Música: Depeche Mode

depechemode

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Bora falar de música? Bora falar de Depeche Mode? Bora falar de uma das bandas mais legais dos anos 80. Vcs jovenzinho de vinte e poucos anos pode não saber, mas estes caras foram uns dos percursores em misturar rock com música eletrônica lá no tempo quando a tia Shao era bem mais jovenzinha que vcs.

Eles não estão mais no mainstream da música, as canções deles não tocam mais nas rádios. Mas em nada muda o quão relevante o som deles foi entre os anos 80 e os anos 2000. Mas não é o som deles (uma mistura de música eletrônica com rock). Mas bora falar um pouquinho da história da banda para quem não conhece, conhecer um pouquinho. E como sempre entre os parágrafos deste texto eu vou colocar alguns vídeos com as minhas músicas favoritas da banda.

O Depeche Mode é uma banda inglesa que começou com os anos 80 eles surgiram exatamente em 1980. E eles lançaram o primeiro álbum deles em 1981. No começo eles eram um quarteto formado pelo vocalista David Gahan, o tecladista Martin L. Gore, o baixista Andrew Fletcher e o também tecladista e compositor Vince Clarke.

Mas, Vince Clarke saiu da banda após o primeiro álbum para acabar formando outra banda de sucesso (uma dupla na verdade) o Erasure. Ele foi substituído por  Alan Wilder, que ficou na banda até 1995 e saiu também. Daí para frente eles continuaram como um trio.

O Depeche Mode tem uma discografia bem profusa com 14 álbuns de estúdio. E eles são tão considerados no cenário musical mundial que eles foram eleitos neste ano ainda para o Hall da Fama do Rock and Roll. Falando um pouco dos álbuns, eles explodiram logo de cara com o primeiro álbum “Speak & Spell” com o sucesso “I Just Can’t Get Enough”.

Iria demorar mais quatro álbuns para que o Depeche Mode emplacasse mais um sucesso similar. E foi com o álbum “Music for The Masses” de 1987 e foi com ele que eles apresentaram “Strangelove” e então eles conquistaram o mundo com esse hit. Que aliás é uma das minhas músicas favoritas deles. Uma das letras mais bacanas também. Pelo menos eu acho.

O próximo álbum da banda demorou mais três anos para aparecer mas então eles voltaram mais maduros. Um dos meus álbuns favoritos deles “Violator” de 1990 que traz duas músicas que eu amo “Enjoy The Silence” e “Personal Jesus”. Então em 1993 veio “Songs of Faith” com a canção “Walking in My Shoes”. E em 97 veio “Ultra” e a maravilhosa “It’s no Good”. Depois eu confesso que pulei alguns álbuns deles porque nenhuma música me capturou muito e então em 2005 veio “Playing The Angel” com “Precious”.

Depois disso minha vida meio que ficou de ponta cabeças e eu só voltei a ouvir falar do Depeche Mode em 2017 com o álbum “Spirit” e a canção “Going Backwards”, que tem uma letra linda e extremamente atual. Em 2018 a turnê mundial deste álbum inclusive passou pelo Brasil, mas eu não consegui ir… eu tive que escolher entre eles e o Bon Jovi, eu só tinha grana para ir em um dos shows e acabei indo no do Bon Jovi hahahaha. Mas eles continuam na ativa, tenho esperanças de um dia ainda vê-los tocando ao vivo. É uma banda fenomenal, os caras tem muito a dizer, as letras são maravilhosas e o som deles apesar de extremamente marcante, vc ouve e pensa… é Depeche Mode (eles criaram um estilo que é só deles) não soa datado, vc vê a influência dos anos 80 no som, mas eles não ficaram parados no tempo. Se vcs não conhecem, vale a pena conhecer.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Canal do YouTube: Canal A&E

youtube

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Bem vindos a esta quinta-feira crianças. Espero que vcs estejam todos bem, eu estou aqui no meu trigésimo quarto dia de quarentena, escrevendo… tentando aumentar aqui o número de postagens do blogue… acho que estou indo bem, vai demorar um tempo até eu conseguir, mas estamos bem encaminhados.

Hoje, quinta… nós geralmente falamos de três assuntos bem legais… Canais do YouTube que eu curto (e é disso que vamos falar hoje) e que eu gostaria de indicar aqui para vcs porque o conteúdo é interessante. Falamos de séries também e falamos de música. Hoje eu quero indicar para vcs um Canal do YouTube que nem precisava de indicação porque quem é dono deste canal é uma estação de TV. Mas como é uma Estação de TV a Cabo nem todo mundo tem acesso (eu mesma, cancelei a minha TV a Cabo e não tenho mais este canal). Então eu acho bacana vcs saberem que um pedacinho do conteúdo deles vcs encontram online no YouTube.

É o Canal A&E. E tá certo que eles não usam o canal como deveriam…  Mas até aí a maioria dos grandes canais de televisão fazem a mesma coisa. Eles estão nas Redes Sociais, ou eles lançam seus próprios aplicativos mas eles em grande parte só servem para fazer propaganda, tipo… assista nosso canal, ou assine nosso canal e tenha nosso conteúdo completo… mas de qualquer forma é melhor que nada, algumas séries, alguns episódios de algumas séries, geralmente os mais importantes… eles postam completos no YouTube, para vc se interessar e quer assinar a TV a cabo ou o aplicativo da empresa.

Sinceramente eu acho que esta galera está investindo de forma errada no streaming de vídeo hahahaha mas quem sou eu né? Enfim, o conteúdo do Canal A&E é muito bacana, quando eu tinha assinatura de tv a cabo eu assistia sempre e era um dos meus canais favoritos. As séries originais deles são muito legais, abordam assuntos bem interessantes. É um dos poucos Canais que eu realmente sinto falta de ter disponível para assistir. E mesmo o Canal do YouTube deles não tendo temporadas completas das séries que eles produzem vale muito a pena assistir vários vídeos que eles disponibilizam na playlist deles, no YouTube.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Cidadão não!

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Continuamos aqui no nosso trigésimo quarto dia de quarentena… (na verdade, eu tô bem mais para frente… mais de cem dias de quarentena…mas… enfim…), Como vcs sabem eu escrevo os textos com alguma antecedência então. E como vcs sabem eu procuro não tocar muito em assuntos POLÊMICOS que permeiam as internets da vida…

Masss, aconteceu esse caso há uns dias, no Rio de Janeiro. Caso vcs não saibam de qual caso eu estou falando cliquem na imagem no começo do texto e vão ler a reportagem no site do Extra e depois voltem aqui. Mas basicamente os bares e restaurantes foram liberados no Rio e ninguém respeitou o distanciamento social. E durante a noite os fiscais do Rio tiveram que autuar e fechar estabelecimentos. E foi naquele exato momento, um casal começou a agredir verbalmente o Fiscal e tudo mais… Leiam a reportagem e assistam ao vídeo caso vcs não tenham visto ainda.

A reportagem foi ao ar no Fantástico e eu compartilhei a notícia nas minhas redes sociais com uma pergunta assim: O que dizer do ser humano? E as respostas que eu obtive na minhas postagens foram interessantes e foram estas respostas que suscitaram em mim a vontade des escrever um texto sobre o assunto. Eu sou funcionária pública, vão se completar 18 anos agora em dezembro. E eu já perdi a conta das vezes que eu fui tratada mal por pessoas a quem eu estava atendendo.

E os comentários que mais me surpreenderam foram as pessoas que me falaram: Ah Ceres, eu não acredito que estas pessoas estivessem em posse das suas razões. Deviam estar bêbadas, ou drogadas, ou muito loucas. E eu respondi assim… não fique surpresa porque, eu mesma já fui tratada assim inúmeras vezes, simplesmente por estar fazendo o meu trabalho dentro da lei, ou procurando garantir o cumprimento das leis.

Tiveram vários comentários, desde Ahhhh tinha que ser Bolsominion, até colegas de trabalho relembrando casos em que também foram destratados, agredidos, ofendidos enquanto estavam apenas tentando fazer o seu trabalho… E eu me pergunto, de onde provém este tipo comportamento? Basicamente, para quem como eu está acostumado a lidar com pessoas assim (pelo menos um por dia aparece um assim no meu trabalho) a gente costuma enquadrar estas pessoas numa categoria os famosos “eu pago o teu salário” ou ainda “você é meu empregado”.

E diferentemente do que a maioria das pessoas acredita, não é só gente rica, empresários de direita que agem assim beleza? Eu já fui tratada assim por morador de comunidade (favela) que sobrevivia de bolsa família e pensão alimentícia. Eu me lembro que a mulher chegou na Prefeitura para resolver uma questão da Secretaria da Educação, do Leve Leite na época, ela… acompanhada dos seis filhos…

Só que ela foi na Subprefeitura, sendo que ela deveria ter ido na Coordenadoria da Educação da Região dela… ela não só queria que resolvêssemos o problema dela (não importa que não seja o nosso serviço, porque ela paga o nosso salário!) e como não era lá ela queria que a gente desse dinheiro (do nosso bolso) pra ela ir ao endereço certo e para voltar para casa. Absurdo? Não… só mais um dia no escritório.

Então não existe um perfil econômico, social, político para essa galera! Beleza? Vamos deixar isso bem claro! A maioria das pessoas não sabe disso. E a maioria das pessoas com quem temos que lidar, são pessoas normais, pessoas legais. Mas, sério, de verdade… uma em cada três pessoas tratam os funcionários públicos desta forma, com desprezo, com desdém, com aquela sensação de superioridade!

E nisso eu incluo várias pessoas, não necessariamente aquele servidor público concursado. Coloca aí também os motoristas de ônibus, o pessoal que trabalha nos hospitais do SUS, pessoal do metrô. São as mesmas pessoas que quando vão numa padaria, numa farmácia e fala “você me trate bem porque o cliente tem sempre razão”.

Minha opinião particular sobre essas pessoas? São pessoas que precisam se sentirem superiores às outras. Pessoas que tem graves problemas de auto-estima. Porque a pessoa que precisa ficar se auto destacando assim… eu sou isso, eu sou aquilo, eu sou melhor que você… realmente no fundo, no fundo tem a sua auto-estima lá embaixo… na ponta do pé! Então ela precisa se auto-afirmar, se auto-exaltar para se sentir melhor consigo mesmo. Para se sentir superior, para se sentir legal.

Como servidora pública eu fiquei indignada com o que aconteceu? Claro! Fiquei indignada como ser humano também porque era para evitar que uma doença se espalhasse. Não fiquei nem um pouco surpresa, porque como eu disse já perdi as contas das vezes que aconteceu comigo. E é por isso que o mundo está do jeito que está galera.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Blogue: Como andam as postagens do blogue Shao?

Typewriter 1

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Aqui estamos no nosso trigésimo quarto dia de quarentena… ontem eu tirei o dia para fazer nada e não escrevi nada aqui para o blogue, mas sem problemas porque tiraremos o atraso hoje. Pelo menos eu acho que vou conseguir escrever o suficiente para pelo menos manter estável o número de texto escritos, revisados e previamente agendados…

Deixa eu avisar, antes de começar que o texto de hoje é bem longo e descritivo e que talvez ele só interesse a outros blogueiros ou a pessoas que tenham interesse de manter um blogue beleza? Se esta não é a sua praia vc pode pular. Agora se vc curte, e se vc gosta de saber de bastidores, como um escritor (amador na verdade) como eu trabalha… pegue sua pipoca e fique à vontade.

No texto de hoje vamos falar exatamente sobre o blogue porque faz tempo que a gente não conversa sobre como estão as coisas por aqui… a produção textual e tal… Então, como vão as coisas Shao? Estão indo  até que razoavelmente bem. No começo do ano quando eu aumentei o número de postagens diárias em alguns dias da semana, e depois de algumas semanas achei que ia ser bem complicado ter uma produção textual semanal que fosse suficiente para ter textos todos os dias (em alguns dias mais de um, ou mais de dois) pelo ano afora.

Tanto que realmente no primeiro mês eu não consegui escrever tanto quanto eu precisaria para não cair a quantidade de textos pré agendados aqui para o blogue. E o que aconteceu foi que a quantidade de textos prontos para serem publicados que eu tinha caiu bastante. Antes quando eu publicava apenas um texto por dia, eu tinha feito um cálculo meio maluco na minha cabeça e pensei… bom, se eu tiver entre 90 e 120 textos prontos, eu posso escrever com calma e vou ter uma folga, posso escrever apenas uma ou duas vezes por semana para o blogue e tava de boas.

Entretanto… isso funcionava com um texto por dia porque 120 textos era o equivalente a quatro meses de textos prontos. Agora não funciona mais assim. E eu tinha que escrever apenas sete textos por semana para manter este número em 120 textos escritos e pré-agendados. Eu tirava dois, ou três dias e pronto… eu conseguia escrever sete textos por semana. Isto mudou um pouco quando eu comecei a postar três textos nas sextas-feiras. Então minha produção semanal precisava ser de 9 textos por semana. Não alterou muita coisa… eram dois textos a mais, três dias na semana ainda davam conta disso.

Entretanto do começo do ano para cá eu aumentei o número de textos diários de segunda (2), quinta (2) e sábado (2). Então em janeiro eu comecei a precisar escrever pelo menos 12 textos por semana, para apenas manter a quantidade de textos prontos para serem publicados aqui no blogue. E agora em julho, eu aumentei também o número de textos das terças (2). Apenas às quartas e aos domingos que temos apenas um texto no blogue, nos demais dias temos dois ou três (e ano que vem eu quero aumentar isso aí também, assim todos os dias teremos mais de um texto okay?).

Então, atualmente esta que vos escreve precisa necessariamente escrever 13 textos por semana só para manter um número decente de textos prontos. Senão fica correria. E acontece que agora eu tive que mudar toda a logística de criação e agendamento aqui do blogue. E eu sou péssima com números, vcs sabem. Antes 120 textos equivaliam a 120 dias de postagens. Hoje, para eu ter 120 dias de postagens pre-agendadas garantidas eu preciso ter entre 200 e 210 textos prontos (escritos, revisados e devidamente agendados para publicação no WordPress). E é nesta parte que eu tô tropeçando tem mais ou menos dois meses. Deixa eu explicar porquê!

Três dias por semana não é tão corrido, se eu escrever pelo entre quatro e cinco textos por dia. Mas, acontece que no começo do ano eu também tive um monte de outras coisas para fazer e acabou que não tive tempo, nem ânimo, nem ideias para escrever tanto e o número de textos que eu tinha pré agendados caiu de 120 dias para 50 dias. Não ficamos nenhum dia sem texto… porque eu já tinha quatro meses reservados. Então a quantidade de textos segurou bem o tranco. Daí o que acontece? Em pleno mês de março? A quarentena na cidade de São Paulo onde eu moro!

Nos primeiros dez dias em casa eu fiquei andando que nem barata tonta, tentando descobrir o que ia acontecer, o que a lei tava dizendo, como é que ia funcionar a questão do teletrabalho, se eu ia poder ficar em casa em esquema de teletrabalho… Depois que foi tudo decidido, aí sim eu pude determinar minha agenda, meu dia a dia. Que horas eu ia acordar, até que horas eu ia trabalhar, a partir de qual horas eu ia estar livre para fazer o que eu bem entendesse e então eu tracei o meu planejamento. Hora para fazer atividade física, para comer, para escrever, para me distrair um pouquinho. E só então que as coisas começaram a melhorar

E foi só aí que eu consegui começar a escrever para valer para tentar colocar os textos em dia. Porque estava tudo muito atrasado. Faz trinta dias que eu estou nesta rotina e agora que eu finalmente consegui uma pequena folga. Como está a situação do blogue no momento tia Shao? Quanto vc já escreveu, quanto falta escrever… Vamos lá, no momento eu tenho 229 textos na minha pasta de rascunhos… destes 140 textos prontos (escritos, revisados e agendados), isto dá exatamente 82 dias de textos. Os outros 89 textos são apenas ideias e rascunhos e é neles que eu tenho trabalhado essa semana.

Eu já consegui deixar o planejamento com a folga que eu queria? Não… eu quero chegar a ter prontos 210 textos que vão ser o equivalente a 120 dias de textos prontos. Quando eu vou conseguir este feito? Não sei hahahahaha… Eu espero conseguir isto antes do final da quarentena. Eu quero ver se até o final desta semana eu consigo chegar aos 85 ou 90 dias de textos prontos. Mas para eu conseguir isto eu tenho que no decorrer desta semana escrever entre 25 e 45 textos (sim, só esta semana hahahahaha) e é texto para caramba. Dá entre seis e sete textos por dia.

E eu tenho que manter este ritmo por pelo menos mais um mês para conseguir alcançar o número de 120 dias de textos agendados. Eu acredito que eu não tenha mais um mês de quarentena pela frente, o que me daria mais tempo para escrever, porque já que a gente não pode sair de casa a gente trabalha em outras coisas né? E o que me diverte é escrever. Se tivermos pelo menos mais um mês de quarentena, se eu conseguir manter o ritmo de trabalho de produção textual, pode ser que eu consiga hahahahaha mas eu não prometo, prometo apenas fazer o meu melhor. A única coisa no momento que eu posso garantir é que eu consigo escrever o bastante para termos textos todos os dias aqui no blogue.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Desenhos Antigos – Candy Candy

Candy Candy

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Bora pro segundo texto de hoje e bora de desenho animado novamente porque escrevendo o texto anterior eu também me lembrei de outro anime que eu costumava a assistir e achei que seria uma boa ideia escrever sobre ele aqui também. E o segundo desenho animado que vamos falara aqui é “Candy Candy” pelo menos foi assim que ele foi chamado aqui no Brasil quando estreou na década de 80 na televisão brasileira.

Eu não tenho certeza mas eu acho que era a Rede Record que o exibia. E a animação é baseado num mangá que já existia. O mangá é de 1975 e a animação se eu não me engano de 1976. Então eu assistia ela mais ou menos na mesma época que eu assistia o desenho do texto anterior. Infelizmente para os fãs brasileiros a Recordo não comprou todos os episódios do anime… apenas alguns, e eu me lembro que ele repetia vários episódios várias vezes e por mais que a gente quisesse saber o final da história da personagem principal a gente ficava só na vontade porque eles não tinha comprado todos os episódios.

A série animada tem exatamente 115 episódios e três filmes. Fez bastante sucesso na época aqui no Brasil e em Portugal. Eu me lembro que tinha bastante produtos lançados com a cara da personagem, se eu não me engano minha mãe até conseguiu comprar para mim um caderno (ou uma agenda – não tenho certeza) e uma lápis e eu amava. Anyway… para quem se lembra e para quem não se lembra também vamos falar um pouco da história do anime.

Candy é uma garota órfã, criada no Lar da Pony. E apesar de ser órfã ela é uma criança bem feliz e ela tem sua melhor amiga Annie que é exatamente o oposto dela. As duas foram deixadas na porta do orfanato no mesmo dia e são como irmãs. Mas como não pode deixar de ser em desenhos dramáticos como este Annie acaba sendo adotada e separada de sua melhor amiga Candy. E pela primeira vez na vida Candy sabe o que é tristeza.

Com o passar do tempo Candy acaba se apaixonando por um rapaz que ela conhece numa colina próxima ao orfanato e sem saber ao certo o nome dele ela o chama de “Príncipe da Colina” entretanto Candy nunca mais o encontra e pouco tempo depois ela vai trabalhar como dama de companhia para uma das famílias ricas da região e então sua vida que já não era lá muito fácil, vira um inferno. Até que num belo dia, um dos sobrinhos da mulher para quem ela trabalha retorna para casa, um rapaz chamado Anthony e Candy se apaixona por ele e ele por ela.

Mas como nada pode ser bom na vida… Enciumada da relação de Antonhy e Candy a prima dele Elisa arma para Candy e ela é mandada embora, para outra propriedade da família no México. Entretanto Andrew, tio de Antonhy, Archie e Stear a resgata e a adota. Aí vc pensa, ahhhh agora sim as coisas se ajeitaram. Não… Anthony sofre um acidente e morre… só tem desgraça na vida dessa menina. Abalada com a morte do seu amado ela volta ao orfanato para passar umas férias lá e se lembrar de tempos em que era feliz. E então resolvida a retomar sua vida ela vai com Archie e Stear para um colégio na Inglaterra terminar seus estudos. E lá era reencontra sua querida amiga Annie.

Candy então no colégio conhece e se apaixona por outro rapaz, o rebelde Terry. Mas novamente a capivara da Elisa, que também estuda no local, causa a expulsão de Terry do colégio e ele volta para os EUA. Candy resolve abandonar tudo e ir atrás dele… na viagem acontece um monte de coisas claro… e ela acaba indo parar de volta no orfanato e enquanto ajuda no orfanato ela descobre que quer terminar seus estudos e ser enfermeira para ajudar as pessoas. Então ela faz as malas e vai para a escola de Enfermagem… bem nesse momento o que acontece? Estoura a Primeira Guerra Mundial… Annie, Stear e Archie retornam para os EUA…

E eu não vou contar mais o que acontece porque é coisa para caramba hahahaha, mas basta vcs saberem que ela se ferra a vida toda, mas ela acaba tendo um final feliz e inesperado hahahahaha. Para vcs terem uma ideia de como ela se ferra na vida em Portugal depois de um tempo o desenho foi proibido porque eles acharam que ele relatava muita angústia mental, que ele tinha “excessiva violência psicológica” e simplesmente pararam de exibir o desenho. Antigamente eu pensava… ahhhh vá… mas olha, agora que eu já sou adulta é verdade. Só desgraça na vida da menina. Mas se tem uma mensagem que o anime passa é essa… perseverança, não importa quantas pancadas a vida te dê, se vc buscar lá dentro vai encontrar as forças para se reerguer e ser feliz novamente. Eu vou deixar a abertura do desenho aqui embaixo pra vcs.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Desenhos Antigos: Marco, dos Apeninos Até os Andes

Marco, dos Apeninos Até os Andes

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Tirei um dia de folga aqui no blogue, meu 33 dia de quarentena eu passei lavando roupa, escondida debaixo das cobertas, porque estava frio pra caramba, e lendo um livro… ahhh e vendo também uma série nova que em breve trarei aqui para vcs em breve. Hoje, é o nosso dia favorito da semana né gente, porque amamos falar de desenho animado, desenho animado velho né? Bem velho mesmo galera. Hoje vamos falar de “Marco, dos Apeninos Até os Andes”.

Um anime de 1976, sim, do mesmo ano que a tia Shao nasceu, então este filme é tão velho quanto eu… que teve uma temporada e 52 episódios. Fez sucesso para caramba aqui no Brasil, também em Portugal. Tanto sucesso que teve posteriormente dois filmes animados, um em 1980 e um em 1999.  É um desenho animado emocionante, é um drama em formato de desenho animado com várias lições de moral no fundo. Para quem não conheceu este desenho animado, ou para quem não se lembra a história do desenho era mais ou menos assim: Marco é um rapaz que vive na Itália, com seu pai Pedro (um médico que atende a população pobre) e sua mãe Ana. Mas como eles estão passando muitas dificuldades a mãe dele vai embora para a Argentina para trabalhar como empregada doméstica para poder ajudar a família.

Depois de algum tempo as cartas da mãe param de chegar, mas uma notícia chega dizendo que ela estava doente. Marco preocupado com a mãe Marco sai de casa rumo à Argentina para encontrar a mãe, enquanto seu pai e seu irmão Paulo ficam na Itália. Marco e seu macaco de estimação Dominó embarcam num navio para o Brasil e do Brasil ele parte para Buenos Aires. E é aí que começa a saga de Marco em busca da mãe por toda a Argentina. E sempre alguma coisa acontece para atrapalhar o rapaz a chegar na cidade de Tucuman onde a mãe está doente.

Eu me lembro que todos os dias eu assistia ao desenho animado, eu não lembro em qual canal, porque era um dos meus desenhos favoritos e, porque eu queria saber se ele ia ou não encontrar a mãe dele. E mais, se ele a encontraria a tempo porque era capaz da mulher morrer antes. E eu ainda me lembro que em alguns episódios mostrava o Marco na sofrência, tentando driblar as adversidades e a mãe dele lá na cama, sofrendo, doente, à beira da morte… dava uma agonia mano!

Analisando hoje o enredo do desenho, não faz muito sentido não é mesmo, porque o diacho do pai do Marco era médico e casado com a mulher peloamordedeus! Ele que tinha que passar a mão nele e ir para a Argentina e garantir que a esposa fosse bem cuidada. Ahhh Shao, mas ele não poderia largar os pacientes… Ahhh não… sério? Eu acho que esse cara não gostava muito da mulher dele não hahahahaha. Me diz aí vcs se lembram desse desenho animado? Vcs assistiram também quando crianças?

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Gabiru e a Marchinha

causosdefamilia

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Ainda no dia 32 da quarentena… e fiz as contas aqui em casa com meu calendário em punho, se a quarentena aqui em São Paulo não for cancelada (pressão popular, política, blablablá) nem prorrogada vou ficar mais de 50 dias em casa. É legal? Não! Não é legal, eu queria poder ir para o trabalho. Mas não tem muita coisa que eu possa fazer no momento. Então o que eu faço? Eu escrevo aqui para o blogue, leio meus livros e peço que Deus ajude a todos nós neste futuro incerto.

Claro que quando vcs estiverem lendo este texto, estaremos em julho… e eu sinceramente espero que isto tudo tenha terminado até então. Claro que existem previsões de que as coisas não vão voltar ao normal até outubro, outras falando do ano que vem, mas, whatever. Nem era disso que eu queria falar no texto de hoje de qualquer forma. Há umas postagens eu contei para vcs alguns dos meus apelidos e eu prometi tirar um tempinho para contar para vcs o significado de alguns deles. Entretanto nem todos eles tem uma história interessante. Alguns deles tem.

E hoje eu vou contar para vcs a história de um deles, Gabi, que é como a maioria da minha família e alguns amigos mais chegados e mais antigos me chamam. Como eu disse na outra postagem maioria da família na época me chamava de Celi, mas quando meus irmãos nasceram (eu tinha uns treze anos na época) meu apelido mudou, assim de repente. Eu sempre fui uma criança quieta, quando eu estava sozinha, eu gostava de ficar sentada na minha e minha mãe sempre falava, sai de casa, vai tomar um sol, mas eu preferia ficar em casa lendo, ou escrevendo, ou montando um quebra-cabeças…

Então, um dia, um pouco antes do meu irmão do meio nascer, era Carnaval e minha mãe estava relembrando marchinhas de Carnaval… e cantando uma e outra. E eu confesso para vcs que nunca curti Samba, Pagode, Carnaval… até hoje a única coisa que eu gosto no Carnaval é o fato dele ser feriado e eu poder ficar em casa e descansar. Chegou uma hora que eu fiquei de saco cheio de ouvir ela cantando aquele monte de marchinha e eu acho que eu disse… ai credo mãe, chega, que música chata, feia, sem sentido, coloca outra coisa pra tocar aí.

Daí bem na hora estava tocando aquela A.E.I.O.U do Lamartine Babo (procurem aí no YouTube, eu não vou postar aqui porque eu detesto essa marchinha hahahahaha). Mas, a letra no coro fala assim: A.E.I.O.U Dabliú, dabliú. Só que vcs sabem como é né? Muitas letras de músicas são cantadas erradas, e a galera da época da minha mãe cantava: A.E.I.O.U gabiru, gabiru. Como eu detestava a música. Daquele dia em diante minha mãe, começou a me chamar de gabiru.

Caso vcs não saibam o que é um gabiru… Gabiru é uma espécie de rato zoiudo do mato, que nunca sai da toca… Bem minha cara né? Porque eu não gostava de sair da toca. Entretanto eu detestei este apelido. Porque eu detestava a marchinha e, porque eu sabia que gabiru era um rato e eu detesto ratos. E vcs sabem como é né gente? Quanto mais a gente detesta o apelido mais ele pega. Diacho do apelido pegou…

Quando um tempo depois (não sei exatamente quanto tempo) meus irmãos nasceram, cresceram um pouquinho e quando eles começaram a falar eles não conseguiam falar gabiru, então eles começaram a falar gabiu e depois Gabi e foi assim que o apelido Gabi nasceu (que é o que as pessoas mais me chamam atualmente). Não é uma história engraçada nem nada… apenas curiosa hahahaha espero que vcs tenham curtido. Me diz aí vc tem também um apelido estranha?

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Material Escolar

causosdefamilia

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Encarando aqui o trigésimo segundo dia de quarentena e/ou isolamento social. Caraca eu acho que a última vez que eu fiquei tantos dias em casa foi em 2008, quando eu tirei as minhas primeiras férias depois de me tornar chefe e emendei com uns feriados, eu lembro que eu fiquei quase 40 dias em casa… estamos caminhando para batermos este recorde porque acabei de assistir aqui à entrevista do Governador prorrogando a quarentena para 10/05 (eu estou escrevendo este texto em abril galera, mas eu comecei a escrever este texto em janeiro, vcs vão lê-lo apenas em julho). Eu tô cansada de ficar em casa, eu quero voltar a trabalhar… mas ao mesmo tempo eu tô com medo de ficar doente com esse coronga salafrário.

Mas como sempre nem era disso que eu queria falar no texto de hoje. Então deixa eu voltar para o tema do texto e contar para vcs uma história que eu tinha pensado em falar lá em janeiro. Então… em janeiro eu fui com o meu irmão no Shopping, fazer sei lá o quê… a gente tinha acho umas contas para pagar e uns cacarecos para comprar e assim do nada resolvi dar uma passada na Kalunga, pra comprar outros cacarecos que precisávamos. E era janeiro… férias de verão, prestes a começar as aulas, o diacho da loja estava lotada.

Tanto que a gente até desistiu de comprar o que precisávamos porque tava uma fila gigantesca nos caixas para pagar. Mas, nos breves momentos que estávamos lá dentro, me lembrei que quando meus irmãos estavam em idade escolar tínhamos que enfrentar aquela fila toda com aquele monte de pai, mãe e crianças correndo para lá e para cá para comprar os materiais deles. E era uma experiência, que só quem viveu sabe como é divertido e ao mesmo tempo como é um inferno ter que passar por aquilo.

É um inferno porque tudo é caro (eu lembro que minha mãe deixava uma grana violenta todo começo de ano letivo lá na loja), tem filas para todos os lados (então tudo demora então ficávamos horas dentro da loja), e tem um monte de criança correndo, pedindo e chorando (aquele barulho infernal). Mas era bacana porque era legal ver a alegria das crianças ganhando a canetinha ou o lápis de cor do herói favorito e animados em ir para a escola e poder escrever no caderno novo.

Quando eu era criança eu estudava em escola pública, então o meu material escolar era fornecido pelo governo (que gastava nossa grana dos impostos de qualquer forma). Minha mãe só comprava o material para encapar os cadernos e os livros… mas apesar de não poder escolher a capa do caderno, nem nada eu sempre ficava animada em começar o ano letivo com meu material escolar novinho. Então eu me divertia por tabela, ajudando meus irmãos a escolherem os cadernos e todas as coisinhas e eu me divertia vendo eles se divertirem. E deste pedaço eu tenho saudades.

Mas, sinceramente eu não tenho saudades da parte ruim hahahaha, é bem melhor não ter que pegar aquela fila, poder ir à papelaria ou no Kalunga mesmo em qualquer época do ano e comprar o que a gente quer ou o que a gente precisa (que aliás é um programa que eu adoro – eu já contei a vc que eu sou viciada em comprar e tenho uma coleção imensa de canetas? – não né? Qualquer dia conto pra vcs!).

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Correndo de Olhos Fechados

causosdefamilia

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Ainda trigésimo primeiro dia de quarentena, eu tô com sono, eu queria ir dormir, mas… eu acabei de jantar, e também estou esperando dar a hora de tomar meus remédios noturnos. Noite passada eu passei mal pra caramba com hipoglicemia, não quero um repeteco da noite anterior hoje à noite, então resolvi jantar mais tarde. Mas amanhã eu tenho que acordar mais cedo porque eu tenho consulta… de manhã… em plena quarentena… sim… isso mesmo.

Anyway, como sempre não era disso que eu queria falar neste texto de hoje. Eu tô em casa com muito tempo livre então eu fico aqui pensando e me lembrando das coisas. E é engraçado, uma vez… há muitos anos eu li uma frase que falava que quando a gente fica mais velho a gente fica mais reticente, menos corajoso. Eu acredito que a gente pense mais nas coisas, e se a gente pensa demais nas coisas a gente acaba por fazer menos. E depois dos trinta e poucos anos a gente começa a pensar mais e executar menos.

Os jovens fazem coisas impulsivas, eu me lembro que eu adorava andar de bicicleta e tinha uma ladeira do lado da minha casa, e eu perdi a conta das vezes que eu desci aquela ladeira com a minha bicicleta, desembestadamente sem nem tocar no freio… freando quase no fim da ladeira, muitas vezes tendo que dar aquela derrapada de quase 180.º pra parar a bicicleta e não cair no córrego que ficava no fim da ladeira hahahaha.

Sim, eu era meio doida hahahaha. Mas fica pior, de vez em quando eu fazia isso de olhos fechados. Eu tenho um primo que ele corria de olhos fechados, ela adorava sair correndo, de braços abertos e de olhos fechados. Até que um dia ele deu com a cara no poste, ficou com um galo do tamanho de uma ameixa no meio da testa então nunca mais ele fez isso. E a vida é meio assim não é? A gente para de se arriscar quando a gente quebra a cara. Eu só parei de descer a ladeira a toda a velocidade e de olhos fechado também porque eu tomei um capote… tomei um tombo federal, capotei com a bike… foi… inesquecível.

A velhice nos deixa mais sábios verdade… mas nos deixa menos audaciosos também. Ai tia Shao, como se vc fosse A VELHA né? Vc fala como se vc tivesse uns 80 anos. Olha, eu sei que eu tenho apenas 43  anos (quase 44, vcs vão ler este texto bem no mês que completarei os 44) e sei que talvez eu ainda tenha pelo menos mais 40 e poucos de vida pela frente (se a minha genética for parecida com a da minhas avós eu devo viver até uns 86 anos… ou por aí). Mas, como eu disse para a minha analista outro dia, numa consulta… tem dias que eu acordo e sinto como se eu tivesse 80 anos e hoje é um deles.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Teletrabalho: O que é?

teletrabalho

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… O blogue teve um aumento gigante de novos cliques, novos acessos. Bem vindos vcs que chegaram aqui agora. Aqui, neste canto do universo continuamos aqui em nosso dia 31 da quarentena (lembrando a vcs que eu escrevi este texto já tem um tempão – quando vcs estiverem efetivamente lendo este texto provavelmente vou estar no centésimo qualquer coisa dia de quarentena) e eu acordei meio gripada… terceira vez nesses dias de isolamento que eu fico meio resfriada, Mas não estou preocupada, a primeira vez fiquei, achando que era o coronga.

Mas acho que é só minha sinusite atacando porque o clima está ficando mais frio e é normal nesta época do ano eu ficar meio resfriada, por isso que eu sempre tomo a vacina da gripe, vou ver se eu tomo a vacina amanhã mesmo.

Como vcs sabem eu tô em teletrabalho em casa, mas uma galera fica me perguntando, que diabos é teletrabalho tia Shao? Antes deste bagulho de coronga não tinha esse negócio de teletrabalho… Bom na verdade o teletrabalho já existia, mas ele ainda não era amplamente difundido e não é a forma de trabalho adotada pela maior parte das empresas. No ordenamento jurídico brasileiro ele foi “oficializado” com a nova reforma trabalhista em  2017.

O Teletrabalho basicamente é quando o empregador abre mão da presença física do funcionário na empresa. E então tanto o funcionário quanto a empresa se beneficiam desta modalidade de trabalho, mantém-se o vínculo empregatício. O funcionário fica em casa, num ambiente em tese mais confortável e pode ter um rendimento melhor. Assim sendo senhores o teletrabalho basicamente é a prestação de serviço à distância, através de uma tecnologia qualquer, eliminando a necessidade de o funcionário estar fisicamente presente na empresa.

E tem diferença tia Shao? Legalmente falando entre ir todos os dias para a empresa e trabalhar de casa? De acordo com a lei não… Isto está no Artigo 6.º da CLT. Desde que seja tudo de comum acordo entre as duas partes, perante a lei o vínculo empregatício é exatamente o mesmo. Para a empresa tem também as vantagens de redução de gastos com Vale Transporte, Vale Alimentação, com internet, mobiliário, uniforme e afins para o ambiente de trabalho.

Então… é nessas que eu estou agora hahahaha. Eu acabei de completar 31 dias em casa, e tudo ainda é muito novo. Eu consegui, estabelecer uma rotina, um horário de trabalho, sem distrações e tal, com paradas para descanso, lanche e almoço. Mas, sinceramente não sei quanto vão deduzir do meu salário… certamente eu vou receber menos do que quando eu tinha que ir todos os dias para a Prefeitura, mas é um preço pequeno a se pagar pela saúde né?

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Diabetes #62 – Diabetes e Queda de Cabelo

diabetes

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Fala galera bora falar de diabetes novamente hoje. De novo Shao? Sim, de novo… enquanto tiver assunto (e sempre tem) vou postar textos aqui para você. E hoje vamos falar de uma coisa que aconteceu comigo pessoalmente que é como o diabetes pode causar uma acentuada queda de cabelos.

Então tia Shao o diabetes causa queda de cabelos? Sim… como venho falando nos nossos últimos três textos sobre o diabetes, a doença causa problemas de circulação e os problemas de circulação afetam diversos órgãos. E a pele é um deles, o couro cabeludo faz parte da nossa pele também. Porque é que o diabetes fora de controle pode gerar uma acentuada queda de cabelo e até mesmo deixar a pessoa careca?

Por causa da circulação mesmo. Se vc não mantiver os níveis de açúcar sob controle no seu corpo tudo o que seu sangue vai transportar para o seu organismo é açúcar e gás-carbônico. Então os nossos folículos capilares vão ficar prejudicados porque eles não vão receber todos os nutrientes necessários para que a gente tenha um cabelo saudável. E o cabelo começa a cair… mas assim, cair de montão! Em tufos!

Aliás, acontece a mesma coisa com nossas unhas… quando o diabetes tá descontrolado, muito açúcar no sangue… os nutrientes não chegam para os cabelos e também para as unhas… elas começam a ficar quebradiças e fracas, começam, a crescer mais devagar. E nos primeiros anos após meu diagnóstico de diabetes (isto foi em 2008, uau… doze anos já… completados neste último janeiro) eu ainda estava aprendendo a lidar com a doença. Tive problemas de queda de cabelo e de unhas bem quebradiças e que não cresciam.

E o que a gente precisa fazer para resolver este problema… primeiramente controlar o diabetes, deixar os níveis de açúcar sob controle este é o primeiro e mais importante passo. Segundo, vc tem que procurar um endocrinologista e um dermatologista, ambos vão pedir alguns exames, vão te dar orientações importantes para te ajudar no controle da glicemia e então dependendo do resultado dos seus exames eles podem receitar algumas vitaminas para as unhas e para os cabelos, e que também vão te ajudar pra caramba com a imunidade, porque o diabetes também faz com que de vez em quando a imunidade vá parar no chão de tão baixa.

No meu caso o diabetes estava relativamente sobre controle. Eu ainda não tinha começado a tomar insulina e não sei que doideira aconteceu no meu organismo, que mesmo eu tentando comer direito (e confesso que não estava sendo bem sucedida nesta empreitada) meu organismo não estava absorvendo direito as vitaminas dos alimentos. Claro, que a qualidade dos alimentos não era lá essas coisas, eu comia proteína, carboidratos, mas eu comia pouca salada, poucos legumes e verduras…

Então fui à Endocrinologista e ela me passou uma lista com os alimentos mais indicados para eu ingerir mais vitaminas. Infelizmente ela não fez um cardápio adequado para mim, com as quantidades e com horários que eu tinha que comer nem nada disso. Ela só pegou uma lista lá e disse… isso aqui vc pode comer, isso aqui vc tem que evitar… as lições básicas de nutrição que era… tamanhos das porções, horários e não misturar carboidratos… ela não falou. Então… além de ir na Endócrino tratar o diabetes, é bacana vc procurar um Nutricionista ou um Nutrólogo que ele vai ajudar muito mais na questão da alimentação… que é afinal de contas a parte mais importante do tratamento do diabetes.

E fui também a uma dermatologista que me passou uma série de vitaminas extra para eu tomar para repor esta perda vitamínica, e uma loção para passar no couro cabeludo. E então meu cabelo parou de cair, e até começou a crescer novamente e minhas unhas pararam de cair e de quebrar. Então, se vc tem diabetes e tá lidando com este problema de queda de cabelos e unhas quebradiças siga esta dica e dê um up na cabeleira.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Nerdices: Filme – O Homem Invisível

ohomeminvisivel

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Terceiro e último filme desta sexta aqui para vcs… É outro filme baseado na obra de H.G. Wells, só que mais recente. Eu queria ter ido ver este filme nos cinemas mas… fecharam os cinemas por conta do coronga antes de eu poder ir ao cinema, então eu tive que esperar o danado cair nas internets da vida para eu poder assistir. Mas, assim como o “Homem Sem Sombra” de 20 anos atrás este filme também se distancia do original do livro e traz a história para os nossos tempos, utilizando tecnologias atuais.

O filme em vez de apostar em vários nomes conhecidos traz apenas a protagonista Cecília interpretada por um rosto conhecido (e talentoso) a atriz Elisabeth Moss, mais conhecida por estrelar a famosa série da Hulu “Os Contos da Aia” (“The Handsmaid Tales”). Nesta versão da história Cecília é casada com um cientista riquíssimo e poderosíssimo chamado Adrian (interpretado pelo bonitão Oliver Jackson-Cohen), mas ela vive num relacionamento abusivo com o cara, que a trata como se ela fosse propriedade sua. Até que um dia, Cecília resolve criar coragem e foge de casa, com a ajuda de sua irmã.

Cecília se esconde na casa do policial e amigo de sua irmã James, e começa a tentar reconstruir sua vida e sua e principalmente a sua auto estima quando de repente ela recebe uma mensagem do irmão de seu ex-marido dizendo que Adrian cometeu suicídio depois que ela o abandonou e que ele deixou para ela uma fortuna.

Entretanto mesmo depois de afirmarem para ela que Adrian está morto, Cecília começa a achar que ele ainda está vivo e pior, que ele encontrou uma forma de ficar invisível e que a está perseguindo e que pretende acabar com a sua vida e com a sua sanidade. As pessoas em quem ela confia, sua irmã Emily e o policial James começam a achar que o tempo que ela passou como refém de Adrian tenham abalado psicologicamente a mulher, mas ela jura que não então ela começa a tentar provar para eles que o que ela está dizendo é verdade… e que ela não está ficando louca. Mas é então que as coisas começam a ficarem complicadas…

Entretanto eu não vou dizer mais nada do que acontece daqui para frente porque eu não quero dar spoiler, o filme ainda é muito recente e certeza que pouca gente conseguiu ver o filme nos cinemas por causa da quarentena! Mas, já vou avisando que… eu que curtia a versão de 2000 curti muito mais esta de 2020.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Nerdices: Filme – Almost Home

almosthome

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Continuamos aqui no nosso isolamento social, e nosso trigésimo sétimo dia de quarentena. Bem-vindos a mais uma sexta-feira crianças e vamos começar esta sexta-feira com mais um filme de drama! Ai Shao de novo? De novo… até eu enjoar beleza? HAHAHAHAHA. Eu tropecei neste filme navegando pelo conteúdo do PopCornTime. Eu li alguma coisinha sobre ele e resolvi assistir.

Apesar de não ser um filme tão recente, é de 2018, aparentemente ele não foi lançado no Brasil, portanto o nome apenas em inglês “Almost Home” (que em livre tradução seria “Quase em Casa”). É um filme de drama como eu já disse e que trata de um assunto muito sério e muitas vezes esquecido, muitas vezes nem sequer abordado em nenhuma mídia, em nenhum meio de comunicação nem nada. Ele é baseado no romance homônimo da escritora Jéssica Blank que também é roteirista e produtora do filme junto ao marido o também ator e dramaturgo Erik Jensen. E estrelado pelas jovens atrizes Rachel Zimmermann e Hannah Marks, que mandam muito bem nos seus papéis, palmas para elas.

Como o filme não foi oficialmente lançado aqui no Brasil ele não está em nenhum site de Streaming, pelo menos eu não encontrei em nenhum. Mas como é um filme recente, não é tão complicado de encontrá-lo online. E a história do filme é mais ou menos assim: Uma adolescente chamada Elly (interpretada por Rachel Zimmermann) que tem uma vida bastante complicada em casa e também sofre bullying na escola daquela galera mais popular… um dia por acaso tromba com Tracy (interpretada por Hannah Marks) uma garota durona que mora na rua, na frente da sua escola. Elly estava tomando uma surra da galera do bullying quando Tracy aparece e a salva.

Igual a um bichinho perdido e faminto que alguém deu um pedaço de pão Elly resolve seguir Tracy. A princípio Tracy resolve deixar a menina a seguir pensando que ela pode tirar alguma vantagem dela. Elas vão até à casa da menina, onde ela mora com o pai, a madrasta e o filho da madrasta e depois de uma curta conversa com a garota assustada Tracy descobre que o filho da madrasta está abusando da menina, então Elly faz as malas e foge de casa, acompanhada de Tracy e vai começar a levar a mesma vida da garota, morando na rua, dormindo em becos e lugares abandonados e tentando conseguir algum dinheiro para comer, da forma que conseguirem. Assistam galera… é um filme sério que aborda temas sérios!

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Nerdices: Filme Antigo – O Homem Sem Sombra

ohomemsemsombra

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Sexta-feira chegou e como sempre em todas as sextas-feiras aqui no blogue nós tempos resenha de filmes para vcs meus queridões não é mesmo? Primeiro filme de hoje é um filme velho já, um filme de suspense baseado no romance clássico de H.G. Wells “O Homem Invisível” temos “O Homem Sem Sombra” (ou apenas “Hollow Man” no original em inglês) de 2000. Estrelando Elisabeth Shue e Kevin Bacon.

E para quem não assistiu ao filme a história dele é mais ou menos assim: O brilhante porém nada fácil cientista Sebastian Cane (interpretado por Kevin bacon) e sua equipe, finalmente, depois de muitos anos de estudo e muitos anos de testes conseguem desenvolver um soro que faz seres vivos ficarem invisíveis. Eles não explicam muito bem para quê eles querem um treco deste hahahaha fica em terceiro plano esta explicação mas fica claro que eles todos trabalham para o departamento de defesa dos EUA.

Eles fazem os testes em cobaias, deixam elas invisíveis e depois conseguem trazê-las de volta. Entretanto a última parte do projeto é testar o soro em humanos. Então o próprio Sebastian se oferece para ser a cobaia de testes para a injeção do soro. Sua ex namorada e parceira a Dra Linda McKay (interpretada pela Elisabeth Shue) tenta dissuadi-lo de experimentar o soro em si mas não consegue. Sebastian então faz i teste em si e consegue ficar invisível… entretanto… quando a Dra McKay e o Dr Kensington (interpretado por Josh Brolin) tentam desfazer o processo de invisibilidade algo dá errado e Sebastian permanece invisível.

Então eles começam a tentar os três juntos a tentar resolver o problema, entretanto, depois de ficar algum tempo invisível isto começa a afetar a personalidade já não muito legal de Sebastian e seus parceiros começam a acreditar que o isolamento e o fato dele permanecer invisível está também afetando a mente do cientista, tornando-o paranoico e perigoso. Agora em vez de apenas correr contra o tempo para trazer Sebastian de volta da invisibilidade, talvez seus companheiros tenham que lutar pelas próprias vidas!

É um filme bacana para caramba, levou a indicação de melhores efeitos especiais para o Oscar de 2001 mas não venceu. Se eu não me engano naquele ano Matrix venceu. Mas mesmo assim é um filme bem bacana e se vcs ainda não assistiram, assistam porque vale a pena.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Música: A-ha

a-ha

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Vamos falar de música hoje meus amigos? Faz quase um mês que não abordamos o tema, eu acho que o último músico que mencionei aqui no blogue foi o EMINEM… Bora então entrar no nosso Delorean e vamos viajar de volta para os anos 80 hoje e falar de uma das minhas bandas favoritas de quando eu era criança e adolescente.

Vamos falar do A-ha, uma banda norueguesa que apareceu para o mundo em 1982 (eu tinha seis anos hahahaha) mas que infelizmente ainda não tive a oportunidade de vê-los tocando ao vivo. Mas talvez… até o final deste ano eu consiga… porque eles tinham shows marcados aqui para o Brasil para setembro deste ano. Isto é, se o coronga vírus deixar né?

Formada em 1982 pelos amigos de infância Paul Waaktaar e Magne Furuholmen que mais adiante conheceram o vocalista Morten Hartek e formaram a banda. O nome da banda é simplesmente a expressão de surpresa quando vc descobre alguma coisa sabe? Ahá! É exatamente isso, não tem nenhum outro significado oculto e os membros da banda disseram que escolheram este nome porque era simples o significado e fácil de memorizar.

Eles saíram da Noruega e partiram para a Inglaterra, mais especificamente em Londres, foram rejeitados por várias gravadoras até que a Warner Bros Records acabou apostando neles e eles explodiram mundialmente com o primeiro álbum deles “Hunting High and Low” em 1985 que trouxe os sucessos “Take On Me” e a faixa título “Hunting High and Low”.

Em seguida vieram: O segundo álbum “Scondrel Days” (1986) – com mais dois hits “I’ve Been Losing You” e “Cry Wolf”. O terceiro álbum “Stay on These Roads” (1988) – que foi o álbum que trouxe quatro hits de sucesso para a banda. O quarto álbum “East of The Sun, West of the Moon” (1990) e meu álbum favorito da banda que emplacou mais três hits nas paradas. E o quinto álbum “Memorial Beach” (1993) – que não emplacou nenhum sucesso e é o álbum menos lembrado da banda até hoje e também o que menos vendeu (apenas 750 mil cópias).

Então a banda se separou pela primeira vez, os membros buscando inspiração para quem sabe talvez voltar às paradas de sucesso. Cada um deles trabalhando em projetos solo que não foram fracassos completos, mas que também não decolaram e que definitivamente não alcançaram o mesmo sucesso da banda com os três músicos juntos.

Então em 2000 eles se reuniram novamente e lançaram o sexto álbum da banda “Minor Earth Major Sky”, que foi melhor recebido que o anterior, vendendo 2 milhões de cópias, mas ainda assim não chegando nem perto do sucesso anterior e também sem emplacar nenhum hit nas paradas.

Dois anos depois eles voltaram com o sétimo álbum de estúdio deles chamado “Lifelines” (2002) que é um álbum que eu curto pra caramba e tem a música “Forever Not Yours” uma das minhas favoritas da banda. E o desempenho das vendas foi semelhante, mas inferior ao anterior (apenas um milhão e meio de cópias vendidas). Em 2005 veio o esquecível oitavo álbum “Analogue” e em 2009 o nono “Foot of The Mountain” um álbum no qual eu particularmente só curti uma música, a faixa título. E em 2010 a banda fez uma turnê de despedida, decretando o fim da banda.

Mas, não era o fim de verdade porque em 2015 eles lançaram “Cast in Steel” e fizeram um show no Rock in Rio e mais uma turnê mundial. Eles conseguiram trazer umas músicas bem bacanas para este álbum, quem é fã curtiu… delas eu destaco a canção “Under The Makeup”, mas de novo… não fez tanto sucesso assim.

Eu curto pra caramba esta banda e eles estão ameaçando um retorno agora em 2020, vamos ver o que vai rolar. Eu como vcs pode ver e ouvir, eu fui deixando as minhas músicas favoritas entre os parágrafos… espero que vcs tirem um tempinho para ouvir e curtir.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Séries: Freud

freud

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Continuamos aqui, batemos o nosso primeiro mês escondidos do vírus maledeto dentro de casa. E graças a Deus as coisas estão indo bem. Texto de hoje vai ser muito rapidinho, talvez mais curto do que o de costume aqui no blogue porque eu tenho mais um texto para escrever ainda hoje e tenho que ir dormir porque amanhã será um longo dia…

Então bora lá, vamos falar de série, que é um dos assuntos das quintas-feiras. E a série de hoje é uma estreia (não muito recente, mas relativamente recente da Netflix) que é “Freud” uma série que eu achei que ia ser uma coisa meio que biográfica falando da vida do médico considerado pai da psicanálise. Mas antes de falar da história da série, vamos aos dados técnicos dela… é uma série austríaco-alemã. Então originalmente falada em alemão. Que tem oito episódios, cada uma duração entre 45 e 55 minutos cada e uma temporada (por enquanto… não sei se ela vai ser renovada ou não para uma nova temporada).

E eu comecei a assistir à série realmente achando que seria uma série baseada na vida do médico, que teria uma pegada meio documentário e tal, mas eu estava completamente enganada hahahaha. A série retrata alguns fatos da vida dele, mas a série definitivamente não foca na vida real. Ela é mais uma série policial cheia de misticismos. E ela apresenta o jovem Freud como um médico ambicioso que enfrenta diversos acontecimentos inexplicáveis e tenta explicá-los através da ciência.

Talvez seja assim que todos os médicos da época tenham se sentido, tendo que enfrentar crendices e o mundo sobrenatural na sua perseverança de descobrir e entender o mundo que os cercava através da  razão, do pensamento racional e da ciência. Mas ela (a série) definitivamente não é focada na biografia dele, o que é uma pena porque era isto que eu estava esperando. Ela foca bem no sobrenatural mesmo… sério. A série mostra o mundo sobrenatural como se ele fosse uma realidade e Freud como um tolo por desconsiderar a existência do mundo espiritual e seres espirituais.

Entretanto a série não é ruim, ela é meio nojentinha, tem um monte de cenas bem escatológicas, sanguinárias, cenas de sexo e de violência extremamente gráficas… Então se vc tem o estômago fraco, não é uma série para vc ahahahaha. Mas, se vc não se incomoda, a série é interessante como série policial, que mostra Freud como um caçador de psicopatas.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Feliz Aniversário Mãe

Cartaz-Feliz-Aniversario_thumb.jpg

Feliz aniversário mãe… hoje vc estaria completando 66 anos. Toda a vez que eu paro para pensar quanto tempo faz que vc se foi eu me espanto. Porque para mim, parece sempre que foi ontem… Será que sempre vai parecer que foi ontem que vc se foi?

Diário de Bordo: Como vai vc?

cvv

Fala terráqueos como vão vcs? Cês tão legal? Espero que sim… Eu tô legal… Hoje é aquele dia do mês que eu sou obrigada a falar um pouquinho da minha vida para vcs aqui só para justificar o nome do blogue hahahaha. Afinal de contas este blogue começou apenas como um diário de bordo onde eu contava de vez em quando um pouquinho dos meus dias.

Eu sei que a maioria de vcs não curtem esses posts sobre minha vidinha sem graça, então eu não vou ficar chateada com vcs se vcs pularem o post de hoje e voltarem amanhã com a nossa programação normal. Hoje é uma quarta-feira excepcional porque hoje dia primeiro de julho é o dia que minha mãe se estivesse viva, estaria completando 66 anos. Então sempre é um dia que eu fico chateada.

Então eu vou falar de outras coisas hoje beleza? Vamos falar primeiro do que aconteceu comigo no último mês. Com todo esse negócio de COVID-19 sabe como é né? A gente não pode ficar com uma tossezinha um espirro que a gente já se pergunta, será que eu tô com o coronga? Bom, como meu irmão é policial o governo do estado resolveu testar toda a corporação e como a gente mora com ele… fomos convocados para sermos testados também. E aqui em casa, estamos todos coronga free graças a Deus. Isso me deixa contente porque me diz que eu tenho feito o isolamento direitinho. Outra coisa bacana foi que depois de 73 dias em casa eu saí um pouquinho.

Última semana de maio e as duas primeiras semanas de junho eu fiquei de férias, não pude ir para lugar nenhum hahahaha, mas pelo menos eu pude dormir até mais tarde, jogar meus videogames, terminar de ler dois livros e assistir uns filmes e séries. Ou seja, o que eu sempre faço em casa no meu tempo livre hahahaha. Quando completei 77 dias em casa eu saí um mais um pouquinho… eu fui até a praça aqui perto de casa fazer uma caminhada.

Eu estava sem fazer nenhuma atividade física porque eu machuquei as costas de novo… no mesmo lugar que eu tinha machucado da outra vez. E o meu personal me passou agora uns alongamentos e exercícios de fortalecimento para fazer, vamos ver se nas próximas semanas eu melhoro e consigo voltar a fazer os exercícios normais… pra parar de ficar em casa só engordando.

Como nada na vida é perfeito, esses dias também minha luminária de led que eu tinha comprado numa lojinha japonesa morreu hahahaha. O ruim é que eu usava ela para caramba… pra iluminar aqui meu desktop, para escrever, para minhas lives. E aí eu fui olhar os preços dessas luminárias e por causa da pandemia e da alta procura o preço tá lá nas alturas… o que foi que eu fiz então? Eu tinha uma fita de led aqui encostada, que eu tinha comprado pra outra coisa… então eu fiz uma gambiarra, colei ela na minha prateleira, conectei na minha caixa de som e pronto… até segunda ordem tô usando elas ahahahaha, vamos ver até quando não é mesmo?

Quando o mês de junho começou eu tinha certeza que até o final dele a quarentena teria acabado, então os números de mortes e contágios começaram a crescer… E agora estamos em julho já e ainda não temos previsão de quando esta quarentena vai acabar. Eu estava também com esperanças de voltar para o trabalho, mas o Decreto do Prefeito listou tantos requisitos que eu acho que vai demorar um pouco para retornarem os serviços na Prefeitura.

E mesmo que eles retornem, eu não tenho ideia de quando é que eu vou poder voltar ao trabalho porque o mesmo Decreto deixou bem claro que quem pertence ao grupo de risco como eu não vai ter autorização para sair do teletrabalho enquanto durar o Estado de Emergência e a quarentena em São Paulo.

PS. Atualização em cima da hora… Reabriram as Praças de Atendimento essa semana, dia 29/06 para ser mais específica, apenas alguns atendimentos, e apenas com agendamento e a galera “doente” como eu continua em casa aguardando próximas fases da reabertura, aparentemente a gente só deve voltar ao trabalho quando o “novo normal” estiver estabelecido.

Quais os planos para o mês que vem Shao? Sinceramente não sei… não tenho muitos planos, não sei o que vai acontecer nas próximas semanas, então não vou fazer plano nenhum para o mês que vem… vamos deixar as coisas acontecerem e então a gente vê.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Desenhos Antigos: A Pantera Cor-de-Rosa

panteracorderosa

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Aqui estamos nós finalmente completando exatos trinta dias de isolamento e distanciamento social e eu confesso para vcs que nos primeiros 15 dias até que estava de boas, porque eu estava bem cansada, mas agora eu tô cansada de ficar em casa hahahahaha. Mas eu não vou falar disso, neste texto. Até mesmo porque vcs já devem ter lido tudo sobre isso naquele post chato que eu só faço para justificar o título do blogue, que é o meu Diário de Bordo mensal.

Eu estou escrevendo este texto em abril mas vcs só vão lê-lo no final de junho… então bora porque hoje é aquele dia da semana que todos nós amamos, nosso dia favorito que é o dia que falamos de desenho animado e de desenho animado velho claro… e o escolhido dessa semana é “A Pantera Cor-de-rosa”. Vcs se lembram dele né? Aquele desenho mudo, que tinha a pantera cor de rosa aprontando todas e que ficava só aquela música tema tocando infinitamente.

Eu devo confessar que eu achava este desenho extremamente irritante, entretanto… quando meus primos e eu éramos crianças eu simplesmente não conseguia parar de assistir… era praticamente uma lavagem cerebral infantil hahahahaha. Eu vou colocar um vídeo do YouTube aqui embaixo para vcs com um dos meus episódios favoritos.

“A Pantera Cor-de-Rosa” (ou “The Pink Panther Show”, no original em inglês) é um desenho animado criado em 1969 pelos estúdios DePatie-Freleng Enterprises. E lá nos EUA ela foi exibida originalmente entre os anos de 1969 e 1980. O personagem foi originalmente criado para um filme e o sucesso do filme foi o que acabou gerando a criação do personagem e da série animada que no final das contas acabou fazendo mais sucesso que o filme. Muita gente da minha geração conhece o desenho animado mas não conhece o filme que o deu origem.

A premissa do desenho era bem simples, a gente tinha a Pantera, sempre fazendo alguma coisa, aprontando alguma coisa… geralmente ela não falava nada, ela apenas se comunicava através de gestos… mas em algumas poucas ocasiões ela fala uma coisa ou outra… mas geralmente ela não fala nada mesmo. E sempre, durante o desenho todo, não importa o que ela esteja aprontando… fica tocando a musiquinha da pantera… música escrita pelo compositor Henry Mancini e que no final das contas ficou mais famosa que o desenho.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Meta de Leitura 2020 – Livro 7 – Manson

manson

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Vcs estão lendo este texto no final de junho, mas eu o estou escrevendo no dia 10… e eu não sei ao certo como vão estar as coisas no final do mês, se eu já vou ter voltado para o trabalho, se não… se ainda vou estar em casa em teletrabalho.

Agora uma coisa eu sei, eu fiquei bastante tempo em casa e me ajudou para caramba com a minha leitura. Ler é uma das minhas atividades favoritas, quando eu estava na faculdade de letras eu me lembro que eu lia pelo menos quatro livros por mês. Sério… é possível hahahaha ainda mais quando a gente não trabalha, só estuda o dia todo, e estuda literatura hahahaha.

E sim, eu li bastante nessa quarentena, mas não o bastante para igualar minha média da faculdade mas, o bastante para ter uns três livros lidos para resenhar aqui para vcs aqui no blogue. E no texto de hoje, vamos falar do sétimo livro do ano que é a biografia do Charles Manson, escrita pelo Jeff Guinn e lançada aqaui no Brasil pela editora Dark Side.

Eu tava morrendo de vontade de ler este livro tem um tempo, desde quando eu vi um documentário sobre a Família Manson. E este livro é apontado pelos críticos literários como uma das melhores biografias já escritas sobre o Charles Manson. É um livro longo (ele tem 519 páginas) e pesado (eu comprei o livro físico porque os livros da Dark Side são tão lindo e bem feitos que a gente quer ter a versão física deles… eu pelo menos quero).

E quando eu digo pesado, é pesado tanto no sentido físico quanto no sentido do conteúdo ser pesado. O livro começa contando a história da família do Manson, faz uma descrição bem detalhada de toda a família dele e nos ajuda a ter uma ideia do background em que ele nasceu. Depois ele começa a contar toda a vida dele… e tudo o que ele passou desde que era um bebê até se tornar um adulto.

Eu não vou entrar em detalhes aqui porque eu não quero dar spoilers, mas o livro é bem detalhado quando ele narra cada acontecimento da vida do Charles Manson, tentando mesmo eu acredito procurar uma resposta para as perguntas, como é que ele se tornou o líder de um culto que assassinou várias pessoas friamente? Como ele fez para transformar adolescentes comuns em assassinos frios? E por que ele teria feito tudo isso?

Uma coisa que eu achei bem interessante no livro é que ele não se atém apenas ao Charlie para traçar um panorama. Ele também, faz todo um desenho da sociedade americana, tanto da galera menos privilegiada, classe á qual Manson e a maioria dos membros de sua macabra família pertenciam, quanto àqueles que acabaram sendo as suas vítimas que eram pessoas ricas.

A parte mais perturbadora e mais difícil de ler do livro com certeza é a parte dos crimes em si, apesar de eu gostar da parte investigativa de crimes notórios, a parte dos crimes sempre me deixa de estômago embrulhado. E o autor escreve num estilo que vai criando uma sensação de panela de pressão sabe? A história começa devagar, e a pressão sobre Charlie e os membros da família vai crescendo até que temos a explosão de violência que foram os crimes cometidos.

Para quem curte o tema, criminologia, psicologia em geral, é um livro extremamente interessante… imperdível eu diria. Não é uma leitura para qualquer um, é muita informação… muita mesmo… é praticamente um livro de história que narra algumas décadas da história americana… então não é uma leitura simples e pode em alguns momentos ser bem cansativa (especialmente a parte que fala de economia, situação política e coisas do gênero), mas eu recomendo pra caramba esse livro para quem tem interesse no tema.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Nome estranho e apelido

causosdefamilia

Fala terráqueos como vão vcs? Estão quietinhos em casa? Eu tô legal… tô encarando agora o meu vigésimo nono dia de isolamento social. Meus irmãos foram ao mercado, fazer as compras do mês hoje e adivinhem, trouxeram marca de coisa errada, esqueceram coisas hahahahaha homens! Talvez mês que vem, se o isolamento ainda não tiver acabado, eu mesma terei que enfrentar o coronga e ir ao mercado. Ou então fazer uma lista de mercado mais específica pra eles hahahaha.

Hoje eu tinha planejado escrever pra caramba aqui para o blogue e trabalhar no meu livro (não, meu livro não é ficção científica, um dia ele aparecerá vcs vão ver hahahaha), separei seis textos e pensei, vou terminar estes seis textos hoje e vou conseguir alcançar os 80 dias de textos pré-agendados. E claro, como sempre eu falhei miseravelmente porque com este que vcs estão lendo agora, este é apenas o segundo texto que consegui escrever hoje. 

Mas como sempre nem era disso que queria falar no texto de hoje. Eu queria falar sobre um assunto mais leve… como vcs sabem (quer dizer, acho que vcs sabem, não tenho certeza) tenho um nome bastante inusitado. Meu nome é Ceres. Acredito que em algum momento aqui do blogue eu já tenha contado o significado do meu nome para vcs… mas agora estou com preguiça de procurar. Mas, mais tarde vou procurar e caso ainda não tenha escrito nada sobre o tema aqui no blogue prometo escrever num próximo texto.

O que vcs precisam saber agora é que uma das consequências de se ter um nome bastante diferente é ter diversos apelidos. E também que apelido é uma coisa estranha os piores apelidos que uma pessoa pode ter são aqueles que geralmente pegam… e então com o passar do tempo vc se acostuma com ele e depois vc nem se lembra como, quando e por que começaram a te chamar por aquele apelido. E pronto… ele faz parte do seu dia a dia.

E hoje em dia, depois de 40 anos neste mundo, tenho vários apelidos… mas o engraçado é que quando eu era mais jovem, que deveria ter mais deles não tinha quase nenhum. Acho que porque meu nome é complicado, não rima com muita coisa, então a molecada não tinha muita imaginação para criar apelidos para mim. E Ceres já é um nome curto, vai encurtar mais como pra criar um apelido? Quando eu era criança o único apelido que eu tinha era Celi (quase tão grande quanto meu nome mas certamente mais fácil de pronunciar), meus primos todos são mais novos que eu então pronunciar Ceres é bem mais complicado que Celi certo? Uma parte da família ainda me chama assim… o complicado deste sobrenome é que pessoas que não me conheciam achavam que eu me chamava Sueli… faz sentindo… Celi e Sueli tem uma sonoridade semelhante.

Com o passar do tempo outros apelidos foram surgindo e são vários atualmente, dependendo de qual turma eu tô falando… em casa é Gabi, no trabalho é Cé (o único aliás que realmente é uma abreviação do meu nome hahahahaha), alguns amigos me chama de Shao… e por aí vai… cada um deles tem a sua história e talvez um dia eu conte para vcs a história de cada um deles.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Doenças Invisíveis.

doenças

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… continuamos aqui, trancada em casa, no vigésimo oitavo dia de isolamento. Não fosse os exercícios que meu personal tem me passado eu ia estar engordando lindamente. Não porque eu aumentei meu consumo de calorias, continuamos aqui, firmes e fortes na dieta… só fazendo algumas extravagâncias nos finais de semana… Mas, controlando o diabetes com exercícios e dieta… e estamos bem.

Fiquei meio gripada há uns dias, felizmente tomei um antigripal e passou, não se preocupem, não tive sintomas de coronga, apesar de ser grupo de risco eu andei lendo e se eu mantiver o diabetes controladinho, e ficar quietinha em casa sem me expor eu não corro tanto risco de me infectar. Claro que eu posso me infectar, meus irmãos saem para a rua ou para trabalhar, ou para comprar as coisas que precisamos aqui em casa e se eles tiverem contato com alguma pessoa infectada e se infectarem eu posso por tabela pegar o vírus também. O que eu posso fazer para não ficar doente é tomar os meus remédios, tentar manter o diabetes e a glicemia sob controle e ficar em casa.

Bom, mas como sempre nem era disso que eu queria falar. O que eu queria falar no texto de hoje é sobre o fato de que o corona vírus evidenciou uma coisa com a qual convivemos todos os dias e não prestamos a devida atenção. E eu estou falando das Doenças Invisíveis. Existem diversas, o Diabetes é uma delas… mas existem diversas outras, tais como: Fibromialgia, a Síndrome da Fadiga Crônica, o Reumatismo, a Depressão (e diversas doenças mentais), Hipertensão, Cardiopatias entre outras.

Primeiro, por que elas são chamadas doenças invisíveis? Porque apesar de o doente sofrer com vários sintomas e isto tornar a vida dele mais difícil, a maioria das pessoas não enxerga a doença. É diferente por exemplo de vc ter uma deficiência física que te obriga a usar uma cadeira de rodas ou algo parecido… o diabetes, que é o meu caso, é uma deficiência em um órgão interno, é quando o pâncreas morre e para de exercer a função dele. Mas ninguém vê… porque não é como se eu andasse com meu pâncreas pendurado no pescoço certo? (Se bem que diabéticos que usam bomba de insulina andam com elas penduradas… às vezes no pescoço hahahahaha). 

Eu não posso falar pelas outras doenças porque não tenho experiência com elas, mas posso falar pelo diabetes. A maioria das pessoas, nem mesmo as pessoas que vivem com a gente na mesma casa, não veem o quanto de dor no corpo vc sente quando vc teve uma hiperglicemia (glicemia bem alta) ou uma hipoglicemia (glicemia bem baixa)… tem dias que as duas acontecem uma seguida da outra e a dor no corpo é tanta que não dá vontade de sair da cama. Parece que um caminhão atropelou a gente, deu ré e atropelou de novo.

Isso sem falar nas noites sem dormir direito porque vc comeu pouco, ou comeu demais antes de ir dormir e teve uma hiper, ou uma hipo e depois teve que passar a madrugada toda colocando a glicemia no lugar de novo. Daí na manhã seguinte vc tem que ir trabalhar (porque vc não pode faltar) sem ter dormido direito e por não ter dormido direito a glicemia vai ficar coisada o dia todo… e aí vc vai ter fadiga, cansaço, dores no corpo, dores de cabeça… entre outros sintomas.

Hoje, todos nós estamos expostos a um vírus, um microorganismo invisível aos olhos humanos. Invisível como a maioria das doenças invisíveis que muitas pessoas, milhões de pessoas. Agora que os outros tantos milhões, que geralmente se consideram saudáveis, estão expostos a um vírus invisível quem sabe isto traga um pouco mais de empatia para com as pessoas que sofrem de doenças invisíveis.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Pesando a si mesmo na própria balança…

scales_of_justice_117108

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… ainda no vigésimo oitavo dia, trancada dentro de casa… sem ir nem na padaria. Olha, eu gosto de ficar em casa mas tô cansada já… Mas enfim, é necessário né? Se eu der uma de louca e quiser sair de casa sei que vou estressar meu pai, meus irmãos, meus amigos então eu fico quietinha aqui. E eu tô preocupada porque tô vendo este isolamento se estendendo por mais tempo do que eu previa. Eu estava sendo otimista e achando que a partir do dia 23 (no máximo dia 30 agora de abril a coisas voltariam a ser como antes) mas acho que vamos ficar bem mais tempo trancados em casa.

O que me consola é que eu tenho bastante coisa para fazer hoje. Tô aqui em teletrabalho atendendo as pessoas. Movimento tá baixo mas vamos seguindo. Fora isso eu tenho pelo menos uns dez textos para escrever hoje, não sei se eu vou dar conta de escrever tanto assim, mas… se eu conseguir terminar esses dez textos, vou alcançar a marca de 80 dias de textos pré-agendados. E eu não conseguia bater essa marca desde o começo do ano, que foi quando eu aumentei o número de postagens de alguns dias da semana. Então… bora lá.

Como sempre nem era disso que eu queria falar no texto de hoje. Como estamos num tempo bastante reflexivo, trancados dentro de casa a gente tem muito tempo livre para pensar e eu estive analisando uma certa situação. Eu li um texto esses dias na internet que falava que diante de uma tragédia quem é bom vai continuar sendo bom e quem é ruim vai continuar sendo ruim. E é bem isso que vemos, nas redes sociais… cada um olhando pro seu umbigo, cada um pensando na sua necessidade, cada pessoa externando (muitas vezes de forma bem agressiva) a sua opinião.

E eu sempre me pergunto, lendo esses textos, lendo diversos impropérios… Se essa pessoa que está lá sentadinha dentro da casa dela, julgando os demais eu me pergunto… e se ela fosse pesada com a mesma balança e as mesmas medidas que ela pesa os outros? Como será que essa pessoa seria julgada? Não tô dizendo com isso que eu seja a bela e formosa alecrim-do-campo perfeita que nunca julga ninguém hahahahaha, nada disso, muito pelo contrário. Sou falha, sou humana e julgo as pessoas constantemente. Mas eu procuro analisar o caso e me colocar no lugar das pessoas antes de sair falando qualquer coisa nas redes sociais.

E outra, eu costumo seguir a máxima que eu aprendi com a minha mãe, se vcs não ter nada de bom (ou pelo menos algo construtivo) para falar sobre ou para uma pessoa é melhor não dizer nada. Às vezes a gente até tem algo construtivo para dizer mas a pessoa não está pronta para ouvir, então nesses casos é melhor não dizer nada também.

Por isso que antes de falar qualquer coisa é sempre bom a gente pesar nossas próprias palavras na balança que costumeiramente pesamos as palavras e as atitudes dos outros. Tentar pelo menos, nem sempre a gente consegue, entender o ponto de vista do outro… por que ele sente as coisas daquela maneira? Por que ele vê as coisas de determinada forma? Talvez se fizéssemos mais este exercício fôssemos um pouquinho mais este exercício fôssemos um pouco mais altruístas.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Mario Kart Tour

mariokarttour

Fala terráqueos como vão vcs? Estão quietinhos em casa nesse isolamento social? Eu tô legal… tô encarando agora o meu vigésimo oitavo dia em casa. Ansiosa para ver a reportagem de hoje à tarde com o Governador e o Prefeito de São Paulo para ver quais medidas vão ser tomadas a partir de hoje, acredito que por conta do povo zanzando mais nas ruas por conta do feriado é capaz deles endurecerem a quarentena e/ou pior estendê-la por mais tempo.

Mas como sempre nem era disso que eu queria falar no texto de hoje, eu queria falar de games… faz tempinho que eu não falo de jogos aqui para vcs não é mesmo? Eu já citei este game aqui outras vezes e eu confesso que como Mario Kart sempre foi um dos meus jogos favoritos eu estava ansiosa mas agora eu tive a oportunidade de jogá-lo um pouco e agora vamos lá falar das minhas impressões para vcs aqui do blogue.

Para começo de assunto é um jogo feito para os fãs da franquia. Assim sendo não é um jogo inovador. Mas quem é fã da Nintendo, do Mario Kart e dos jogos do Mario em geral não vão se importar nem um pouco com isso hahahaha. A jogabilidade dele não é lá essas coisas, vc não pode acelerar e frear, vc só pode controlar o kart para direita e esquerda e quer vc queira, quer não vc não tem como desacelerar nas curvas e fica derrapando para lá e para cá. Diferentemente dos jogos clássicos este jogo não foi feito para vc passar raiva com os outros corredores jogando bombas e poderes para te atrapalhar durante a corrida, então nisso ele é mais amigável.

Uma coisa que eu não curti, mas eu sou minoria, a maior parte das pessoas curtiu é que vc não joga contra a máquina ou contra NPC’s as corridas são online. Ah então eu vou conseguir jogar com outras pessoas? Com meus amigos? Atualmente sim… logo de cara a opção multiplayer vc jogava apenas contra bots do jogo, mas agora vc pode jogar contra um amigo ou até mesmo criar uma sala onde todo mundo joga junto. Essa parte é bem legal. Ahhh mas se o celular do meu amigo for uma carroça? Bom dependendo da carroça hahahaha ele roda sim porque é um jogo bem leve.

Ele tem diversas atualizações. E tem sido adicionadas temporadas e campeonatos. O que é bem bacana. Tem todos os personagens clássicos e cada um deles tem suas habilidades específicas. Os gráficos são bem bacanas para um jogo tão leve. Em resumo… o jogo tem mais prós que contras hahahaha, caso vc não tenha como eu um Nintendo 3DS, sua internet no celular não seja limitada e queira ter um joguinho de corrida logo à mão ali no celular eu recomendo pra caramba porque ele é muito, muito divertido. Devo confessar que ele não é meu jogo de corrida favorito do Mario, este título continua pertencendo ao Mario Kart que eu tenho no meu Nintendo 3DS. 

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Fundo Verde – Chromakey

greenscreen

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Estamos aqui no nosso décimo sétimo dia de isolamento social yay! Meu pai veio aqui em casa esses dias e ele perguntou para o meu irmão se eu não tava surtando de ficar em casa tanto tempo hahahaha. Sério… eu não saí de casa nenhuma vez em 27 dias… E ele não entende como é que eu consigo ficar tanto tempo em casa porque ele e meus dois irmãos são extremamente ansiosos e hiperativos hahahaha. Mas nem era disso que eu queria falar no texto de hoje.

Semana passada eu postei um texto aqui para vcs contando que eu tinha comprado uns trecos da China, que tinham demorado pra caramba pra chegar mas que finalmente chegou e eu estava me divertindo com ela? Então é o seguinte, eu me diverti tanto que resolvi escrever um texto aqui só falando sobre a tela infinita (ou tela verde, ou tela de chromakey, ou tela de fundo infinito, não importa como vcs queiram chamá-la). Vai ser um texto bem nerd, se vcs não curtem podem voltar amanhã beleza?

Não sei se eu comentei com vcs mas eu tirei uns dias desse isolamento social todo para aprender a mexer em dois programas de streaming de vídeo que eu sempre tive curiosidade de saber como funcionava e agora… meio que na marra eu tive tempo. Primeiro eu mexi um pouquinho com o OBS e depois com o Streamlabs OBS que são programas diferentes entretanto bem similares… os dois fazem basicamente a mesma coisa que é transmitir conteúdos ao vivo para a internet. São esses dois programas que a maioria dos YouTubers e os Streamers (galera que transmite seus jogos online) utiliza para transmitir seus conteúdos para sites como o YouTube, o Twitch, o Facebook, o Mixer e outros que agora eu não me lembro… de qualquer forma esses são os mais populares.

E o que é que a tela verde tem a ver com isso tia Shao? A tela verde na verdade é só um complemento… uma ferramenta para vc poder alterar o fundo das suas transmissões. Não é uma tecnologia recente… as transmissões da TV usam isso já tem anos… nas reportagens sobre o tempo por exemplo, a repórter fica na frente de uma tela verde e atrás dela eles colocam a imagem dos mapas meteorológicos. Deixa eu mostrar para vcs na prática o que foi que eu fiz… Esta primeira imagem aqui embaixo é um screen shot de um vídeo que eu fiz enquanto eu estava jogando Stardew Valley sem a tela verde.

stream1

Como vcs podem ver, na imagem acima vc vê a minha webcam no cantinho. E tem a linda parede rosa zoada do meu quarto. Esse vídeo foi um dos primeiros que eu fiz, eu ainda estava aprendendo as funcionalidades do programa e eu ainda não aprendi tudo, tem bastante coisa para aprender. Mas o básico eu já peguei, se vcs quiserem me acompanhar nos vídeos só me seguir lá na minha página no Facebook Joga Direito Shao ou no meu canal no Twitch

Já na imagem abaixo, que é o segundo screen shot já estou usando a tela verde e um filtro chromakey com a minha webcam e não dá para ver o fundo com minha linda parede. E é bem simples de fazer na verdade. Os dois programas, o OBS e o Streamlabs ambos tem já esta função integrada a única coisa que vc precisa é de uma tela que pode ser verde ou azul. Não precisa ser uma tela verde profissional nem nada, pode ser um pano verde, ou uma parede verde. E tudo que vc tem que fazer é colocar atrás de vc, então vc liga a sua webcam, e adiciona ela como fonte de captura de vídeo no OBS, aplica um filtro específico nela que chama “chromakey” e então vc vai configurar brilho, contraste e cor… e o resultado fica mais ou menos como na imagem abaixo.

stream2

Eu apenas apaguei o meu fundo e coloquei o jogo no lugar… mas dá para fazer outras coisas, da para vc colocar o fundo que vc quiser atrás de vc… pode ser uma imagem qualquer… uma paisagem… o Monte Everest… o que vc quiser… querem ver só… eu fiz uns exemplos para vcs terem uma ideia. Na imagem abaixo eu coloquei um fundo qualquer e a webcam com o fundo verde… na verdade essa imagem de fundo é a minha coleção de livros que fica na minha frente e não atrás de mim.

stream3

Nesta segunda imagem abaixo eu coloquei as minhas duas webcams para vc ver como funciona… na imagem à esquerda minha webcam sem o filtro ativando a tela verde e na imagem à direita a outra webcam com o filtro de tela verde ativado. E no fundo uma parte da minha coleção de CD’s e DVD’s hahahahaha.

stream4

Claro, minha tela verde é pequena, ela não ocupa toda a minha parede, e eu não tenho uma iluminação profissional então o resultado é meia boca mas é divertido. O certo seria eu ter uma tela bem maior para eu poder usar minha câmera num ângulo mais aberto e eu ter pelo menos quatro fontes de iluminação, duas direcionadas para a tela verde atrás de mim de modo que ela ficasse toda com uma cor bem uniforme uma iluminando todo o ambiente e uma iluminando a minha pessoa.

Nossa Shao, mas precisa de tudo isso… na verdade precisa hahahaha para ter melhores resultados e ficar mais profissional. Mas o básico, o princípio de como fazer o uso desta tecnologia eu já manjei e isso para mim já é bacana pra caramba. Tudo em fotografia, em imagem, em vídeo… todos os equipamentos profissionais necessários pra vc ter uma produção audiovisual de qualidade são muito caros. Mas o bacana é que dá pra fazer também (não tão profissional assim mas com uma boa qualidade) sem gastar muito. Eu sempre curti fotografia e video e tem sido divertido aprender essas coisinhas.  Bom este texto ficou imenso hahahaha.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Nerdices: Filmes Antigos – CopyCat – A Vida Imita a Morte.

copycat

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Terceiro e último filme desta sexta-feira, é um filme antigo já e eu tinha quase certeza que já o havia resenhado aqui para vcs. Porque é um filme que eu curto muito. Mas eu procurei pelos arquivos do blogue e não o encontrei. Novamente vou deixar claro aqui que são mais de três mil textos e mais de dez anos de blogue, fora isso a busca do WordPress não é lá estas coisas, então pode ser que eu já tenha resenhado o filme anteriormente… então já peço perdão se for um texto repetido.

Enfim, o filme da vez é “Copycat – A vida imita a morte” (eita nomezinho zoado em português não?) Uma curiosidade, para quem não está habituado ao jargão investigativo em inglês a palavra “copycat” é utilizada quando temos um caso qualquer de assassinato e o assassino está copiando o estilo de um assassino já conhecido ou, porque ele é fã (que estranho não?) do criminoso que ele está copiando então é uma espécie de homenagem ou, porque ele quer enganar a polícia de forma a não ser pego. Tanto que o nome do filme em inglês é apenas “Copycat”.

Mas bora falar do filme. É uma obra de 1995 do Diretor Joe Amiel, e que traz nos papéis duas atrizes extremamente talentosas e de quem eu sou fã pra caramba uma delas é a Sigourney Weaver e a outra é a Holly Hunter (vencedora do Oscar de melhor atriz por “O Piano” um ano antes em 1994). É um filme policial como vcs já podem imaginar e a história é mais ou menos assim: Na cidade de São Francisco a polícia está quebrando a cabeça para tentar resolver uma série de crimes que aparentemente não tem nenhuma relação entre si.

Então a policial M.J. Monahan (interpretada pela Holly Hunter) tá quebrando a cabeça para  desvendar os misteriosos assassinatos e então ela descobre que as vítimas são escolhidas ao acaso. Então era resolve pedir a ajuda de uma famosa psicóloga criminal chamada Dra Helen Hudson (interpretada pela Sigourney Weaver) para ajudar a descobrir a identidade do criminoso, entretanto a psicóloga sofre de Agorafobia desde que sobreviveu ao ataque de um assassino de um caso anterior que ela investigava. Logo de cara a Dra Hudson se nega a ajudar a policial Monahan, mas depois ela pensa bem e as duas se unem numa investigação que pode colocar a vida delas em risco. É um filme bem bacana, recomendo pra vcs para fechar a sexta!

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Nerdices: Filme – 1917

1917

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Segundo filme desta nossa sexta-feira, mais um da nossa saga de filmes indicados às categorias mais importantes do Oscar 2020. Este filme dirigido pelo Sam Mendes, foi um dos recordistas com dez indicações em diversas categorias, incluindo Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Roteiro Original. No final ele ganhou 3 prêmios: Melhor Fotografia, Melhor Mixagem de Som e Melhor Efeitos Visuais.

Eu não quero falar muito da história do filme porque é um filme muito recente, e tem gente que ainda não viu. Mas basicamente, conta a história de dois amigos, soldados, do exército inglês que recebem a missão de atravessar o campo inimigo e levar uma mensagem para um determinado batalhão, e a mensagem é… não ataque porque o exército inimigo não se retirou de verdade é uma armadilha.

Um dos soldados que tem que levar esta missão está pessoalmente investido na missão pois o seu irmão mais velho pertence a um dos batalhões que deve atacar o inimigo e ele quer salvar a vida do irmão. Então os dois, com fome, sem ter dormido direito, sem condições adequadas praticamente partem rumo à missão… e o filme conta, de uma forma linda uma história extremamente humana dentro do horror que é uma guerra.

Ganhou merecidamente os prêmios que levou porque realmente a cinematografia é linda, a fotografia e o som são perfeitos. Uma das coisas que mais me impressionaram no filme é o modo contínuo que o diretor Sam Mendes filma os acontecimentos. Eu sinceramente não sei como ele fez, e nem quero saber, deixa eu acreditar que é a mágica do cinema hahahaha.

Mas ele filme em movimento constante… os atores vão andando, falando e a câmera não corta a imagem em nenhum momento, ela vai acompanhando os personagens, ora de longe, ora bem de perto, em alguns momentos a câmera circula eles… E a imagem em movimento contínuo, muda de ângulo, muda a forma de aproximação mas sem quase nunca ter um corte de imagem. É um puta filmão galera, eu recomendo para caramba. Um dos melhores filmes dos indicados ao Oscar deste ano, sério!

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Nerdices: Filme – Jóias Brutas

joasbrutas

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Chegamos aqui a mais uma sexta-feira e como vcs sabem as sextas são dias de filmes. E como já terminamos (acho que terminamos, não tenho certeza) de ver os filmes indicados ao Oscar vamos falar de um que foi extremamente elogiado entretanto foi completamente esnobado pela Academia que é o último filme do Adam Sandler (que não é uma comédia pastelão pasmem!). Sério, o filme foi muito elogiado, foi chamado de Obra Prima do cinema por alguns críticos e eu pensei… eita! Tenho que ver!

Claro que quando a crítica elogia tanto assim um filme vc tem que ter em mente que vai ser um filme difícil de digerir. Os críticos em geral gostam de filmes que obrigam a gente a pensar (o que é bom) mas a maioria dos filmes feitos não são feitos com esta intenção, a gente só tem que assistir e se divertir e não precisamos buscar nenhum significado escondido nas entrelinhas (o que é mau porque deixa a gente mentalmente preguiçoso na hora de analisar qualquer conteúdo artístico, livros, músicas, etc.). Então se preparem porque é um filme denso, beleza?

O engraçado é que o Adam Sandler não ficou famoso com filmes deste estilo, ele ficou conhecido (e rico) produzindo comédias que fazem grande sucesso de bilheterias mas são sempre massacradas pela crítica como filmes meio bosta mas agora ele vem com “Jóias Brutas” (ou “Uncut Gems” no original em inglês). Um filme de 2019 dirigido pelos irmãos Josh e Ben Safdie que tem nos papéis principais o Adam Sandler e a Idina Menzel (que é uma atriz que a galera em geral não valoriza muito mas que manda muito bem… ela é mais conhecida por seus trabalhos de dublagem nas animações da Disney).

O filme foi produzido em parceria com a Netflix, então se vcs tem assinatura vcs podem ir lá e acessar e assistir ao filme. E ele conta a história do joalheiro, malandro e viciado em jogos de azar Howard Ratner (interpretado por Sandler), Howard não é bem-sucedido em administrar nada na sua vida, nem sua joalheria, nem sua vida pessoal, que se resume a seu casamento e seus filhos, nem seu relacionamento extra-conjugal com sua amante. Isso porque ele é viciado em jogos e é o seu vício que domina a sua vida, e o resto é secundário na sua vida.

Por conta destes vícios ele acaba sempre adquirindo dívidas e para pagar essas dívidas e não ir à falência ele pega empréstimos com agiotas e criminosos, e um buraco puxa o outro até que a vida dele se torna uma completa loucura de altos e baixos onde ele tenta, dando um golpe aqui, outro ali equilibrar sua vida desequilibrada. É um filme interessante, eu confesso que ele tem um formato bem diferentão, um ritmo também nada usual e um desfecho… não vou falar do desfecho, fica aí esta dica de filme para vcs caso vcs queiram assistir.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Séries: Sobrevivi a R. Kelly

survivingrkelly

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Ainda no vigésimo sexto dia de isolamento social, tô aproveitando este tempo que eu tenho para ver todas as séries e todos os filmes que eu estava atrasada para ver e alguns deles, que eu acho legais e bacanas eu tô resenhando aqui para o blogue. 

Por conseguinte estou quase conseguindo aumentar consideravelmente o número de textos pré-agendados aqui do blogue. Não seu se eu vou conseguir deixar pelo menos 90 textos adiantados… até o memento eu consegui 76 dias de textos agendados, o que é uma grande vitória porque eu estava com menos de 50. E vcs me conhecem, este número é muito baixo… E cara eu vi filmes para caramba estes últimos três dias… acho que foi o que eu mais fiz. Estou também aproveitando esses dias para ler mais.

Mas, como sempre nem era disso que eu queria falar no texto de hoje. Bora fechar este dia, porque já tivemos texto hoje, falando de uma série que eu tropecei na Netflix estes dias. Que é uma série bem polêmica porque ela trata de diversas acusações de abuso sexual, psicológico direcionadas ao Cantor e compositor R. Kelly.

Eu sei quem é o R. Kelly. Eu já ouvi no rádio uma ou duas músicas dele, mas nunca curti, nem fui fã, nem nada. Mas eu sabia que o cara era famoso e que fazia sucesso lá fora. Não acompanhei a carreira dele e nem os escândalos nos quais o nome dele estavam envolvidos. Então eu meio que fiquei surpresa com essa série. Então bora lá… eu não quero falar muito e nem dar muitos detalhes porque não quero dar spoilers.

Mas é uma série que tem duas temporadas (mas por hora só estreou a primeira temporada na Netflix aqui do Brasil) e 11 episódios (6 deles, na primeira temporada, 5 na segunda) e que detalha diversos casos de meninas menores de idade que suas famílias e mesmo as próprias vítimas afirmam terem sido abusadas pelo cantor. Muitas famílias inclusive acusam o cantor de criar um culto, que faz lavagem cerebral nas meninas menores de idade e elas fogem de casa e fazem tudo para ficar do lado dele como escravas sexuais. São acusações sérias e se forem verdade é terrível porque aparentemente as autoridades não fazem nada a respeito porque ele é rico.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Canal do YouTube – Refúgio Cult

youtube

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Estamos aqui… ainda no nosso vigésimo sexto dia de isolamento social e hoje resolvi que já que é sábado (sábado para mim, para vcs que estão lendo eu sei que é quinta-feira) vou passar o dia todo escrevendo enquanto a minha máquina lava a roupa da semana.

Hoje é aquele dia da semana que a gente separa para falar de séries, músicas e canais do YouTube e é deste último que vamos falar agora. Como vcs sabem eu curto cinema, tanto que toda a sexta-feira tem sempre três textos aqui sobre filmes que eu geralmente assisto durante a semana. Não sou cinéfila e nem manjo de críticas, nem nada… eu só gosto de ver  filmes e eu também gosto de trazer aqui no blogue para vcs canais que eu sigo no YouTube que eu acho que tem um conteúdo bacana, e que mereciam mais divulgação mas infelizmente não tem tanta divulgação assim…

Então no texto de hoje nós vamos juntar os dois, ou três… porque vamos falar do Canal Refúgio Cult que é um canal do YouTube que fala de séries e filmes. E ele sempre traz análises bem bacanas e bem inteligentes que eu curto para caramba. O canal tem pouco mais de seiscentos mil seguidores, até que é um canal com um bom número de seguidores, mas de boa eu acho que merecia ter mais hahahaha então, se vcs curtirem o conteúdo cliquem no botão pra seguir.

O canal tem playlists específicas bem bacanas, minhas favoritas são as análises dos filmes e das séries recentes que saíram no cinema, na Netflix ou na Amazon. O mais bacana é que todo vídeo análise que o canal traz tem a parte sem spoilers e depois tem a parte com spoilers caso vc seja como eu e não se importe nem um pouco com tomar um spoiler aqui e ali. Mas também tem outra playlist que eu curto para caramba que é uma playlist que fala dos bastidores dos filmes e traz outro tipo de análises. Recomendo pra caramba este canal para vcs.

Então o Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao

Câncer… e como ele afeta as pessoas…

câncer

Fala terráqueos como vão vcs? Eu tô legal… Quer dizer, mais ou menos… estamos aqui no nosso vigésimo sexto dia de isolamento social. E quando a gente fica trancado dentro de casa pensando nas coisas a gente tende a ver o lado negro né? Pouca gente tem falado das pessoas com câncer nessa crise toda de coronavírus, muita gente tá sem tratamento, ou com o tratamento suspenso, ou dificultado. E quem está fazendo o difícil tratamento geralmente tá com a imunidade baixa, por conta da própria quimioterapia mesmo que mata as células cancerígenas mas mata células boas também…

Muita gente que não passou por isso, por ter um familiar, alguém querido sofrer dessa doença e sofrer este tratamento complicado, não vai entender. Mas o câncer muda a gente, muda a vida da pessoa que ficou doente e muda a vida de toda a família da pessoa. Mas Shao, independente da forma como uma pessoa morra, a morte de uma pessoa querida vai afetar a vida de toda a família. Sim, é verdade… mas eu já perdi familiares queridos por outras formas, outras doenças, acidentes e com o câncer sempre foi diferente, mais dolorido de alguma forma. Lembrando que estou falando aqui da minha experiência particular. Isso pode variar claro, de pessoa para pessoa…

Como o câncer afeta ao paciente isso a maioria dos médicos já está cansada de explicar em entrevistas, palestras, aulas e no dia a dia nos seus consultórios. Mas como o câncer afeta as pessoas que estão ao redor do doente? Novamente, posso falar por mim. Primeira coisa que vc pensa, quando chega o diagnóstico é que aquilo é uma sentença de morte à pessoa que vc ama. É como se naquele primeiro momento, ligasse um relógio, um temporizador que começa a contagem regressiva para o momento da morte daquela pessoa.

E racionalmente todos nós sabemos que o dito cujo do relógio dos nossos dias está rodando em contagem regressiva desde o dia do nosso nascimento. Mas parece que uma doença como o câncer deixa isto mais real, mais palpável, mais próximo. Claro é uma falsa impressão… porque como dizia a minha mãe, pra morrer basta estarmos vivos. Não importa se vai ser de um câncer ou engasgado com uma pipoca assistindo um filme na sala da nossa casa. Quando a morte então leva um familiar querido nosso, e outro também está lutando contra a doença vc automaticamente pensa, fulano é o próximo meu Deus! Como se existisse uma fila sabe? É meio insano… mas foram essas coisas que passaram pela minha cabeça. 

Outra coisa que me afetou muito foi que os sintomas que minha mãe e meu avô tiveram foram bem sutis, até que foram piorando. Minha mãe tinha uma dor nas costas e meu avô começou ficar com dificuldade de ir ao banheiro. Depois de exames e mais exames foi diagnosticado o câncer. Muito tempo depois que ambos tinham falecido, qualquer dorzinha em mim ou nos meus irmãos era câncer… eu surtava… sério. Foram horas e horas de terapia pra melhorar isso em mim. Eu ainda surto de vez em quando. Mas tô melhorando gradualmente.

E eu sei que tem muitas coisas na minha vida e na minha pessoa que mudaram depois que eu perdi a minha mãe e o meu avô para o câncer. No momento eu tenho uma tia que está, pela segunda vez enfrentando esta doença, num tempo horrível por causa desse vírus. E eu me preocupo pra caramba com ela… Esse isolamento social todo também não ajuda. E a gente sabe que o paciente tem que estar com a “cabeça boa” pra ajudar no tratamento e… deixar a pessoa sozinha nesses momentos não é tão indicado.

Eu fui apresentada à sensação de impotência na primeira vez que um diagnóstico de câncer entrou no seio da minha família, e acho que nunca mais ela foi embora. Esta impotência que agora se estende a todas as casas e todas as famílias, indiscriminadamente por conta desse vírus. Então assim galera… por mais negro que possa parecer o horizonte agora, um dia as coisas hão de melhorar. Força aí… fiquem bem.

Vou terminando este post por aqui… Espero que vcs tenham curtido o texto de hoje. Caso tenham gostado, deixem um comentário. Bora interagir. Se vc tem um blogue também deixe aí o seu link para eu conhecer seu trabalho. É sempre bacana conhecer o trabalho de outros escritores e fazer novos amigos. Acho que é isso aí, amanhã como sempre estaremos de volta com mais uma postagem.

Abraços, Shao