crítica, se for mais do mesmo e for uma coisa bacana… beleza. E esse filme é bem bacaninha. E para quem talvez vá assistir, a história é mais ou menos assim. Uma adolescente precisa sair da cidade dela e ir para uma cidade vizinha para fazer uma entrevista para uma vaga na faculdade… Ela resolve ir sozinha, ela pega seu carro e parte para a estrada.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Filmes: Tenet

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal…

Segundo filme dessa sexta-feira. Vamos lá… é um filme recente… acho até que estava na corrida do Oscar desse ano, não sei exatamente para que ele foi indicado ou se foi indicado. Só sei que estava todo mundo falando dele e de como ele era legal e tal… eu resolvi assistir, acho que ele tá disponível na HBO Max, tá cada vez mais complicado saber onde foi que eu vi o que hahahahaha tantos serviços de streaming disponíveis… Acho que ele também tá disponível no YouTube para alugar. Enfim… é um filme de ação, estrelado pelo filho do Denzel Washington, o ator Johh David Washington, temos também a participação do novo Batman o Robert Patinson e do ator inglês Kenneth Branagh.

É um filme de 2020, é um filme de ação, um thriller, que também aborda questões de espionagem… viagem no tempo (mas de um jeito diferentinho…) e muitas perseguições e cenas de tiro e é bacana… Mas, ele é bem longo e tem um enredo bem complexo, duas coisas que a galera reclamou. Eu só achei ruim ele ser bem longo, o enredo complexo eu entendi hahahaha e eu achei a história bem bacana. Mas eu confesso que são tantas idas e vindas que se vc for daquelas pessoas que se distrai facilmente vc vai perder o fio da meada e ficar sem entender nada no final da história.

Meu irmão que veio me falar desse filme vc assistiu TENET? Eu… não, ele então assiste pra vc entender e me explicar… e eu beleza. Duas horas de filme depois eu ainda tive que perder uns 40 minutos explicando o filme pra ele… Mas, não se preocupem… eu não vou fazer isso com vcs porque eu não quero dar spoilers.

No filme vc acompanha o Agente do Serviço das Forças Armadas do Reino Unido, até que dá ruim da na missão dele, e ele toma aqueles comprimidos pra se suicidar e manter os segredos do seu emprego, entretanto… No meio da missão coisada, ele percebe uma coisa diferente… uma bala de revolver que é disparada de trás para frente… é… em vez da bala sair do revolver e atingir a pessoa ela sai da parede e atinge a pessoa e volta para dentro da arma, como se eles tivesse vivendo num mundo que anda de trás para frente.

Então ele vai investigar e descobre que existem pessoas que foram capazes de criar uma tecnologia que usa armas em modo reverso, ou seja uma bala é disparada duas vezes, uma na hora que ela sai da arma e outra qdo ela volta pra arma. E que pessoas estão desenvolvendo esse armamento utilizando uma tecnologias que mexe com espaço-tempo. E mexer com o espaço tempo, pode desestabilizar todo o mundo! E o mocinho tem que claro… consertar isso tudo. E eu não vou falar mais nada porque qualquer informação extra que eu fornecer vai ser spoiler… hahahahaha assistam.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Filme Antigo: Face Oculta

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal… Bem vindos a mais uma sexta-feira meus amigos. Espero que a semana de vcs tenha sido menos cansativa que a minha… Vcs estão lendo este texto numa sexta, eu porém o estou escrevendo num sabadão, de manhã… acreditem ou não, eu acordei cedo num sábado… quem diria.

Acontece que ontem quando eu cheguei em casa eu estava morrendo de cansaço, e minha dermatite voltou a me atacar… logo eu suponho que seja devido a algum estresse. Eu estava me lembrando esses dias que a minha avó era uma das pessoas mais estressadas que eu conheci na minha vida… e ela vivia cheia das urticárias. Provavelmente era uma dessas dermatites que eu tenho e que ela nunca descobriu, nunca tratou… eu sei que é estresse, tenho que tentar diminuir o estresse e ponto final, qualquer outro tratamento com remédios, pomadas e cremes é só auxiliar.

Neste sábado eu vou me dedicar apenas a três coisinhas… Descansar, estudar e escrever… não necessariamente nesta ordem. Eu vou ter que dedicar umas horas do meu dia a tomar conta da minha tia que tá doente, porque meu primo tem um compromisso e para ela não ficar sozinha eu vou ficar lá fazendo companhia pra ela… E se der tempo, quando eu voltar para casa mais tarde e não estiver tão cansada eu vou ver uns filmes porque como sempre eu tô atrasada na minha tarefa de casa. Mas como sempre nem era disso que eu queria falar…

Dia de filme né? E semana passada, eu só falei de documentários e prometi que ia tentar pegar mais leve esta semana com vcs estão bora… eu desenterrei um filme antigo para ver e assisti duas coisas novas, um na HBO Max e um na Netflix, espero que vcs curtam as dicas dessa sexta. Bora lá então, primeiro filme é “Face Oculta” (ou “Peacock” no original em inglês), e é um filme de 2010 que traz nos papéis dois dos meus atores favoritos Susan Sarandon e Cillian Murphy. E eu me lembro que quando esse filme foi lançado então, eu queria ter visto, mas sei lá porque cargas d’água não deu e eu acabei não vendo… fui ver só agora.

É um filme de drama, mas também tem um pouco de policia, de suspense e um pézinho no terror psicológico. Eu fui assistir sem muitas expectativas, porque eu não lembrava da sinopse, eu só lembrava que na época eu curti pra caramba o trailer. Aliás eu vou deixar o trailer aqui embaixo no parágrafo para vc. Não é sempre que eu encontro o trailer na internet, especialmente legendado, por isso que eu não coloco sempre, esse nem tá com uma qualidade de imagem boa mas é um trailer bem bacana…

Apesar de ser um filme relativamente antigo, eu vou tentar contar um resumo da história sem dar nenhum spoiler porque como ele tem um quê de suspense eu não quero estragar… Então a história é mais ou menos assim. John Skillpa (interpretado por Cillian Murphy, mora na pequena cidade de Peacock desde que nasceu… ele mora sozinho na casa da família desde que a mãe dele morreu há três anos. Ele tem a mesma rotina e vidinha solitária todos os dias… mas o que ninguém sabe é que John tem um segredo que ele esconde de todos e este segredo é seu alter-ego Emma. John sai de casa todos os dias, trabalha, fala com as pessoas… Emma não, ela apenas fica na casa e toma conta das coisas de John.

E sim… são duas personalidades habitando o mesmo corpo, o filme já revela isso logo de cara, então não é um mistério. Durante algumas horas do dia John é ele mesmo, se arruma e vai trabalhar, e faz as compras de casa, em outras horas do dia ele é Emma que arruma a casa, cozinha, lava a roupa e nunca sai de casa… Até que um dia, um três descarrilha e vai parar no quintal de John, destruindo todo o quintal nos fundos da casa, e quase machucando a reclusa Emma que estava fazendo as tarefas domésticas.

Por causa do acidente, os vizinhos e demais pessoas da pequena cidade ficam sabendo da existência de Emma, e acham assumem que ela seja a nova esposa de John que ele não apresentou para ninguém… Quando John acorda no dia seguinte, ele se dá conta do que aconteceu, e ele deixa todos acreditando que realmente Emma é sua esposa. Nem John nem Emma sabem o que se passa na vida um do outro quando eles estão “dormindo”. Emma também não faz nada para desfazer o mal entendido, acontece que agora ela gostou de ver pessoas e de conversar e sair na rua…

Por causa do acidente com o trem Emma acaba fazendo amizade com Fanny (Susan Sarandon) a esposa do Prefeito e a vida social de Emma começa a causar problemas para John. As coisas ficam ainda mais complicadas quando Emma resolve que quer viver autonomamente sua vida. No meio dessa confusão, reaparece na vida de John Maggie, uma garota com quem ele teve um envolvimento complicado… e agora eles dois Emma e John vão ter que se confrontar numa batalha interna de interesses. O filme é foda galera… assistam, fica essa primeira dica para vcs. Se eu não me engano é possível encontrá-lo no You Tube.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Séries: Atypical (Terceira Temporada)

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal…

Tô na correria aqui, novamente, voltei ao trabalho presencial e como eu previa os primeiros dias é uma questão de me adaptar à minha antiga rotina, claro, adicionando a ela todas as questões preventivas da pandemia… máscaras, álcool gel, distância de gente (especialmente pessoas sem noção). O clima tá bem agitado nessa retomada das atividades presenciais mas eu vou deixar para falar disso num próximo texto, mais específico. Só sei que essa semana tá sendo bem punk para mim.

Vamos continuar falando de séries, porque sim… Segundo texto de hoje, bora falar da terceira e penúltima temporada de “Atypical”. Sim penúltima, apesar da série ser muito bonitinha e falar de diversos assuntos relevantes, apesar de algumas críticas e apesar do sucesso… a Netflix resolveu que a quarta temporada seria a última. Então, bora para um resumão dessa temporada. A exemplo da temporada anterior, os criadores e escritores aumentaram o arco das tramas dos personagens não centrais. Porque os personagens centrais da trama é a família de Sam, os Gardner. E depois das últimas duas temporadas de acontecimentos que estremeceram a união da família, Doug e Elsa finalmente resolveram se acertar e retomar o casamento.

A segunda temporada terminou focada em Casey, e na vida amorosa da personagem. Assim como também no Relacionamento de Sam e Page. Mas, nessa temporada a personagem de Casey cresce mais na série. Ela passa por diversas descobertas pessoais, um novo amor e também é nessa temporada que ela vai perceber, muito a contra gosto o quanto ela é parecida com a mãe, e vai cometer alguns erros o que vai fazer com que ela acabe buscando reparar de alguma forma o rompimento dela com a mãe que aconteceu na primeira temporada. Ela também vai ajudar bastante o irmão na sua adaptação à vida na faculdade e isso vai fazer com que ela acabe questionando suas próprias escolhas acadêmicas.

A série continua fofa, e abordando assuntos importantes mas de uma forma leve e com alívio cômico. De todas as temporadas até agora essa foi a mais criticada… maiorias dos sites especializados achou que essa foi a temporada mais “morna” ou “água com açúcar”. Mas eu achei legal… eu curti, e agora só preciso encontrar um tempinho na minha vida para assistir a última temporada. Uma coisa boa de vc assistir a uma série que já terminou é que vc sabe quanto tempo vc vai investir para saber a história toda, e vc não fica também naquela ansiedade de ai… quando será que sai uma temporada nova. Eu já sei que a quarta temporada vai ser a última, então os escritores vão ter que dar um jeito de fechar todas as histórias e espero que seja um final bacana!

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Séries: João de Deus – Cura e Crime

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a vida de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, eu posso sim reclamar, todo mundo pode… e a gente sempre reclama de tudo não é mesmo? Então eu vou dizer que eu tô legal… Pela primeira vez em um ano e meio não estamos mais contando os dias trancados em casa… Tô de volta para algumas das minhas rotinas… Em alguns dias eu devo postar um texto para contar para vcs como foi meu retorno ao trampo, aguardem.

Hoje eu nem vou falar nada disso, hoje é dia de falarmos de série… E eu sei, eu sei que tem um monte de séries que eu estou acompanhando. Mas, como vcs sabem de vez e quando aparece uma série documental, ou alguma coisa do gênero que pula na frente e eu sou obrigada a deixar minhas séries de estimação de lado um pouquinho para ver o que tá rolando no hype das internets da vida. E essa semana foi a estreia da serie da Netflix que fala do Caso João De Deus. Quem começou a desvendar o caso todo foi a Rede Globo, através de uma reportagem dom o Pedro Bial no Fantástico, e a investigação profunda do caso gerou um Documentário que está na Globo Play.

Este documentário da Netflix, não é o mesmo da Globo Play. Eu não assisti ao da Globo, mas me disseram que os dois meio que complementam um ao outro. E para quem tem interesse em saber mais detalhes deste caso que, apesar de não ser nada surpreendente chocou o Brasil, porque vamos e convenhamos todo culto com um líder maluco começa assim, cheio das boas intenções e termina com gente abusada, gente morta, desvio de dinheiro, corrupção e por aí vai.

A série conta um pouco sobre a infância do tal João de Deus, mas bem pouquinho mesmo… depois ela foca na parte que ele chega na cidade de Abadiânia e se instala lá e cria a Casa Dom Inácio de Loyola, que é a entidade que ele diz incorporar para fazer cirurgias espirituais e milagrosas (nada contra a crença de cada um… que cada pessoa acredite no que quiser…). Então a série começa a narrar como tudo na cidade começa a se centralizar na Casa e como o dito medium começa a ganhar dinheiro com isso… enfim… Caso vcs queiram assistir é bem interessante vc analisar como parece que todos esses cultos liderados por um psicopata começam da mesma forma… Fica então essa dica de série aí para vcs.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Violência doméstica…

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo nono dia (539.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima oitava semana de distanciamento social.

Último texto que eu vou escrever hoje porque eu tenho que estudar e eu já cumpri a meta de hoje. E vai ser um texto rapidinho porque o assunto é triste. Eu estava lendo os jornais do dia… há uns dias… nem foi hoje. E eu li uma reportagem que me deixou triste pra caramba. Uma moça da igreja que eu frequento, nova pra caramba, mãe de dois filhinhos, foi assassinada a facadas pelo marido, dentro de casa. O filho dela… de dez anos, tentou proteger a mãe e teve o mesmo fim, a outra criança de quatro anos de idade escapou com vida, e o marido que foi o autor do crime fugiu.

E meu irmão ficou sabendo do caso, e veio conversar comigo. Hoje em dia, ainda mais depois da pandemia, notícias assim nos entristecem mas não nos surpreendem mais. Antigamente, no tempo da minha vó, vc não ouvia casos assim dentro da comunidade da igreja. Vejam bem, não que eles não existissem! Eles existiam… mas era tudo extremamente encoberto. Eu me lembro quando eu era criança, eu cansei de escutar as próprias mulheres que sofriam violência doméstica em casa por parte do marido dizerem, ahhhh mas a bíblia ensina a gente a suportar, e não podem denunciar… ele vai melhorar… Deus vai melhorar ele!

E eu me lembro de pensar… cara, isso tá errado. Vc não tem que suportar essas coisas. Vc não tem que apanhar na cara e ficara quieta. Mas, foi assim que eu fui criada pela minha mãe… diferentemente da minha vó e a minhas tias, minha mãe não achava que a gente tinha que dar a outra face, ela dizia, bateu levou! Minha mãe trabalhava no tribunal de justiça, ela falava… faz Boletim de Ocorrência, bota o sujeito pra fora, pede liminar, pede pro juiz tirar ele de casa… Meu pai biológico saiu de casa escoltado pela polícia… Ele bateu na minha mãe. E ela dizia, se ele te bateu uma vez… ele vai bater várias! Até um dia ele te matar!

E ela tinha razão, olha o que aconteceu com essa moça… parece que o cara usava drogas e teve sei lá, uma crise de abstinência, mas violência assim não vem do nada… a situação já devia estar ruim fazia tempo, e ela certamente foi aconselhada a dar outra chance, ele deve ter pedido outra chance… enfim… é triste, é muito muito triste. Então, assim, se vc conhece alguem que tá nessa situação de violência doméstica, incentive a pessoa a sair dessa, a denunciar o agressor, denuncie vc se for sua filha, sua parente… e se o pastor, padre, bispo, o que quer que seja ficar incentivando a não denunciar denuncie o cara também! Vc pode estar salvando uma vida!

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Qual a medida da importância das pessoas na nossa vida?

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo nono dia (539.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima oitava semana de distanciamento social.

Depois de uns quatro dias dedicando duas horas por dia a escrever aqui para o blogue eu finalmente consegui aumentar o número de postagens escritas e prontas. Consegui subir de 20 e poucos textos para 40 e poucos. Somados, temos finalmente 15 dias de textos preparadinhos. Pouco ainda para quem gosta de ficar com uma média de 120 dias… muito pouco mesmo. Gostaria de ter bem mais, ainda mais que terei bem menos tempo livre na vida a partir dessa semana, mas… melhor que nada né?

Eu vou tentar manter a meta de duas horas, quatro textos por dia até o final do ano e ver o que eu consigo. E talvez dar um gás maior nos finais de semana… não sei. Certamente deve aumentar o número de textos prontos, mas vai rolar de forma bem lenta. Sem problema, eu não posso mais é ficar sem escrever todos os dias, se eu quiser recuperar o tempo perdido e aumentar drasticamente o número de textos do blogue. Enfim… como sempre nem era disso que eu queria falar no texto de hoje.

Eu acho que esse um ano e meio de pandemia, que se Deus quiser (tomara!!) está chegando ao fim, foi difícil para todo mundo. Perdemos pessoas que amamos, não pudemos sequer nos despedir. Nem todo mundo perdeu amigos e familiares por conta do Coronga… as outras doenças não deixaram de existir por conta da pandemia, acidentes não deixaram de acontecer… E claro, por mais que os sonhadores tenham idealizado, não iremos sair dessa pandemia melhores como pessoas… Pelo menos não a maioria das pessoas. Talvez algumas… aquelas que usaram esse tempo, a dor das perdas e o isolamento para reavaliar as coisas e resolveram dar uma guinada na vida e realmente dar valor a outras coisas.

Eu sei que para mim, diversas coisas mudaram… eu não deixei completamente de ser a pessoa que eu era… um ano e meio não é tempo suficiente para fazer uma reforma completa em toda a nossa personalidade que vem sendo construída ano após ano. No meu caso 45 anos. Vc não arruma tudo que tá errado em um ano e meio. Mas… dá tempo de reconsiderar muita coisa viu.

Todas as perdas desse tempo que passamos isolados me fez considerar pelo menos uma coisa. Eu tive que reconsiderar a medida da importância de certas pessoas na minha vida. E também minhas próprias atitudes para com as pessoas. Tudo é tão passageiro sabe? Eu tinha me afastado de diversas pessoas, porque eu precisei… eu estava machucada e eu precisava me curar. E essas pessoas, de uma forma ou de outra eram, aos meus olhos então, responsáveis por algumas dessas feridas. Eu ainda não tô cem por cento, ainda tem muita coisa pra curar dentro de mim. E esse meu afastamento foi mais uma fuga estratégica do que um ataque ou uma forma de agredir quem quer que seja, embora muita gente tenha encarado desta forma…

Depois de um tempo de distância, auxiliado pelo distanciamento social da pandemia, eu reconsiderei várias coisas… Eu parei para pensar, porque foi mesmo que eu me afastei de fulano e sicrano? O que foi que eles fizeram mesmo? Vale a pena ficar guardando rancor por isso? Vale a pena uma reaproximação? E é toda essa avaliação interna no meu relacionamento com amigos e familiares que eu tive um tempo para fazer durante a pandemia. Diante de um tempo tão trágico, quando uma pandemia mostra pra gente o quão efêmera é a vida… chega a ser bobo guardar certos ressentimentos. Então eu resolvi, me reaproximar de algumas pessoas, nos meus termos… do meu jeito… estabelecendo limites, respeitando e pedindo respeito. E não me arrependo.

Claro, algumas pessoas, eu cheguei à conclusão de que foi uma boa eu ter me afastado e pretendo continuar distante… Em nosso caminho sempre vamos tropeçar em pessoas tóxicas, que não intenção de mudar e que nós não podemos fazer nada para ajudar e que se ficarmos por perto ainda vamos acabar nos prejudicando. Por mais que a gente até queira ter um relacionamento legal com a pessoa… não rola… porque não tem reciprocidade e cada vez que abrimos a porta da nossa vida para ela, é apenas mais uma chance de ela ferrar com a nossa vida ou com a nossa cabeça. Nesse caso é melhor ficar longe mesmo.

E como é que a gente sabe Shao, qual a medida da importância de cada pessoa na nossa vida. Não tem uma receita certa, é muito particular. Mas se vcs querem um conselho (como dizia a minha mãe, conselho se fosse bom a gente não dava, vendia) escute o seu coração mano… Quando essa pessoa tá perto de vc, e vc perto dela, como vc se sente? Feliz ou triste? Essa pessoa te machuca? Faz vc se sentir mal toda vez que vc tá com ela… então talvez essa relação esteja desequilibrada. Pensa numa balança… se vc faz com que a pessoa se sinta feliz com a sua presença na vida dela e vice-versa, as coisas estão equilibradas. Aí é um relacionamento legal… uma amizade legal.

Se uma das partes tá elevada, lá em cima, enquanto a outra tá lá embaixo… se uma pessoa precisa te rebaixar pra ficar bem e vice-versa, talvez essa conexão não seja legal… talvez seja a hora de dizer tchau. Ou pelo menos… um até logo. Talvez a pessoa não te valorize porque vc tá sempre lá… talvez seja hora dela sentir um pouco a sua falta… não sei… Cada caso é um caso. No meu caso, certos distanciamentos e desconexões me fizeram um bem danado.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Obrigatoriedade de Vacina

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo nono dia (539.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima oitava semana de distanciamento social.

Voltando pro trabalho amanhã (vc já disse isso Shao – eu sei), e eu tô aqui procurando aqui o diacho da carteira de vacinação porque Prefeito de São Paulo baixou duas leis… ou decretos, não tenho certeza… preciso confirmar. Uma que determina a obrigatoriedade de todos os funcionários públicos se vacinarem, correndo o risco de responder administrativamente caso descumpram a determinação.

A segunda foi sobre exigir carteira de vacinação para a população em geral para entrar em bares, restaurantes, shoppings centers… Eu me pergunto se lá na Prefeitura a gente vai ter que fiscalizar isso também. Se bem que seria mais correto a gente como servidores públicos fazer isso do que os donos dos estabelecimentos particulares fazerem. Imagina, um fulano vai no shopping, o segurança vai barrar ele na porta? Ele vai dar escândalo e entrar do mesmo jeito e o dono do shopping que vai tomar a multa… capaz de descontar do segurança e mandar o coitado embora.

Eu questiono muito as decisões de certos políticos sabe? Especialmente quando a decisão cria mais problemas do que soluções. A parte de vacinar os funcionários eu entendo. Porque a maioria dos trabalhadores estão expostos a contato com o público todos os dias, o risco de contaminação é grande e o Ministério do Trabalho determinou que contaminação pelo Corona Vírus por pessoas que trabalham com atendimento ao público tinha que ser considerado acidente de trabalho. Prefeitura não quer pagar trocentas indenizações se um funcionário morrer por causa do Coronga.

E eu entendo do ponto de vista jurídico, por conta do Interesse Público ser mais importante que o interesse privado, o Prefeito instituir uma forma coercitiva de fazer as pessoas tomarem a vacina, exigindo a carteirinha para circular em alguns lugares é uma dessas formas… mas, ao mesmo tempo eu entendo que tem gente que não quer se vacinar. Sabe lá Deus porque… ah Shao mas é gente burra e ignorante e mimimi… Sim, eu não… tem gente que tá com medo, simples assim. Tem gente que tem tanto medo do vírus quanto da vacina.

Até ontem, até antes da Pandemia o Brasil era um dos países onde menos se tinha problemas para vacinar a população. A maioria das vacinas que eram aplicadas, febre amarela, gripe, rubéola, sarampo, poliomielite… governo anunciava, pessoal corria pro posto para tomar a vacina. E graças a isso diversas doenças foram erradicadas no país. Ninguém nunca se questionou onde eram produzidas as vacinas, qual a efetividade dela contra a doença, qual o nível de imunização… não existia o somelier de vacinas. Estamos vivendo um tempo tão maluco… que agora pessoal tá com medo do vírus e das vacinas. Algumas pessoas que eu conheço que tomaram a primeira dose e tiveram uma reação forte, de ficar de cama mesmo, estavam morrendo de medo de tomar a segunda dose e ter essa reação de novo.

Mas assim… independentemente da opinião de cada um sobre a vacina, tomar ou não, qual vacina tomar ou não… agora aqui em São Paulo tem lei pressionando a população a se vacinar, e por mais que tenha uma galera que não entenda e não goste, o governo Municipal tá fazendo o papel dele em zelar pela saúde pública… e tentar conter de alguma forma novos surtos, novas internações. Se a forma como eles estão fazendo isso é correto, é adequado… aí já são outros 500. Ah, a propósito, achei minha carteirinha! Tá na bolsa pra amanhã já!

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Livros Gratuitos Kindle

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo nono dia (539.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima oitava semana de distanciamento social.

Último dia de tia Shao em casa… amanhã retornaremos ao trabalho presencial, tô ansiosa. Tô aqui assistindo às reportagens sobre as manifestações do sete de setembro. Avenida Paulista aqui em São Paulo tá lotada. As redes sociais estão em polvorosa… Mas nem era disso que eu queria falar no texto de hoje, coisas sobre as quais eu não quero falar nem morta é sobre política, radicalismos e protestos.

Texto rapidinho, curtinho para iniciar o dia de hoje, coincidentemente terça-feira para vcs e terça-feira para mim também. E eu tenho um monte de coisa para fazer, apesar de hoje ser feriado, deixar a casa ajeitadinha e as coisas todas para eu poder ir trabalhar amanhã. Bora falar de coisa boa nesse texto de hoje? Bora deixar aqui para vcs uma dica bem bacana para quem é dono de um aparelho Kindle da Amazon ou não… Vcs sabiam que o site da Amazon disponibiliza gratuitamente diversos livros eletrônicos?

Pois é… se vc curte ler vc pode gratuitamente baixar o app Kindle na loja de apps do seu celular e entrar no site da Amazon, criar uma conta (também gratuitamente) e baixar diversos títulos! Eles têm no acervo diversos clássicos da literatura mundial que já tem mais de cem anos e estão em domínio público, e também livros que de vez em quando a própria Amazon coloca em promoção, deixa gratuito. Se vc for assinante Amazon Prime o número de livros gratuitos para vc acessar é ainda maior.

Então… eu vou fazer de conta aqui por um minuto que vcs já tem uma conta na Amazon, um Kindle, ou o app do Kindle no celular de vcs… Então basta vcs fazerem login na conta de vcs e clicarem aqui para acessar uma lista bem grande de diversos livros gratuitos para ler no app ou no Kindle, e divirtam-se… ler é legal.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Causos de Família: O Chicote e a Baratinha

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo oitavo dia (538.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima oitava semana de distanciamento social.

Último texto que eu vou escrever hoje para o blogue, depois eu vou estudar um pouco, para não passar o dia em branco. Falta pouco mais de um mês para a Prova do Exame de Ordem e eu não consegui, de novo, ver toda a matéria… isso me desanima um pouco, mas… eu tenho que respeitar meus limites e não ferrar com a minha saúde, ficar doente não me adiantaria de nada, seria inclusive pior… eu perderia muito mais dias de estudo. Então quando eu estou me sentindo cansada, esgotada eu tenho que parar e descansar.

Mas como sempre nem era disso que eu queria falar no segundo texto de hoje. Eu queria contar um causo para vcs. Por conta de todo esse auê que tem acontecido no Brasil e no mundo… tanques nas ruas aqui no Brasil, Talebã no Afeganistão… a gente fica temeroso com a possibilidade de um governo autoritário e ditatorial se instalar aqui no Brasil também… a maioria das pessoas pensa que isso tá longe de acontecer, mas basta olhar pros nossos vizinhos… Venezuela, Bolívia…

Enfim, esses dias estávamos conversando com meu pai aqui sobre a época em que o Brasil era uma Ditadura militar. E meu pai é daqueles que pensa que a Ditadura apenas prendeu baderneiros, por e que ele nunca teve problemas porque se comportava e era uma pessoa direita. Que respeitava a lei e o governo.

Acontece que… a minha mãe era baderneira hahahahaha, e eu falei pra ele… vc casou com uma baderneira hahahahaha. Minha mãe era agitadora, grevista, vivia protestando… essas coisas. Enfim, então eu me lembrei de uma história que ela contava sempre… Que quando ela era adolescente, devia ter uns 17 anos, na época dela, para ser maior de idade vc tinha que ter 21 anos de idade. Naqueles tempos, ela fugia de casa para ir nos bailes da vida…

E como os lugares que ela frequentava eram, nas palavras dela, barra pesada, ela ia armada pra se defender, ela tinha um estilete que ela escondia na meia e um chicote de fio de ferro que ela amarrava na coxa. Minha mãe era da pá virada… deve ser por isso que eu sou tão careta, dizem que a gente acaba sendo o oposto dos nossos pais não é mesmo?

Voltando ao causo, um dia, lá foi ela… bela e formosa pra uma gafieira, levando os paranauês dela… o estilete e o chicote. E foi lá dançar… Ela estava com uma irmã dela e o namorado da minha tia, que futuramente vira a ser marido dela. Eu não me lembro exatamente porque, o que foi que aconteceu, mas parece que um cara chamou minha tia pra dançar e ela não quis, porque ela tava dançando com o namorado, aí o cara ficou puto, porque ele era o bonzão daquele lugar e se juntou com a galera dele pra pegar de porrada o meu tio na saída do baile.

Meu tio que não tava sabendo de nada, tava só acompanhando a namorada dele e a cunhada… sai, belo e formoso do baile com as duas aí uma galera pula nele, joga ele pro meio da rua e começam a bater nele… dizia minha mãe que eram uns cinco caras. Quando ela viu eles fecharem a roda pra cima do meu tio ela não teve dívidas… sacou o chicote da coxa e mandou chicotada em todo mundo.

No meio daquela confusão toda, vinha passando uma viatura da polícia militar, um fusca, que na época eles chamavam de baratinha… vê aquele tumulto todo, então descem os dois policiais da viatura e quando eles chegam lá só tem uma doida (minha mãe) com o chicote na mão, descendo chicotada nos marmanjos. Então eles apartam a confusão e pegam a minha mãe e meus tios e levam todo mundo pra delegacia hahahahaha.

Eles tiveram que explicar pro delegado o que tava acontecendo, então eles ligaram pros meus avós e pra mãe do meu tio, porque era todo mundo menor de idade, deram uma bronca daquelas em todo mundo e falaram que se pegassem eles em confusão novamente ia todo mundo pro juizado de menores. Mas talvez eles tenham pego leve com os três porque meu avô que foi buscar a galera era, na época, soldado da Aeronáutica, daí ele assinou lá um termo de responsabilidade dizendo que ia dar um castigo na molecada e colocar eles na linha.

Acho que meu pai não conhecia essa história da juventude da minha mãe, porque ele se rachou de rir hahahahaha e ele disse que meus irmãos baderneiros tem a quem puxar hahahahahaha.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Afeganistão – O “The Handsmaid Tales” da vida real

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo oitavo dia (538.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima oitava semana de distanciamento social. Eu caí na besteira de resolver ler uns jornais ontem. Para saber como estavam as coisas no mundo… daí eu me deparo com essa notícia horrenda.

As coisas que estão acontecendo no Afeganistão são surreais, eu não consigo não pensar em coisas tipo cara, e se fosse aqui? E se fosse com a gente? E no título do texto de hoje eu citei a série da Hulu “Os Contos da Aia” (“The Handsmaid Tale” no original) porque nos primeiros episódios acontece algo bastante similar ao que aconteceu lá… Mulherada trabalhando, estudando, vivendo suas vidas normalmente… daí um governo teocrático pirado toma conta e o patrão delas é obrigado a mandar todo mundo embora… depois elas não tem mais acesso à grana que está na conta delas, serão os maridos… do dia para a noite a vida de todo mundo vira de ponta cabeça e as vidas das mulheres vira um inferno. E é exatamente isto que tá acontecendo no Afeganistão nesse momento, não só lá… em diversos lugares do mundo que é dominado por ditadores. Para quem não conhece a série… eu vou deixar o vídeo com o trecho aqui embaixo para vcs.

Essa reportagem do Jornal O Globo conta uma história triste. Uma policial, que trabalhava numa prisão do país, e estava grávida de oito meses foi assassinada pelo Talebã (que nega a responsabilidade pelo crime) em frente à toda a sua família. Simplesmente, invadiram a casa dela, armados até os dentes, espancaram a mulher e depois a executaram? Por que? Provavelmente porque ela é mulher, talvez ela tenha uma religião diferente da deles, talvez ela não siga a linha mais extremista do islamismo, talvez ela seja filiada ao partido do governo que foi derrubado… ou seja… esta mulher foi morta muito provavelmente por dois motivos:

Primeiro, por ser mulher… a corda sempre rompe para o lado mais fraco. Segundo, por ter uma opinião diferente, não importa em que área da vida dela essa opinião seja. Diante da subida ao poder dessa grupo extremista… vamos ver muitas atrocidades acontecendo, como acontecem em Cuba, como acontecem na Coréia do Norte, como acontece na grande maioria dos países árabes… todos aqueles que são minorias, que discordam, são perseguidos e mortos. Se vc tiver uma religião diferente da estabelecida, vc morre, se vc for gay, trans, etc vc morre, se vc for mulher e questionar qualquer coisa e quiser sua liberdade, vc morre…

Mano, que mundo triste em que vivemos… ele gira e gira mas continua o mesmo. Os seres humanos continuam os mesmos, mesquinhos… eu vou deixar o link da reportagem aqui para vcs, caso vcs queiram saber mais… é importante ler, importante saber que isso tá acontecendo e sei lá, tentar ajudar de alguma forma. Existem diversas ONGS que estão ajudando a retirar pessoas que estão em risco de serem mortas do Afeganistão. Parece que o Governo Brasileiro liberou a entrada de afegãos que estejam fugindo no país, mas ainda assim tá complicado sair de lá… é uma situação triste amigos… muito, muito triste.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Se vcs mesmo se colocar num pedestal…

filosofando

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo oitavo dia (538.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima oitava semana de distanciamento social.

Preguiça danada hoje, vontade de fazer nada, eu acho que eu tinha todo o direito do mundo de aproveitar esse feriado de Sete de Setembro (que é o dia que eu estou escrevendo este texto para vcs) para ficar em casa sem fazer nada porque no dia 8 eu retomo minhas atividades no trampo presencial. Entretanto… eu tenho coisas para fazer, tenho que escrever aqui para o blogue, tenho que estudar, tenho que colocar a glicemia no devido lugar dela… Essa noite a FDP me deu trabalho com uma hipoglicemia. Três da madrugada e eu tendo que procurar doce pra comer porque tava abaixo dos 70 o nível da glicemia… acho que bateu uns 63. Daí toca eu esperar subir para poder dormir…

Esses dias eu falei de como é importante dormir direito para o controle da glicemia, e de como era um círculo vicioso, glicemia ruim atrapalha pegar no sono e dormir direito e não dormir direito zoa a glicemia… enfim, hoje foi uma daquelas noites. Mas como sempre nem era disso que eu queria falar no texto de hoje. Eu aliás tinha planejado escrever uns seis textos hoje e finalmente voltar ao patamar de 15 (míseros) dias de texto prontos… mas a preguiça não deixou, o dia não rendeu e agora são quase cinco e meia da tarde e jaja eu tenho que seguir meu cronograma de estudos e enfiar a cara nos cadernos. Esses dias eu estava conversando com meus irmãos… sobre, como de vez em quando na vida a gente acaba cruzando com aquele tipo de pessoa que adora bajulação, rasgação de seda sabe?

Tem pessoas que vivem para serem elogiadas. Fazem questão! E às vezes a pessoa é mesmo extremamente competente, inteligente, manja pra caramba de um determinado assunto e quando vc precisa tirar uma dúvida ela é efetivamente a pessoa que vai melhor te orientar. Mas o que acontece, é que como essa pessoa vive para ser elogiada e admirada ela acaba sendo chata pra caralho. Ela não sabe ensinar as coisas simplesmente, ela tem que se gabar de alguma forma, não basta pra ela explicar o que vc perguntou… ela tem que mostrar que sabe pra caramba, que estudou aquilo pra caramba e vc não… e vc sabe menos…

Todo mundo já deve ter topado com uma criatura dessas na vida, um professor assim, quem nunca teve? E a gente quer morrer né? Às vezes é melhor ficar sem saber como funciona os paranauês do treco que vc precisa saber do que perguntar pra aquela pessoa. E estávamos comentando isso aqui em casa, meu pai contando as histórias da vida dele e tal… como eu disse, todo mundo já teve que lidar com esse tipo de gente em determinado momento da vida. Com meu pai não foi diferente…

E não me entendam mal, todo mundo gosta de ser elogiado. Quem não gosta né? É bacana um amigo, um conhecido, um parente chegar pra vc e falar, ow valeu por aquilo que vc me falou lá, que me ajudou, que me explicou o treco. Certeza que próxima vez que a pessoa precisar, vc vai ser a primeira que ela vai se lembrar pra pedir ajuda, porque vc foi uma pessoa legal e ajudou quando ela precisava (claro que é uma faca de dois gumes – vc pode atrair também um monte de sanguessuga quando vc é muito legal). E também é legal e necessário a gente se valorizar Ma tudo tem limites na vida, como dizia a minha vó!

E depois de um acalorado debate entre todos os membros da família chegamos à conclusão que se vc mesmo se colocar num pedestal, tipo, vc mesmo sobe lá no primeiro lugar do pódio e fala, ahhhh eu sou inteligente pra caramba, eu sou foda e tal… vc não dá oportunidade das pessoas descobrirem e decidirem se vc é mesmo tão legal assim. E ironicamente, vc acaba não sendo tão legal assim. Parece contraditório mas não é… Não tem problema nenhum em vc ser foda, ser o maioral em determinadas áreas da sua vida… e saber que vc é… mas geralmente se vc não for modesto, todo mundo vai te achar um chato do caramba.

É tipo aquele cara chato que fica dando em cima de uma garota que não quer nada com ele… e ela já disse que não quer nada e o cara fica insistindo. É chato! Se vc já deu dica, já elogiou e não teve efeito… apenas para… é chato pra caralho isso. O sedento por elogios é a mesma coisa, ele quer o destaque, ele quer os aplausos. Ele se esforça e tal para aprender as coisas, mas só o conhecimento não basta… ele quer o pedestal e os aplausos e se ele não consegue ele fica putinho. E vamos e convenhamos, é legal receber elogios, mas só quando eles são sinceros né? A vida da pessoa tem que ser bem vazia mesmo para ela se contentar com elogios protocolares, tipo, vou elogiar ele porque ele é meu chefe e eu quero ficar bonito na fita… para, quanto mais de surpresa e mais espontâneo é o elogio recebido mais bacana. Pelo menos eu acho… deixem aí nos comentários a opinião de vcs, já conheceram alguém assim?

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Prisioneiros?

filosofando

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo oitavo dia (538.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima oitava semana de distanciamento social.

Penúltimo dia de prisão! Quer dizer, de isolamento social… em menos de 48 horas a vida deve voltar a ter algum ritmo de normalidade. Eu nem acredito que toda essa loucura de pandemia começou há mais ou menos um ano e meio… Não que tenha acabado ainda, tomara que esteja chegando ao fim. Eu torço que para no final de 2022 a gente já tenha deixado tudo isso, todo esse sofrimento e mortandade para trás. Voltar ao trabalho presencial é, para mim, apenas o primeiro passo de uma retomada do “novo normal” né? Se é que ele existe…

Eu estava vendo um documentário esses dias (devo escrever sobre ele nos próximos dias…) que falava sobre o 11/09 e o ataque às Torres Gêmeas, e eles no documentário diziam que existe o antes e o depois do 11/09. Temos também o antes e o depois da crise mundial de saúde que foi a AIDS nos anos 80 e 90 e agora temos o antes e o depois da Pandemia do COVID. Quer dizer… temos o antes… ainda não chegamos no depois. Ainda estamos no durante, e não sabemos como vai ser o depois… mas foi um acontecimento que marcou toda a humanidade. Eu me lembro de quando criança estudar história e pensar naqueles acontecimentos que viravam a sociedade de cabeça para baixo e imaginar, e se uma coisa semelhante acontecer? Mas era uma coisa tão distante então… agora é uma realidade…

É estranho pensar nisso. Será que nossos avós se sentiram assim depois da Gripe Espanhola, da Segunda Guerra Mundial (que foram as tragédias que mudaram o mundo deles? Meu pai esses dias, do alto dos 76 anos de idade dele estava falando da época em que teve uma epidemia de gripe aviária quando ele era criança… e comparando com a Pandemia do Covid. Minha mãe passou pela epidemia de Poliomielite… teve a doença e ficou com sequelas… A gente nunca imagina que um acontecimento histórico cataclísmico vai acontecer na nossa época né? A gente acha que é coisa que aconteceu lá longe ou que vai acontecer ainda muito no futuro… pois é galera, quebramos a cara.

A verdade é que vem tragédia, vai tragédia e o ser humano é sempre o mesmo, sempre incidindo nos mesmos erros, sempre danificando o planeta e o seu próximo. Muita gente, eu inclusive, se perguntou se talvez, essa pausa no mundo que a pandemia nos obrigou a fazer não fosse uma ótima oportunidade para a humanidade melhorar. E eu acho que algumas pessoas usaram esse tempo para melhorar sim, mas foi uma minoria, a grande maioria continua sempre a mesma. Essa é a verdade. Porque somos todos prisioneiros sabe? De uma determinada forma de pensar, dos nossos próprios interesses e egoísmos…

E isso é alimentado dentro da gente desde que nascemos, primeiro pela nossa família, depois pelos amigos, e vai continuando a ser alimentado conforme vamos aumentando o nosso grupo de conhecidos até que num dado momento criamos a nossa bolha de pessoas com quem convivemos e conversamos sempre e deixamos de aprender e de mudar. Ficamos apenas repetindo as opiniões que formamos durante o período em que estávamos construindo nosso caráter. E então nós mesmos nos aprisionamos dentro dessa bolha. Até que uma pessoa mais jovem chega e joga na sua cara que seu pensamento é retrógrado e vc começa a achar que esse mundo de hoje é que tá todo errado.

Veja bem… e vai demorar um tempo até vc se dar conta de que agora vc se tornou a pessoa que vc criticava, sua tia, sua vó, sua mãe… Então por mais que o mundo dê voltas e por mais que as coisas se modifiquem e a sociedade se transforme, o ser humano é sempre o mesmo… previsivelmente destrutivo, odioso, preconceituoso, apegado ao passado e querendo sempre ter razão em tudo. A verdade é que somos sempre prisioneiros de nós mesmos, e da nossa natureza humana…

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Streaming: Subiu pra caramba o preço da Netflix

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo sétimo dia (537.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima oitava semana de distanciamento social.

Se vc, como eu, e como um monte de gente que conhecemos é assinante da Netflix, vc deve saber que tem um tempo já que os preços dos planos de assinatura do serviço de streaming aumentaram. E aumentaram para caramba. O plano mais barato da Netflix que era de R$21,90 foi para R$25,90 e o mais caro subiu de R$45,90 para R$55,90. Aqui em casa a gente assina o mais caro porque tem quatro telas e definição em 4K, como somos em 4 pessoas cada um pode assistir o que bem entender sem atrapalhar o outro.

Enquanto que outros serviços de streaming, que estão chegando agora estão com preços bem mais em conta. O Amazon Prime por exemplo, vc paga R$9,90… e tem coisa para caramba no catálogo deles. Dependendo do plano que vc assina, sai mais em conta vc assinar os planos básicos da HBO Max, Disney Plus e Amazon Prime Vídeo juntos do que o Premium da Netflix. Os concorrentes da Netflix claro, estão aproveitando este momento para tentar abocanhar alguns clientes, mas a gente sabe que no final das contas o que vai fazer com que a pessoa permaneça no serviço ou não é o conteúdo, as séries e filmes que estes serviços de streaming oferecerem…

E é justamente esta a explicação que a Netflix deu para justificar o aumento dos preços. Eles anunciaram tem pouco tempo que pretendem enveredar pelo caminho do streaming de games e eles anunciaram que esse aumento serviria também para investimento em novos conteúdos, especialmente em conteúdos originais. Tem muito conteúdo original na Netflix já. Faz um bom tempo que a Netflix percebeu que precisaria criar suas próprias séries e seus próprios filmes, porque era questão de tempo até os demais estúdios enveredarem pelo caminho sem volta do streaming e eles não queriam ficar reféns do conteúdo desses estúdios.

Atualmente a Netflix está estreando um novo conteúdo inédito e original (produzido por eles mesmos) por semana e eles estão mirando alto para os próximos anos. O plano é ter uma nova estréia de um conteúdo original por dia na plataforma… ousados eles… Eu torço para que eles consigam. Eles foram pioneiros no streaming, e por conseguinte uma das empresas, junto ao YouTube por exemplo, que mudaram a forma como a maioria das pessoas consome conteúdo.

Mas e aí tia Shao, vc vai parar de assinar a Netflix? Vai cancelar por conta desse preço alto? Por hora não… até mesmo porque, segundo semestre de 2021 e primeiro de 2022 prometem trazer novas temporadas de diversas séries originais da Netflix que eu curto e acompanho… Algumas delas vão ser as últimas temporadas… e eu quero ver como acaba essas histórias. Eu acho que a único motivo plausível para eu deixar de assinar a Netflix no momento e partir para outro serviço de streaming seria a Netflix não lançar mais nenhum conteúdo bacana e os outros serviços lançarem uma série bem mais legal…

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Diabetes #109 – Horas de Sono x Controle de Glicemia

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo sétimo dia (537.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima oitava semana de distanciamento social.

Sabadão para vcs, domingão para mim. E hoje é dia de falarmos de diabetes. Então eu resolvi abordar um problema que eu estou enfrentando no momento, e como eu estou usando a tecnologia para me auxiliar a resolvê-lo. Eu acho que já comentei aqui no blogue sobre isso mas acho que foi bem por cima… Uma das coisas que os diabéticos precisam fazer para auxiliar no controle do diabetes é dormir pelo menos oito horas por dia. Aliás todo mundo né? Claro, existem exceções, existem pessoas que conseguem dormir menos e viverem suas vidas de boas, e serem super saudáveis e produtivas. Mas em geral, os médicos recomendam que todos deveriam dormir pelo menos entre sete e oito horas por noite.

Se vc parar para pensar, é um terço de um dia… se fôssemos seguir isso dormiríamos um terço da nossa vida. Parece desperdício né? Ainda mais num mundo corrido como o nosso. Acho que todos os dias da semana passada eu quis que o dia tivesse 48 horas para eu dar conta de fazer todas as coisas que eu precisava fazer. Agora, em meu último final de semana em casa antes de retornar para o trabalho presencial eu queria que os dias tivessem 48 horas pra eu poder descansar 24. Como eu digo a gente nunca está satisfeito com nada.

Mas voltando ao tema do blogue porque senão eu fico divagando e me perco. É importante para o diabético dormir direito, dormir pelo menos oito horas. Coisa que eu não tenho conseguido fazer ultimamente. E é importante porque esse período que passamos adormecidos influencia para caramba a produção e a circulação de hormônios importantes no nosso organismo. Tem estudos de diversas universidades que dizem que quem dorme mal tem grandes chances de desenvolver diabetes.

Então dormir bem e na quantidade suficiente de horas pode ajudar o diabético a controlar os níveis de açúcar do sangue, a melhorar também a ação da insulina no organismo, melhorar o ânimo da pessoa e diminuir o apetite. Agora, olha que coisa engraçada… quando a pessoa está passando por uma crise de hiperglicemia (níveis de açúcar muito altos no sangue) é mais difícil para a pessoa pegar no sono, ou ter uma noite de sono tranquila… E não dormir direito, aumenta o nível de açúcar no sangue… é um círculo vicioso.

E como eu comentei com vcs, eu não tenho dormido direito nos últimos tempos. Eu tenho tentado dormir as oito horas, eu até tenho ido para a cama mais cedo, mas eu demoro pra pegar no sono. E mesmo estando em teletrabalho, eu tenho que acordar cedo para cumprir meus afazeres e minhas 8 horas de trabalho… parece que eu sempre acordo cansada… média de sono dos últimos meses, sete horas, sete horas e meia de sono… Apenas em dois meses desse ano eu consegui dormir oito horas por noite todas as noites. Como é que vc sabe Shao? Porque eu uso minha Mi Band 5 para monitorar as minhas horas de sono… Ela é até que bem precisa… vejam só…

Janeiro e Maio (mês das minhas férias) foram os únicos dois meses que eu consegui dormir direito, nos demais não… e atrapalhou um pouco a minha glicemia… Na maioria das noites eu fico entre seis e sete horas de sono… Eu tenho certeza que esse mês as coisas vão ficar ainda mais complicadas neste mês de setembro. O que é uma porcaria se descontrolar mais ainda minha glicemia porque eu tenho que fazer exames e retornar no endocrinologista este mês. E a minha glicemia estava tão controladinha em fevereiro.

Enfim, é importante dormir direito, e não adianta tentar compensar dormindo até mais tarde no finais de semana, eu já tentei isso hahahahaha. Acho que minha mãe tinha razão quando ela dizia que o sono perdido não tem como ser recuperado.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Documentário: Arquivos de um Serial Killer

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo sexto dia (536.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima sétima semana de distanciamento social.

Terceiro e último filme de hoje, mais um documentário… e para não perder o costume, bora pro tema de criminalística. Dos três documentários que eu citei hoje este é o mais aterrador creio eu porque ele narra a história, os diversos crimes cometidos pelo serial killer e necrófilo escocês Dennis Nilsen. Mas não apenas isso… o documentário traz trechos de gravações que o sujeito fez na cadeia, enquanto estava preso cumprindo a pena pelos mais de 15 assassinatos que cometeu em Londres entre os anos de 1978 e 1983.

O documentário não é daqueles que detalha muito os crimes (graças a Deus porque tem uns que chega embrulhar o estômago) ele foca mais nas investigações, em falar do perfil das vítimas e no modus operandi do serial killer… como ele foi pego mas o foco principal deles é realmente tentar mostrar para o telespectador o que se passa dentro da mente de um assassino em série. E os produtores e diretores do documentário fazem isso através dos áudios gravados pelo criminoso na cadeia.

Muita gente se pergunta, e eu também, porque a sociedade tem esse fascínio mórbido pelos assassinos em série. Na verdade eu acho que as pessoas, especialmente as pessoas que estudam criminologia, direito e a área policial querem entender o que se passa numa mente assim. A eterna pergunta, a pessoa nasceu assim? Ou aconteceu alguma coisa que fez com que ela se tornasse esse monstro. Esses dias eu estava lendo uma pesquisa de uma universidade grande dos EUA que diz que todos nós temos um certo grau de loucura.

Eu não sei a resposta, não sei se os psicopatas nascem ou se tornam monstros. Mas eu acredito que todo mundo tem dentro de si a capacidade para fazer o bem e também para fazer o mal. Para mim a parte mais interessante de um documentário sobre um assassino em série, como sempre é a parte investigativa e como finalmente os policiais conseguiram desvendar o crime, quais as técnicas utilizadas e o desfecho. Se vc curte esse tipo de documentário esse foi muito bem feito, fica aí mais essa dica para vcs.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Documentário: Untold – Briga na NBA

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo sexto dia (536.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima sétima semana de distanciamento social. Segundo texto, segundo documentário desta sexta-feira para vcs (e sabadão para mim…). Continuamos com a série de documentários “Untold” da Netflix.

Toda essa série de documentários Untold, da Netflix é muito, muito recente… estrearam agora em agosto. A Netflix tá soltando devagar os documentários, acho que um por semana… no momento que eu estou escrevendo este texto, ainda tem uns filmes que não estrearam. No momento eu não sei quantos são… mas eu já assisti a dois e tem um terceiro que eles vão lançar neste final de semana que vos escrevo. Então assim, por eles serem bem recentes, este segundo documentário em especial “Untold – Briga na NBA” eu vou mencionar o mínimo possível de detalhes ao falar desse documentário porque no anterior eu acho que dei detalhes demais e acaba estragando a experiência de quem quer assistir.

Dessa vez o documentário conta a história de quatro jogadores de basquete da NBA, caras que tinham tudo para serem considerados os melhores da sua geração, que tinham tudo para serem campeões e fazer história mas que por causa de uma briga que rolou num jogo importante para caramba que acabou causando diversas consequências para toda a Liga de Basquete Americana, bem como para o time no qual esses caras jogavam e consequentemente para as carreiras desses jogadores.

Esse documentário tem sido bastante elogiado, especialmente pelos sites de esporte, especializados em basquete e toda a galera que na época acompanhou todo o escândalo, todas as mudanças que aconteceram na liga, as punições e tudo mais, como o ocorrido abalou a opinião pública em geral e como até mesmo a forma de se organizar uma partida. Se vc é fã de basquete e quer saber o que rolou nos bastidores de uma das maiores confusões de todos os tempos na liga nacional de basquete norte americana… vale a pena assistir ao documentário. E ouvir a história ser contada diretamente pelos envolvidos na baderna contando os seus diferentes pontos de vista.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Documentário: Untold – Pacto com o diabo

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo quinto dia (535.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima sétima semana de distanciamento social.

Bem-vindos a mais uma sexta-feira meus amigos. Hoje vai ser uma sexta-feira especial porque só vamos falar de documentários. Se vcs não curtem documentários, talvez vcs queiram pular esta sexta e voltar aqui apenas semana que vem. Eu acho que comentei com vcs aqui, semana passada mesmo quando eu estava comentando os filmes escolhidos, que eu tô ultimamente numa vibe de assistir a documentários né? Tanto em série quanto em filmes, então… me aturem um pouquinho beleza? Já já passa e eu volto a ver filmes mais comerciais.

Mas nem era disso que eu queria falar no texto de hoje, bora falar dos documentários mesmo… A Netflix tá trazendo uma série de documentários bacanas, séries criminais e uma série de filmes documentários com o nome de “Untold” em cada um deles, é contada uma história de um artista ou atleta famoso, contando um episódio traumático ou polêmico da sua história e que nunca veio a público completamente e que agora essa personalidade quer “passar a limpo”.

O primeiro filme dessa série de documentários se chama “Untold – Pacto com o diabo” e conta a história da vida da boxeadora Christy Martin. Uma das pioneiras num esporte que até então era apenas dos homens. Quem, como eu viveu os anos 80 se lembra que quem era dono do mundo do boxe nessa época era o Dom King e o Mike Tyson. E ele começa contando a história de como Christy, uma menina que era gay, mas que tinha que esconder do mundo e que adorava esportes, e se dava bem em todos eles, começou a lutar, meio que por acidente, descobriu que tinha um queixo duro e uma patada violenta nas mãos e se viciou na adrenalina que era lutar e nocautear as suas adversárias.

Mas ela apenas lutava como amadora. Entretanto seu nome começou a circular no meio do mundo do boxe. Ela arrumou um empresário e um treinador. Jim Martin, Um cara 25 anos mais velho que ela, que a princípio não queria treiná-la porque não achava que boxe era coisa para mulher, mas que depois percebeu o talento dela e realmente ensinou os rudimentos do boxe para ela. Com a orientação dele e o talento dela, Christy chamou a atenção de Dom King, ela assinou um contrato com ele e abriu uma luta do Mike Tyson, que na época era o maioral. Eu me lembro dessa luta, eu assisti na TV e a luta dela com uma outra lutadora que agora eu não me lembro o nome, mas que era casca grossa para caramba também… chamou mais atenção do que a luta principal.

Foi então que ela se tornou um grande sucesso… No meio do caminho, ela acabou se casando com Jim Martin, seu treinador. E os dois eram considerados a dupla dinâmica do boxe feminino. Imbatíveis. Eles chegaram ao topo, mas foi aí que as coisas começaram a desmoronar. Drogas e bebidas começaram a entrar na vida de ambos, Christy começou a não saber mais lidar com a pressão do sucesso e a vida de mentiras… ela ficou viciada em cocaína, tentou sair várias vezes mas não conseguiu, o casamento de fachada com Jim, porque ele sabia que ela era gay, também estava por um fio… Então, quando ela finalmente resolveu colocar um ponto final no casamento… nas mentiras e seguir sua carreira como ela bem entendesse… Jim tentou matá-la.

E eu vou parar por aqui de contar ao que acontece no documentário, vcs vão ter que assistir para saber o que acontece. E eu recomendo pra caramba, eu nunca fui de acompanhar a carreira de Christy Martin, mas eu cheguei a vê-la lutar e ela era foda, então eu recomendo pra caramba esse documentário para vcs.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Séries: The Big Bang Theory (Todas as Temporadas)

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo quinto dia (535.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima sétima semana de distanciamento social.

Hoje é dia de falarmos de série, mas por conta da falta de tempo eu não assisti nenhuma série nova e também não consegui assistir a nenhuma temporada das séries que eu acompanho. Como eu disse tem um tempinho para vcs eu estou testando a HBO Max, acho que esse teste vai permanecer por uns meses porque os meus irmãos querem assistir à Champions League e o Streaming da HBO Max vai transmitir todos os jogos. Então eu vou manter a assinatura por hora… 13 reais… tá bem mais barato que assinar o Premiere no site especializado em futebol.

E tem várias séries mais antigas, que estão disponíveis na HBO que eu sempre quis assistir mas por uma razão ou por outra acabei não assistindo. Uma delas é “The Big Bang Theory” com todas as suas doze temporadas e 279 episódios. Eu assisti apenas as primeiras três temporadas quando eu ainda assinava TV a Cabo. Depois eu fiquei com preguiça de procurar online, acabei não acompanhando mais. E agora, como tem todas as temporadas na HBO eu tô revendo as três temporadas que eu já vi e vendo pela primeira vez as outras 9 que eu ainda não tinha visto.

É uma série de comédia que tem como personagens principais nerds, é claramente inspirada em “Friends”. A série tem diversas piadas que na época em que ela foi transmitida eram consideradas engraçadas, mas que hoje em dia são consideradas politicamente incorretas, machistas, homofóbicas, racistas… As primeiras temporadas da série pegavam bem pesado com as piadas mesmo. Com o passar dos anos os escritores começaram a pegar mais leve, justamente por causa das críticas. A série estreou em 2007 e terminou em 2019. E eu me pergunto, será que se tivesse estreado agora em 2021 ela teria feito o sucesso que fez na época? Acho que não.

De qualquer forma eu estou assistindo, e alguns episódios, algumas piadas ainda são hilárias. E como minha assinatura da HBO deve permanecer por uns meses, se nenhuma outra série interessante surgir no horizonte, eu devo engatar uma maratona (lenta) de “Game of Thrones”, sim, eu ainda não assisti à série… na época que ela tava fazendo todo aquele alvoroço eu não vi… Eu acho que assisti apenas a primeira temporada, mas faz tanto tempo que eu nem me lembro mais da história. Ah, e fica a dica, quem quiser assistir vc encontra “The Big Bang Theory” está disponível na HBO Max e também na Globo Play.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Canal do YouTube – Stephanie Harlowe

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo quinto dia (535.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima sétima semana de distanciamento social.

Última sexta-feira de Trabalho remoto para mim… yay! Agora tenho quatro dias para descansar de verdade final de semana. Eu tenho uns corres para fazer neste final de semana mas… fora isso eu quero apenas descansar. Eu vou ter que fazer uma pausa nesse descanso, claro, para estudar… porque meus estudos estão bem atrasados e também para escrever aqui para o blogue pelo mesmo motivo, mas fora isso tenho mais nada planejado. Hoje o dia no trabalho foi bem agitado, eu quase nem tive tempo para escrever aqui para o blogue. Além de ser o meu último dia em casa, também a gente tem que fazer o fechamento das estatísticas do atendimento do mês de agosto.

Vou perder algumas horas de estudo para poder escrever para o blogue o número de textos necessários para não deixar mais cair o tanto de textos prontos que eu já tenho. Não tem problema porque apesar de ser quinta para vcs para mim é sexta e eu posso ficar acordada até mais tarde, adentrar a madrugada estudando. Tenho que tirar um tempo também nesses meus últimos quatro dias de isolamento para ver pelo menos dois filmes da minha lista. Mas como sempre nem era disso que eu que eu queria falar no primeiro texto desta quinta-feira.

Primeiro texto de hoje eu vou deixar uma dica de um canal do Youtube para vcs que se chama Stephanie Harlowe. Como a maioria dos canais que eu venho acompanhando nos últimos tempos fala de crimes. Este, por ser um canal internacional, ele é falado completamente em inglês e ele foca em crimes que acontecem em sua maioria nos EUA. Mas é uma boa, especialmente para quem quer treinar o ouvido para o inglês. É bem bacana também porque faz uma abordagem legal, para quem como eu curte estudar Direito Comparado é bem bacana vc ter uma ideia de como as coisas, as leis e a justiça, funcionam fora do Brasil.

Brasileiro tem a eterna síndrome de vira-latas e acha que temos o pior isso e o pior aquilo, mas a verdade é que quando vc é pobre, sem estudo e faz parte de uma minoria qualquer, mesmo que vc seja inocente vc tem grandes chances de passar uma vida inteira na cadeia. Enquanto que se vc tem grana para pagar os melhores advogados do mundo, mesmo que vc tenha cometido as maiores atrocidades, vc tem grandes chances de não pagar por este crime.

A dona do canal fala de diversos casos, alguns deles bem horrendos, assassinatos em massa, que aconteceram e acontecem nos EUA. Os mais infames como por exemplo do Chris Watts que assassinou a mulher grávida e duas filhas pequenas a sangue-frio para ficar com a amante, ela acompanha também o desenrolar do caso, as investigações, o julgamento, se o cara foi preso ou não, quanto tempo de cadeia ele pegou. É um canal muito bacana… eu recomendo pra caramba ele para vcs. Alguns vídeos são bem longos, vc coloca lá para rodas e eles tem uma hora ou mais de duração e enquanto vc vai fazendo alguma tarefa qualquer vc pode ir ouvindo os detalhes e treinando seu inglês ao mesmo tempo. Fica aí a dica para vcs.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Quando nos vemos no outro…

filosofando

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo quarto dia (534.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima sétima semana de distanciamento social.

Outro dia alguém me disse uma frase… não me lembro quem, não me perguntem… que dizia assim: Quando criticamos uma pessoa, isso diz mais sobre nós que sobre o outro… E isso acontece por quê? Por vários motivos… um deles porque a gente não consegue entender como a pessoa consegue viver da forma que vive porque é tão diferente da nossa. Então a gente tem uma determinada concepção do que é certo ou não e quando nos deparamos com uma pessoa que vive a sua vida de uma forma completamente avessa àquela que achamos correta a gente acha estranho. E isso diz mais sobre a gente, sobre as nossas opiniões do que sobre a pessoa.

Porque a pessoa pode estar feliz para caramba vivendo a vidinha dela, mesmo que essa vidinha seja completamente diferente, e completamente incompreensível para o resto do mundo. Porque a pessoa pode estar feliz para caramba vivendo a vidinha dela, mesmo que essa vidinha seja completamente diferente, e completamente incompreensível para o resto do mundo.

Outro motivo que pode acontecer é que a pessoa pode, olhar para o outro e se reconhecer nele… e nesse momento, ao se reconhecer no outro ela não gosta do que vê. E a famosa hipocrisia né? A mesma situação acontece com vc, é desculpável… no outro é inaceitável… E claro a gente faz isso meio que no piloto automático, porque não queremos admitir para nós mesmos que a gente pisa na bola de vez em quando, que a gente pode ser filha da puta com os outros.

Eu estava conversando sobre isso com meu irmão esses dias e ele fez uma observação engraçada… mas bem correta. Ele disse assim, é tipo quando vc foi aquele cara cachorrão, que pegava toda a mulherada daí vc casa e tem uma filha e ela te apresenta o namorado e vc fareja de longe que o cara é da mesma raça de cachorro que vc era e vc não quer ver aquele sujeito namorando a sua filha. Eu dei risada desse exemplo dele, mas é bem assim.

Às vezes as pessoas se incomodam com a forma como vivemos a nossa vida porque estamos fazendo o que no fundo ela gostaria de fazer mas não teve oportunidade, ou coragem ou sei lá… não deu certo pra ela. Então deve ser dureza para essas pessoas olhar o outro e se reconhecer nele e pensar… caraca, podia ser eu hein? Ou devia ser eu… vcs já pararam para pensar nisso?

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Eu preciso trocar meus óculos…

filosofando

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo quarto dia (534.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima sétima semana de distanciamento social.

Hoje o dia rendeu, apesar dos pesares, apesar de eu estar morrendo de cólica e de dor de cabeça e de dor nas costas. Trabalho rendeu bastante, consegui escrever mais que os quatro textos diários que eu preciso escrever para começar (lentamente) a aumentar aqui no blogue a quantidade de textos prontos aqui no blogue. Meu dia tinha que ter 48 horas para eu dar conta de fazer todas as coisas que eu preciso. Esse mês de setembro eu tenho que ajeitar o licenciamento do carro, tenho que fazer uns exames e voltar ao médico… tenho também que mês que vem renovar a minha habilitação… e as provas estão chegando também…

Mas antes de mais nada eu preciso marcar uma consulta com o oftalmologista. Dois anos quase sem consultar nada por causa da pandemia acho que preciso trocar meus óculos. Aliás acho não, eu preciso mesmo, e tem que ser este mês porque senão eu vou me lascar quando eu for renovar a habilitação. Porque da última vez que eu renovei a médica que fez a minha perícia, fez o favor de anotar que eu precisava de óculos para dirigir. Então agora eu preciso corrigir a receita do meu óculos, e fazer lentes novas até o final de setembro, para até o final de outubro eu poder renovar minha habilitação.

Eu fico postergando as coisas… depois eu vejo isso, ahhh amanhã eu vejo, daí depois eu tenho que fazer tudo em cima da hora. Mas verdade seja dita, com relação à consultas e exames eu tava sendo relapsa mesmo porque eu realmente não queria sair de casa e ir até um ambiente hospitalar para correr o risco de pegar o coronga. Então eu fiz apenas os exames e fui às consultas que eram extremamente necessárias. Agora que eu tomei a vacina eu tenho um monte de consulta e exames atrasados para correr atrás. Não sei se meus chefes vão gostar ahahahaha eles vão falar, vc devia ter feito esse monte de consulta aí qdo vc tava trabalhando de casa… vc vai querer fazer agora?

Ué, não fazia muito sentido eu ir para o hospital, cheio dos vírus, sem a vacina né crianças? Tenho que ir agora… que tô mais ou menos protegida. Medo das novas variantes que vem surgindo aí mundo afora. Estão falando até mesmo de uma variante perigosa aí que é resistente às vacinas que estão no mercado. Bom, eu só sei que eu preciso trocar a lente dos meus óculos… Especialmente porque eu não tô enxergando muito bem de longe e bem de pertinho com as lentes atuais. Quase dois anos com a cara enfiada nesse computador aqui em casa… não me espanta né?

Entretanto, eu preciso primeiramente voltar para meu trabalho, ver como estão andando as coisas lá, como tá o movimento, se tá lotando de gente, qual o melhor dia da semana e então eu vou começar a marcar as minhas consultas. E vou começar com o oftalmologista.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Esportes… Olimpíadas…

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo quarto dia (534.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima sétima semana de distanciamento social.

E teve olimpíadas esse ano… apesar dos pesares, apesar da pandemia… Quer dizer, era para ter acontecido o ano passado, mas por causa da pandemia eles postergaram para este ano, eu cheguei a duvidar que a academia fosse acontecer… Mas acabou acontecendo e eu sempre acompanho, alguns esportes mais atentamente, como o vôlei por exemplo. Este ano o Brasil fez história, acho que foi a melhor participação brasileira da história…

Foram participações histórias dos atletas brasileiros, os que ganharam e os que não conseguiram medalha também porque se vc parar para pensar, só dos caras se classificarem para uma olimpíada já quer dizer que eles estão entre os melhores do mundo. Isso diante das dificuldades, da falta de inventivo no esporte (e em outras áreas) que reina no Brasil né?

Agora tá rolando (tá acabando na verdade – e quando vcs estiverem lendo este texto já deve ter terminado de vez) os jogos Paralímpicos. Que eu sempre acompanho também… mas aí com mais atenção e até mesmo os esportes que eu não curto nem entendo porque essas pessoas já tem tantas dificuldades na vida cotidiana, é uma inspiração monumental vc ver essa galera indo lá e quebrando recordes, e ganhando medalhas… fazendo coisas que outras pessoas que não tem as mesmas limitações físicas que eles tem jamais seriam capazes de fazer.

E eu me lembro muito da minha mãe, ela era deficiente, dos três anos de idade até seu último dia nesta terra ela teve que lidar com a deficiência, e ela foi uma guerreira. A deficiência nunca a impediu de fazer nada que ela quis fazer na vida. Os dias que eu não tô tão legal são os dias que eu me esqueço dessa força que ela tinha. Eu tava até comentando com uma amiga minha esses dias como eu tive sorte de tê-la como mãe e como inspiração pra minha vida. Tem um pouco a ver com que eu comentei no texto sobre ultrapassar obstáculos… às vezes a gente precisa de uma pessoa para nos inspirar a sermos melhores. Ainda mais quando estamos desanimados.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Desenhos Antigos: Jeannie 1973

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo quarto dia (534.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima sétima semana de distanciamento social.

Bora falar de coisas divertidas, porque faz um tempão já que este blogue não é mais o meu portal das lamúrias né? Embora de vez em quando ele se torne nisso… Como eu sempre digo para vcs, de vez em quando eu tenho que falar da minha vida por aqui para justificar o nome do blogue, pois afinal de contas isto aqui um dia foi o meu Diário (de bordo). Mas, hoje é aquele dia da semana que eu amo, que eu posso falar de desenhos velhos que eu curtia quando eu era criança. A parte mais divertida desse dia da semana é pesquisar e rever alguns episódios dessas animações. É legal também redescobrir alguns desenhos animados que eu sequer me lembrava, memória afetiva é um treco engraçado.

Mais engraçado ainda ainda entretanto é vc assistir a um desenho animado que vc curtia quando era criança com olhos de adultos. Na maior parte das vezes eu dou risada como se fosse ontem, mas de vez em quando eu penso… nossa mas cadê roteiro nesse treco? Ou então… isso não faz o menor sentido hahahahaha. E aí a gente acaba se perguntando como é que antigamente não tinha a menor importância se tinha ou não sentido as coisas que aconteciam dentro do desenho animado.

E o escolhido de hoje é o desenho “Jeannie” de 1973, produzido pela Hanna Barbera para a Rede de Televisão Americana CBS, em parceria com a Screen Gems, teve uma temporada e 16 episódios e que era baseado na série de televisão “Jeannie é um Gênio”. Entretanto as histórias das duas mulheres gênios eram diferentes… Enquanto na série Jeannie é uma loira descoberta por um astronauta, e ela pisca os olhos para fazer suas magias e os dois acabam se apaixonando e ficando juntos no final. No desenho animado Jeannie era ruiva, e flutuava no ar de pernas cruzadas e usava o cabelo preso num rabo-de-cavalo que se movia quando ela fazia suas magias. O seu amo nesse desenho era um garotão surfista chamado Corey Anders e Jeannie também era apaixonada pelo amo, entretanto ela era extremamente atrapalhada e suas mágicas acabavam sempre por colocar o rapaz em enrascadas.

Ainda tinham outros personagens bem engraçados, o gênio Babu amigo de Jeannie que era todo atrapalhado também. O melhor amigo de Corey chamado Henry. Tinha também o antagonista que os rapazes chamavam de Smelly, um riquinho que vivia competindo com Corey em tudo. Uma curiosidade do desenho animado é que o ator Mark Hamill, famoso por interpretar Luke Skywalker na saga Star Wars era quem dublava Corey e depois desse papel ele engatou diversas dublagens, construindo uma carreira bem sucedida como dublador. Outro famoso da época que também dublou um personagem da animação foi o comediante Joe Besser, conhecido pelo papel de Curly no sitcom de comédia “Os Três Patetas”. E como sempre eu e diverti revendo alguns episódios que eu encontrei pela internet e vou deixar um videozinho aqui embaixo para vcs que quiserem conhecer ou relembrar.

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.

Agosto mês de Desgosto?

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legais? Como tá a Pandemia de vcs? Tá Boa? Tá ruim? Tá coisada que nem a minha? Espero que não… Eu nem posso reclamar, na verdade, sabe… eu reclamo porque a gente sempre reclama de tudo né? Então eu vou dizer que eu tô legal… Continuamos por aqui e estamos em nosso quingentésimo trigésimo terceiro dia (533.º para vcs não se perderem a conta) e septuagésima sétima semana de distanciamento social.

Terceira semana de setembro para vcs, para mim ainda é a primeira… Tô super atrasada com os textos aqui no blogue, vou ter que tirar um dia inteiro para me dedicar um pouquinho aos textos porque minha reserva de textos a serem publicados nunca esteve tão baixa desde que eu resolvi postar dois textos por dia aqui no blogue tem uns tempos (são sei exatamente quanto… sou péssima com números). Em maio desse ano eu tinha 45 dias de textos prontos com antecedência aqui para o blogue, de junho para cá entretanto eu tenho me dedicado mais aos estudos para o Exame de Ordem, que deve ser o mês que vem… e gradativamente o número de textos prontos foi caindo, caindo… alguns dias eu fiquei sem escrever nada… e agora eu tô com pouco mais de 10 dias de textos prontos. O que é muito, muito pouco mesmo…

Como vcs sabem eu gosto de ter uma folga de 120 dias (quatro meses) e eu acho que este ano eu não consegui alcançar nem metade dessa média. Mas acho que o blogue não está correndo risco de ficar sem os dois textos diários, sem pelo menos um texto por dia, ou pior… sem nenhuma postagem… por enquanto. A gente nunca sabe do dia de amanhã né? Eu juro que eu tô tentando manter as coisas andando mais ou menos dentro da programação. Mas tá bem complicado mesmo. No momento nossa contagem tá em 12 dias e 28 textos… Quem sabe se eu me dedicar bastante nos próximos dias a escrever eu consiga reverter isso… veremos…

Mas como sempre nem era disso que eu queria falar, quer dizer, mais ou menos… eu disse que não tem sido um mês bom né? Agosto nunca foi um mês bom para mim… Aniversário da morte da minha mãe e da minha vó… e no meio do aniversário da morte das duas tem dois aniversários de pessoas que eu amo muito… então é uma puta de uma montanha russa de sentimentos. Olha que inferno… dia 14 meu priminho fez um ano, dia 15 fez 12 anos da morte da minha mãe, dia 16 aniversário de 31 anos do meu irmão e dia 16 um ano da morte da minha vó. Quem merece?

Eu e meus irmãos sempre ficamos bolados em agosto, esses dias eu até estava conversando com o Carlos e eu nós dois temos sempre a mesma sensação, de que toda a vez que agosto chega, o tempo pára, o mundo gira ao contrário e a gente não vive a gente simplesmente revive aquele agosto de 2009 quando minha mãe morreu. E é assim todo ano… e somos incapazes de impedir esse sentimento ruim que toma conta. Este ano as coisas foram ainda piores com a morte da minha vó completando um ano. E no final de agosto, os médicos colocando minha tia em tratamento paliativo. Tivemos duas festas de aniversário que estávamos comemorando por fora mas por dentro todos nós estávamos em clima de funeral, pelas pessoas que já se foram e… Em pensar que minha tia pode ser a próxima.

Fazia muito tempo, que eu não tinha um mês tão ruim… tem dias (como hoje mesmo) eu não queria sair da cama… Mas também quando eu vou para a cama eu não consigo dormir. Essa noite eu dormi pouco mais de quatro horas. Aí adivinhem a glicemia amanheceu nas alturas. E eu tenho que todos os dias trabalhar das 8h00 às 17h00, escrever para o blogue, estudar entre 3 e 4 horas para o exame da ordem… ainda tirar tempo para fazer uma hora de exercício, comer direito (sem apetite), dormir 8 horas por noite (sem sono)… E semana que vem volto efetivamente ao atendimento presencial.

E como é que vc faz tudo isso com a cabeça cheia de pensamentos tristes e preocupação? Eu perdi a conta de quantas enxaquecas eu tive esse mês… Eu tô vivendo a base de remédio pra dor de cabeça, e remédios para o estômago… porque quando eu fico nervosa me ataca uma gastrite ferrada, isso fora os remédios que eu geralmente já tenho que tomar por conta do diabetes. Desculpem pela sessão desabafo, mas sabem de uma coisa… eu acho que esse mês de agosto fez jus à fama sabe, aquele ditado que diz que agosto é mês de desgosto? Pois é…

Vou terminando este post por aqui… Espero ver vcs no próximo texto! Se vc curtiu o texto clique aí na estrelinha, compartilhe com seus amigos e se vc também tem um blogue, deixa aí embaixo nos comentários que eu adoraria conhecer o blogue de vcs!

Abraços, Shao.